Cookie Consent
Brasil
Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil somam 9 casos suspeitos de coronavírus
Publicado: 00:00:00 - 30/01/2020 Atualizado: 22:46:56 - 29/01/2020
O Ministério da Saúde divulgou na tarde desta quarta-feira, 29, durante coletiva de imprensa, a existência de nove casos suspeitos de infecção pelo coronavírus no Brasil, mas sem confirmação de nenhum deles. Entre os possíveis infectados estão três pacientes da cidade de São Paulo, dois deles são crianças;  dois em Santa Catarina; e um  em Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e Ceará. Outros quatro casos suspeitos foram descartados: três no Rio Grande do Sul e um no Paraná.

Gustavo Frasão/MS
Técnicos do Ministério da Saúde detalharam novos números dos casos suspeitos no Brasil em coletiva de imprensa nesta quarta, 29

Técnicos do Ministério da Saúde detalharam novos números dos casos suspeitos no Brasil em coletiva de imprensa nesta quarta, 29

Técnicos do Ministério da Saúde detalharam novos números dos casos suspeitos no Brasil em coletiva de imprensa nesta quarta, 29

Na terça-feira, o ministério havia divulgado a ocorrência de três casos suspeitos: em Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba. Os dois casos das capitais gaúcha e paranaense já foram descartados. O caso mineiro segue em apuração. Todos os dias, às 16h, o Ministério da Saúde lançará boletins atualizando o total de casos suspeitos os possivelmente confirmados no Brasil.

No total, a pasta foi notificada de 33 casos, mas 20 foram excluídos por não se enquadrarem nos critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS). Apenas pacientes que apresentam sintomas como febre, tosse e dificuldade para respirar e têm histórico de viagem para a China nos últimos 14 dias, mesmo antes de apresentarem os possíveis sinais de infecção, são considerados suspeitos.

Os pacientes que estão sob investigação estão sendo monitorados e ficarão isolados até a divulgação do resultado dos exames. Outros quatro 4 casos foram descartados pelo governo.

Codern debate proteção de portos
A Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), responsável pela administração do Porto de Natal e Terminal Salineiro de Areia Branca no Rio Grande do Norte, realizou uma reunião, na tarde desta quarta-feira para discutir protocolos preventivos ao Coronavírus, com o objetivo de reforçar as medidas de preparação, orientação e controle para um possível atendimento de casos suspeitos. 

Participaram da reunião, o Diretor-Presidente da Codern, Elis Treidler Öberg e representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), da Secretaria Estadual de Saúde Pública, da Polícia Federal, da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte e do Hospital Naval de Natal.

Anvisa amplia monitoramento
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mudou a composição do Grupo de Emergência em Saúde Pública criado para monitorar e conduzir no âmbito da agência as ações referentes ao novo coronavírus. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o novo coronavírus já matou 132 pessoas e infectou mais de 6 mil em pelo menos 18 países.

Instituído na terça-feira, 28, por meio de portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU), o grupo inicialmente teria como integrantes o adjunto de Diretor da Primeira Diretoria; um assessor da Terceira Diretoria; o gerente-geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados; o gerente de Controle Sanitário de Produtos e Empresas em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados; o coordenador de Imprensa e Comunicação; e o assessor-chefe do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária.

Nesta quarta-feira, 29, no entanto, a agência fez uma retificação, e a equipe da Anvisa que tratará da crise será formada por representantes do gabinete do diretor-presidente da Anvisa; Gerência-Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados; Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde; Assessoria de Comunicação; e Assessoria do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária. Além disso, caso necessário, poderão ser convocados, a qualquer momento, representantes das demais áreas de atuação da Anvisa. O grupo de emergência terá prazo de duração indeterminado.

OMS convoca reunião de emergência
A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu convocar para esta quinta-feira, 30, uma reunião de emergência para decidir se declara o surto de coronavírus uma emergência global de saúde pública. "Essa emergência se deve à evidência de aumento dos casos", afirmou o diretor executivo da entidade, Michael Ryan, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 29, em Genebra, na Suíça.

A OMS informou que 68 casos foram reportados fora da China, onde o vírus se originou, em 15 países. Ao todo, 132 morreram em decorrência da doença, todos no país asiático. Para a entidade, é importante que países que ainda não relataram casos estejam preparados para identificá-los. “O contínuo aumento dos casos é uma fonte de preocupação", disse o diretor-geral, Tedros Adhanom.

A organização informou que foram relatados casos de contágio em hospitais na China e que é essencial administrar a situação em Wuhan, epicentro da doença. Ainda segundo a OMS, é muito cedo para estabelecer a taxa de mortalidade do coronavírus.

Comprometimento
A OMS elogiou a resposta da China ao surto de coronavírus. Na entrevista coletiva, a entidade informou que o país asiático tem sido transparente no compartilhamento de informações, tanto interna quanto externamente, em contraste com o comportamento observado durante a epidemia de SARS, em 2003.

“Estamos impressionados com o comprometimento do governo chinês", afirmou Michael Ryan.

A organização também revelou que vai enviar uma delegação de especialistas a Wuhan para avaliar a situação da doença, mas ponderou que o grupo vai trabalhar em coordenação com os chineses. “Acreditamos que essa corrente de contágio ainda pode ser interrompida", afirmou.

Casos aumentam em Pequim
Pequim confirmou nesta quarta-feira, 29, mais nove casos confirmados de contaminação por coronavírus, elevando para 111 o número de infectados na cidade, informa o jornal chinês Global Times. Em Hong Kong, de acordo com o jornal South China Morning Post, 10 casos já foram confirmados, dois deles nesta quarta-feira.

TYRONE SIU
Coronavirus

Coronavirus

Chineses tentam se proteger da doença que se alastra rápido

O número de pessoas infectadas na China já passou dos seis mil, superando o total registrado durante a crise da Sars, entre 2002 e 2003, que foi de 5.327. Segundo a TV chinesa CGTN, já são 6.078 os infectados no país asiático. As mortes permanecem em 132. Globalmente, as contaminações por coronavírus já foram confirmadas em 15 países, além da China.

A companhia aérea British Airways anunciou nesta quarta que cancelou seus voos com destino à China continental. A United Airlines informou na terça que decidiu suspender rotas para o país. Também a alemã Lufthansa decidiu nesta quarta-feira suspender seus voos para e da China até o dia 9 de fevereiro.

Paraná descarta suspeita
A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná descartou na manhã desta quarta-feira, 29, que um paciente internado em Curitiba esteja infectado com o novo coronavírus. O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, disse que o paciente está com o vírus da influenza B.

O homem, de 29 anos, esteve na China nos últimos dias. Ele foi a Curitiba a trabalho e procurou assistência médica em um hospital privado, onde permanecia internado em área isolada para a realização de exames.

O Ministério da Saúde continua monitorando um paciente em Belo Horizonte e outro em Porto Alegre, com suspeita da doença. A atualização de casos deve ser feita ao longo do dia. Nenhum caso foi confirmado no Brasil.







Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte