Cookie Consent
Notas e Comentários
Neutralidade
Publicado: 00:01:00 - 24/06/2022 Atualizado: 23:58:40 - 23/06/2022
colunanotas@tribunadonorte.com.br

O PSDB do Rio Grande do Norte não deve aderir a uma das coligações que terão candidatos ao Governo do Estado. A informação foi destaque no blog da jornalista Virgínia Coelli, âncora do Jornal da Manhã, programa da rádio Jovem Pan News Natal, “Pelo menos foi essa a informação que o blog apurou. Dividido, com metade apoiando a reeleição da governadora Fátima de Bezerra (PT) e a outra metade com o ex-deputado Fábio Dantas (Solidariedade), o PSDB deve sair em faixa própria e ficar independente”, destacou. Com isso, o partido não formalizaria apoio a nenhum candidato ao governo. 

Liberação
O presidente estadual do PSDB, Ezequiel Ferreira de Souza, sinalizou, ao conceder uma entrevista na região Oeste, há um mês, que o caminho do partido que comanda poderia ser não formalizar a adesão a uma coligação com candidato ao governo. Na ocasião, Ezequiel Ferreira disse que há uma tendência do PSDB de não fechar questão sobre o apoio a uma candidatura a governador e liberar seus deputados e filiados para apoiar o nome que considerarem a melhor opção na disputa majoritária. “Acabou o tempo em que o presidente do partido dizia: ‘Tem que ser desse lado'. E todos precisavam ficar neste posicionamento. O tempo é de democracia aberta, interna e externa”, destacou na entrevista.  

Adesão 
A deputada federal Natália Bonavides (PT) assumiu o apoio à pré-candidatura do ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT) ao Senado. Natalia fez, anteriormente, duras críticas ao ex-prefeito e à possibilidade de coligação entre o PT e o PDT no Estado. “A gente teve todas as divergências debatidas não só dentro do partido, no encontro de tática, mas publicamente. Agora, teve uma decisão tomada. A gente, que acredita numa mudança de sociedade, que o Brasil tem condições de ser um lugar melhor para a classe trabalhadora, sabe que sozinho ninguém faz nada, sabe que é preciso atuar em conjunto. Está tomada a decisão do partido”, disse, durante entrevista, à Rádio Rural de Mossoró,  ao tentar explicar a mudança de posicionamento. 

Reação 
O ex-ministro do Desenvolvimento Regional Rogério Marinho criticou o que considera incoerência do posicionamento da deputada federal Natália Bonavides, que agora é favorável à adesão do PT à pré-candidatura do ex-prefeito Carlos Eduardo ao Senado. “Triste Rio Grande do Norte governado pelo PT e representado por deputadas como essa com o único projeto político de derrotar seus adversários. Chegou a hora da mudança, vamos juntos continuar a modernização do Brasil e trabalhar para reconduzir o RN para o rumo certo. Não passarão”, disse Rogério Marinho nas redes sociais. 

Preservação 
Ex-ministro da Fazenda e ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles defendeu a preservação da Lei das Estatais sem alterações. “A ideia de alterar a Lei das Estatais para facilitar a interferência do governo federal na Petrobras iria contra todos os avanços que essa legislação ajudou a conquistar”, afirmou. “Não resolveria a disparada dos preços dos combustíveis e representaria mais um retrocesso para a economia do país”, acrescentou o ex-ministro. E destacou: “Essa Lei profissionalizou a gestão das estatais criando novas regras para a nomeação de diretores e conselheiros. Proíbe a indicação de dirigentes partidários ou políticos que disputaram eleições nos 36 meses anteriores”. Meirelles ainda lembrou que implementada em 2016, quando ele era ministro da Fazenda, “a Lei das Estatais buscou blindar a gestão de empresas públicas e sociedades de economia mista da ingerência política”.

Transporte 
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou a abertura de consulta pública sobre a nova proposta do marco regulatório do transporte rodoviário de passageiros. O documento ficará disponível para contribuições do dia 8 de julho a 22 de agosto. É a segunda proposta que vai à consulta pública nos últimos anos sobre o tema, que divide empresas já consolidadas no setor e novas companhias que tentam entrar no mercado. Em novembro do ano passado, seguindo posição do diretor-geral Rafael Vitale, a diretoria decidiu remeter novamente para análise técnica da ANTT o texto que já tinha passado por uma consulta pública.  Desde então, o Congresso Nacional aprovou uma nova lei que, apoiada por companhias já atuantes no setor, tem potencial de restringir a entrada de novas empresas no transporte rodoviário de passageiros. 

Marco 
A proposta da ANTT de marco regulatório do transporte rodoviário de passageiros que irá à consulta pública, considera alterações legais, sancionadas no início do ano. Apesar de a versão final da lei ser mais moderada que o projeto inicial elaborado por senadores, a nova legislação prevê um limite para o número de autorizações concedidas no setor em casos de inviabilidade operacional e econômica.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte