No RN, 16 acidentes de moto por dia acionam seguro DPVAT

Publicação: 2019-07-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Mariana Ceci
Repórter

Na última quinta-feira (4), por volta das 18h30, José Flávio Teixeira já estava a caminho de casa, quando um motociclista que trafegava no sentido oposto perdeu o controle e colidiu com sua moto. José Flávio teve três fraturas expostas, um corte no pé, escoriações e perdeu um dedo, e ainda não se sabe a extensão das possíveis sequelas do acidente. O motorista que colidiu com ele não resistiu, e morreu no local.

Do total de pessoas indenizadas pelo Seguro DPVAT em 2018, 83,4% se envolveram em acidentes de motocicleta que aconteceram, principalmente, entre 17h e 19h59
Do total de pessoas indenizadas pelo Seguro DPVAT em 2018, 83,4% se envolveram em acidentes de motocicleta que aconteceram, principalmente, entre 17h e 19h59

No ano de 2018, 7.126 pessoas foram indenizadas no Rio Grande do Norte pelo Seguro DPVAT, que oferece cobertura para todas as vítimas de acidentes de trânsito do país. A maioria, como José Flávio, são homens (78%), envolvidos em acidentes de motocicleta (83,4%) que acontecem, principalmente, ao anoitecer, entre as 17h e 19h59 (23,6%). O RN supera a média nacional de acidentes de motocicletas que, no Brasil, correspondeu a 75% das indenizações pagas em 2018. São, em média, 16 acidentes de motocicleta que necessitam do acionamento do DPVAT por dia no Estado.

Os dados fazem parte do Relatório Anual 2018 da Seguradora Líder-DPVAT, que detalham o perfil das mais de 320 mil indenizações que foram pagas durante o ano no país, nos três tipos de cobertura assegurados: Morte, Invalidez Permanente e reembolso de Despesas de Assistência Médica e Suplementares (DAMS).

Deitado em sua maca no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, onde se encontra desde o dia do acidente, José Flávio conta que pretende acionar o seguro ao sair do hospital. “Já tinha passado antes por acidente de moto, mas nada grave. Dessa vez, toda minha perna direita está prejudicada”, conta.

Apesar da maior parte das vítimas indenizadas (57,7%) terem sido motoristas, 1.110 passageiros e 1.901 pedestres também acionaram o serviço em 2018. Pelos quartos e corredores do Walfredo Gurgel, o maior do Estado, é comum encontrar nos quartos e corredores pessoas que se recuperam dos acidentes que, na avaliação dos especialistas, vem se tornado um verdadeiro problema de saúde pública no País.

“Os acidentes se tornaram não apenas um problema para o DPVAT ou de custo social elevado, mas passam a fazer com que o contingenciamento hospitalar se transforme em algo angustiante”, afirma o chefe de cirurgia geral do HGW, Ariano Oliveira.

De acordo com ele, a quantidade de acidentes que chega diariamente ao hospital praticamente impossibilita a otimização dos recursos planejada. “Não conseguimos dar vazão, porque há muitos pacientes, e a maioria deles está aguardando cirurgias em outros hospitais, fora da rede hospitalar pública e que dependem muitas vezes de leitos e centros cirúrgicos disponíveis. Aí, você começa a acumular: 40, 60 pacientes, a maior parte deles aguardando cirurgia ortopédica”.

Josinaldo de Lima é um dos que aguarda data para cirurgias
Josinaldo de Lima é um dos que aguarda data para cirurgias

O motorista Josinaldo de Lima, de 58 anos, é um dos que aguarda, no Hospital, uma data para suas cirurgias. Josinaldo sofreu o acidente de moto na última sexta-feira (5), quando saiu de sua casa em Goiaininha para comprar uma peça para seu carro. Já perto de casa, caiu em um buraco, e quebrou os dois ombros e a clavícula, e precisará fazer ao menos duas cirurgias.

Perfil de indenizações DPVAT no RN

328.142 foi o número de indenizações pagas no Brasil em 2018 pelo Seguro DPVAT

7.126 indenizações foram pagas no Rio Grande do Norte em 2018

16 acidentes de motocicleta necessitam do acionamento do DPVAT, por dia, no Estado

83,4% dos indenizados se envolveram em acidentes de motos (no País índice é de 75%, apesar do tipo de veículo corresponder a apenas 27% da frota nacional)

16º lugar é a posição ocupada pela capital potiguar em relação às outras do País em quantidade de indenizações. Entre as capitais do Nordeste, Natal está na 6ª posição.

78% das vítimas são homens, e 22% são mulheres

2.032 (28,5%) dos acidentados são pessoas com idade de 18 a 24 anos

23,6% dos acidentes ocorrem entre 17h e 19h59



Fonte: Relatório Anual 2018 da Seguradora Líder-DPVAT







continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários