Ninguém se perde no caminho da volta

Publicação: 2017-08-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Agora é tudo ou nada. O América entra em campo hoje para definir o seu futuro na Série D do Brasileiro e também para 2018. Para conquistar o acesso e continuar na luta pelo seu primeiro título brasileiro, a equipe potiguar terá de vencer o Juazeirense, na Arena das Dunas, por pelo menos 3 a 0, para devolver o placar da derrota no primeiro confronto das quartas de final, na Bahia, e decidir a situação na cobrança de pênaltis. Em caso de vitória por 4 a 0,  a classificação será obtida de forma direta.
Clima de união entre equipe e a torcida, que promete comparecer em bom número a Arena das Dunas, confere a atmosfera positiva na decisão pelo acesso contra o Juazeirense
Clima de união entre equipe e a torcida, que promete comparecer em bom número a Arena das Dunas, confere a atmosfera positiva na decisão pelo acesso contra o Juazeirense

Entre as maiores esperanças da torcida americana está o veterano Cascata. O jogador tem a função de ser o termômetro da equipe dentro de campo e é nele que reside também a confiança de Leandro Campos para controlar a ansiedade da equipe e ditar o ritmo da partida.

O América que chegou a essa fase com a melhor campanha dentro os oito classificados, vinha embalado por duas boas vitórias sobre o Ceilândia, mas não conseguiu realizar uma boa apresentação no primeiro jogo ante aos baianos. A derrota por um placar tão elástico fugiu a qualquer prognóstico da comissão técnica, que agora será obrigada a partir para o sentido literal da palavra mata-mata. Mas partir para o tudo ou nada não significa dizer que o time tenha de partir para o desespero.

"A tranquilidade, independente de qualquer circunstância, nós iremos passar para os atletas. É um momento muito importante na vida do América. Todos nós gostaríamos que esse momento pudesse ser um pouquinho mais administrável. Não digo fácil,  por que facilidade nós não vamos encontrar em hipótese alguma, mas se nós tivéssemos colhido um resultado melhor contra a equipe da Juazeirense no primeiro jogo, é lógico que hoje nós estaríamos, talvez, em uma condição um pouquinho mais estável. Então, infelizmente, não foi por vontade nossa. Aconteceu esse impasse e nós teremos, agora, que ter forças, organização e disposição para tentarmos reverter esse quadro", afirmou Leandro Campos.

Ter obrigação de buscar um resultado elástico é complicado, até por que um adversário com tamanha vantagem no placar, pode apenas vir a Natal tentar jogar tirando proveito do regulamento, retrancado e atuando apenas em cima dos erros do América. Ou até mesmo apresentar uma característica ousada, para tentar largar na frente e complicar ainda mais a situação.

Aqueles que optaram por se retrancar frente ao Alvirrubro na Arena das Dunas, acabaram derrotados e, por isso, o treinador Carlos Rabello, pode até tentar uma postura diferente.

Para o atacante Tadeu, um dia atípico acabou complicando a tarefa, já que o América não conseguiu repetir o mesmo futebol que vinha mostrando em toda Série D. “É um jogo difícil. A gente ficou muito triste pelo nosso desempenho dentro de campo, foi um jogo atípico. Nós vínhamos jogando muito bem muito bem, fazendo uma campanha maravilhosa e só o futebol tem isso. O futebol tem essas pedras no caminho e essa é uma pedra grande e a gente vai fazer um grande jogo dentro de casa, um jogo praticamente perfeito para poder classificar", disse o artilheiro americano. 

O meio-campista Juninho Tardelli, do Juazeirense, tem o caminho para a confirmação do acesso da equipe em Natal, segundo ele, o Juazeirense não deve alterar sua forma de atuar. “Sabemos que será muito difícil, mas demos um pequeno passo e temos que concretizar isso. Temos que ter a mesma postura que a gente vem jogando todos os jogos. Acho que não tem porque mudar. Lógico que será uma atmosfera diferente. Eles estão empolgados e fazendo o jogo da vida deles. Mas também é o jogo da nossa vida. Envolve tudo. Temos que jogar o jogo. Não é se defender”, destacou o atleta do time baiano.

Ficha Técnica
América
Fred, Robert, Dão, Paulão e Danilo; Sidney, Róbson, Marcos Júnior e Cascata; Uederson e Tadeu. Técnico: Leandro Campos
Juazeirense
Tigrão, Capone, Emílo, Sílvio e Deca; Vaguinho, Juninho Tardelli e Tadeu; Salatiel, Alex Sandro e Genílson. Técnico: Carlos Rabello
Árbitro:Marcelo A. R. de Souza (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Horário: 16 horas
Local: Arena das Dunas (RN)

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários