Neymar vira referência para elenco da Seleção Brasileira

Publicação: 2020-09-20 00:00:00
A Seleção Brasileira costuma ser uma mistura de novos e velhos talentos. Para a primeira partida das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2020, contra a Bolívia, no próximo dia 9, não será diferente. A equipe comandada por Tite conta com Neymar como uma espécie de “esteio”, mas também já abre espaço para a nova geração de talentos do nosso futebol. Gabriel Menino, jovem não só pelo sobrenome, está na equipe.

Principal jogador da seleção brasileira e que já foi chamado de "imprescindível" por Tite, o atacante Neymar, claro, era nome certo na lista de convocados para os dois primeiros jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, no Catar. E, mais do que apresentar toda sua qualidade em campo, a comissão técnica da seleção espera que Neymar funcione também como uma espécie de porto seguro para os jogadores mais jovens.

Créditos: Pedro Martins/MoWA PressSeleção Brasileira volta à campo no próximo dia 9 de outubroSeleção Brasileira volta à campo no próximo dia 9 de outubro

"Nesse grande momento pelo qual ele passa, é extremamente importante termos de volta. É um jogador diferenciado, que tem essa capacidade e sem os problemas clínicos que o afetaram e o interromperam de alguma forma. Isso dá toda uma sequência da plenitude de sua condição técnica e física", comentou Tite, durante coletiva de imprensa virtual realizada na última sexta-feira, após anunciar a lista de convocados.

"Ele é um líder técnico extraordinário. Temos alguns jogadores que têm um perfil de liderança, alguns de técnica, como é o caso de Neymar, alguns competitivo, comportamentais, enfim", declarou o treinador.

O auxiliar técnico Cléber Xavier lembrou as grandes atuações do atacante na reta final da Liga dos Campeões, no mês passado. "Mesmo com as pequenas férias que eles tiveram, ele termina jogando uma Champions com muita qualidade e a gente espera ele, com essa meninada, com essa renovação, ser um esteio, a liderança técnica, junto com outros atletas."

Tite pontuou ainda que o fato de Neymar ter encerrado a Liga dos Campeões em alta terá reflexos também para seu desempenho nas Eliminatórias. "A seleção busca o atleta em seu melhor momento no clube para transferir para dentro da seleção a sua parcela individual num conjunto. O atleta estar em um grande momento em seu clube traz pra nós isso", comentou.

O novo

Em grande fase no Palmeiras, Gabriel Menino foi uma das surpresas da lista de convocados por Tite. O garoto de apenas 19 anos foi chamado para ser um dos laterais, apesar de estar sendo utilizado como meio-campista na equipe paulista. Para Tite, a variação de funções não atrapalha e pode inclusive servir para ampliar suas possibilidades em termos táticos.

"Buscamos uma série de informações importantes a respeito do Gabriel Menino. Ele vem jogando, sim, no meio campo no Palmeiras, porém sendo utilizando também como lateral. Ele teve sete jogos na posição, e teve na base a sua formação como lateral", explicou o técnico, durante coletiva de imprensa virtual realizada na tarde desta sexta-feira.

"Em termos táticos, me perguntaram (em outro momento) se o Dani Alves jogando no meio no São Paulo trazia algum prejuízo, e eu falei que o Dani Alves fazia uma função de armação no São Paulo, que também era uma função que exercia na seleção. O inverso serve para o Gabriel Menino. Ele trabalha no centro, vai jogar na lateral, porém sua função ofensiva vai ser de articulador dentro da seleção, similar ao Palmeiras", complementou Tite.

O treinador classificou Gabriel Menino como "um lateral meio-campista", e disse que a comissão técnica da seleção acompanhou 12 jogos do atleta desde que o futebol foi retomado no País, sendo quatro desses in loco. "É um novo talento surgindo numa posição importante."

Adversários


Quando retornar a campo em outubro, na estreia das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar, a seleção brasileira irá encerrar um período de 11 meses sem jogos - e terá pela frente dois adversários que também estão sem atuar há um bom tempo em virtude da pandemia. Apesar de os dois primeiros adversários historicamente não apresentarem dificuldades à seleção, a longa parada fará com que o Brasil tenha de enfrentar Bolívia e Peru sem saber direito o que esperar.

"Todas as equipes não têm essa parte tática e não estão se mostrando, os outros em relação a nós e nós em relação a eles. Fica prejudicado, sim, em termos estratégicos do adversário", avaliou Tite. "A essência somos nós, nosso desempenho e nosso resultado."

Mesmo assim, o treinador comemorou a manutenção da fórmula das Eliminatórias, com todas as seleções se enfrentando em jogos de ida e volta. "O que era importante era manter o critério e o equilíbrio técnico da competição. O equilíbrio técnico é todos contra todos", considerou Tite.

Sobre o longo tempo de inatividade e pouco espaço para treinos, o treinador ponderou que essa é uma dificuldade que tem que ser enfrentada por todos, inclusive pelos clubes. "Temos que enriquecer nosso tempo, priorizar para que ele seja direcionado para as coisas importantes", disse Tite. "Mas as dificuldades vão acontecer, é inevitável."

Tite concedeu entrevista coletiva após anunciar a lista de 23 jogadores para as partidas contra Bolívia e Peru, remarcadas para outubro, pelas Eliminatórias da Copa de 2022.




Leia também: