No RN, comemorações de São João serão em casa

Publicação: 2020-06-24 00:00:00
Tales Lobo
Repórter  

Dia 24 de junho, dedicado no calendário católico ao São João, é sinônimo de calor humano, especialmente no Nordeste. Em 2020, a festa mais tradicional da Região foi diretamente impactada pela pandemia de covid-19, que já tirou a vida de mais de 50 mil brasileiros. Sem as fogueiras, as famosas quermesses com comidas típicas e os concursos de quadrilhas que reúnem multidões, a população tenta se contentar com apresentações de música e celebrações virtuais. Enquanto isso, o comércio também sente o impacto da suspensão das grandes festas juninas. 

Créditos: Adriano AbreuMesmo sem as festas juninas, procura por milho aindafoi grande e garantirá festejos em casaMesmo sem as festas juninas, procura por milho aindafoi grande e garantirá festejos em casa


A Paróquia de São João Batista, no bairro de Lagoa Seca, realiza anualmente uma das mais tradicionais festas de Natal, com quermesse e uma série de eventos que atraem fiéis de toda a capital. Durante a pandemia, a celebração é feita somente com missas virtuais, exibidas nas redes sociais. Pároco da igreja, o padre Marcelo Cezarino fala sobre um “vazio pastoral” com as condições da celebração deste ano.

“A Paróquia tem 57 anos e tem essa tradição desde o tempo do Padre Pio, aqui no bairro de Lagoa Seca. Contamos sempre com a quermesse, com feijoada, com festival de prêmios, e este ano a gente não tem nada disso. É um vazio pastoral nunca experimentado na vida. A gente celebra diante das câmeras, com todo o amor do mundo, mas é uma experiência diferente, uma experiência invisível. A razão do nosso ministério é atender o povo. Essa química que a gente tem com o povo é que faz falta”, lamentou o padre.

Segundo a Arquidiocese de Natal, as missas virtuais serão transmitidas através das redes sociais das paróquias de Lagoa Seca e da Vila de Ponta Negra. Também haverá celebração nas igrejas dos municípios de Pendências, Arez, Praia de Pitangui e Montanhas. Todas as missas estão previstas para as 19h desta quarta-feira, 24.
 
Cultura
Com os concursos suspensos por conta das restrições de circulação de pessoas, membros das tradicionais quadrilhas juninas procuram assistir vídeos das apresentações anteriores para atualizar o repertório, e realizar ensaios fotográficos para manter vivo o clima de São João. Dançarina desde 1995 e noiva da quadrilha ‘Junina São João’ há quatro anos, Najara Mara diz que mesmo com as adaptações, não há como não sentir falta da energia de uma apresentação com público.

Créditos: CedidaNajara, noiva da Junina São João, lamenta ano semfestivais de quadrilhaNajara, noiva da Junina São João, lamenta ano semfestivais de quadrilha


“Não tem como comparar a energia que a gente sente dentro das quadras, com as arenas lotadas, com todo aquele público. Por mais que a gente tente estar junto das pessoas virtualmente, não é a mesma coisa do calor humano. Não dá pra substituir. Dentro dos grupos (de quadrilhas) é puro saudosismo, lembrando do que vivemos recentemente”, declarou a noiva saudosa. 

No Instagram, o projeto ‘Nosso São João’ realiza edições virtuais das festas mais tradicionais de Natal neste período. Destaque para o aHAYá Virtuá 2020 (@ahayaderua) e o Arraiá do Outro Par (@arraiadooutropar), que também promovem campanhas de solidariedade. 

Comércio
Sem as grandes festas juninas, vendedores de milho, matéria prima para as principais comidas típicas do período, revelam queda na procura pelo alimento, mas menos acentuada do que o esperado. “Está saindo muito milho, o pessoal está procurando bastante. Um pouco menos que o ano passado”, citou Luiz Romualdo, ou Luiz do Milho, que vende há anos na rotatória da avenida das Alagoas, em Neópolis, zona Sul de Natal.

A tendência é confirmada pelos agricultores do Estado. “Achávamos que teria uma queda de 50% em relação ao ano passado, mas vamos chegar muito próximo. Acho que teremos uma queda de 20%, no máximo. Já vendemos 700 mil espigas de milho, devemos chegar a um milhão neste mês. Em todo o mês de junho de 2019, vendemos 1,3 milhão de espigas”, afirmou Fátima Torres, diretora da Cooperativa Central da Agricultura Familiar (Cooafarn), que administra a Central de Comercialização da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Estado do Rio Grande do Norte (Cecafes).

Programação
Missas transmitidas às 19h através das redes sociais
- Paróquia de São João Batista – Lagoa Seca 
- Paróquia de São João Batista – Vila de Ponta Negra (haverá carreata com a imagem de São João Batista pelas ruas do bairro, às 16h)
- Paróquia de São João Batista – Praia de Pitangui
- Paróquia de São João Batista – Pendências
- Paróquia de São João Batista – Montanhas
- Paróquia de São João Batista – Arez