No interior, dois suspeitos de assassinar PM são mortos

Publicação: 2017-06-17 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Dois integrantes da quadrilha que participaram da morte do soldado da Polícia Militar Carlos Eduardo Alves, na noite da última quarta-feira (14), na cidade de Areia Branca, foram mortos e outros dois baleados. Um deles morreu no confronto com o soldado, no estabelecimento comercial. O outro em confronto com guarnições, na cidade de Mossoró, na madrugada da quinta-feira (15), feriado de Corpus Christi.

No confronto, na “favela do Velho”, região das Malvinas, em Mossoró, um terceiro integrante do bando foi gravemente ferido a tiros e hospitalizado. Até o fechamento desta edição, segundo a Polícia Civil, continuava vivo, mas em estado grave.

Os suspeitos, de acordo com a Polícia Militar, teriam fugido de Areia Branca para Mossoró logo após o assalto que resultou na morte do soldado PM Carlos Eduardo. Durante a tentativa de assalto, uma adolescente que integrava o bando foi baleada por quatro disparos. De acordo com informações do investigadores da Polícia Civil, a função dela no momento do assalto era passar com uma sacola recolhendo os pertences das vítimas, mas o soldado reagiu e ela ficou no meio do fogo cruzado. Ela foi socorrida, e encontra-se custodiada em um Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente acusado de Ato Infracional (CIAD).

De acordo com policiais  militares que participaram da ação, após receberem informações sobre o paradeiro dos suspeitos, as guarnições saíram em diligências e, ao chegarem à favela na cidade de Mossoró se depararem com dois dos suspeitos que passaram a atirar contra as equipes da ROCAM e Rádio Patrulha. Um deles faleceu e outro ficou gravemente ferido. Dos cinco integrantes do bando, há uma mulher foragida.

A PM apreendeu armas, entre elas uma espingarda calibre 12, um veículo tipo Fiat Uno de cor vermelha, usado no assalto que terminou com a morte do PM e recuperou a Pistola dele levada pelos bandidos. Carlos Eduardo era o policial responsável pelas filmagens de perseguições da Força Tática do 9º Batalhão e considerado o melhor motorista da PMRN. Com mais esse caso, o Rio Grande do Norte já contabiliza a morte de 14 agentes de segurança, sendo 12 policiais militares, um guarda municipal e um agente penitenciário.

Na ação que vitimou o soldado Carlos, um casal de clientes do estabelecimento também foi baleado durante o tiroteio, e socorrido ao hospital.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários