Nosso olhar social

Publicação: 2017-07-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Carlos Eduardo
Prefeito de Natal

Entendo que a nossa responsabilidade social deva ser um processo contínuo e de melhoria da gestão na sua relação com os cidadãos, com as comunidades, com a cidade como um todo. Por isso mesmo, em termos de políticas sociais a administração municipal busca o grau máximo de comprometimento e responsabilidade, de envolvimento e do desenvolvimento de práticas de intervenção muito acima do caráter puramente assistencialista, visando reduzir ou eliminar as desigualdades e, assim, potencializar a melhoria da qualidade de vida dos que fazem a nossa cidade.

Foi nessa linha que no ano passado reestruturamos os Centros de Referência em Assistência Social – CRAS. Hoje Natal conta com 12 unidades, que dão acompanhamento, em média, a 4.300 famílias. E prosseguimos em nossas ações nesse campo. Nosso cadastro do programa Bolsa Família já conta com 84.551 famílias, das quais 43.084 são beneficiárias do programa. Este ano já fizemos 17.640 atendimentos. De outro modo, implementamos  uma residência inclusiva para jovens e adultos com deficiência e que não dispõem de condições de sustentabilidade ou tenham vínculos familiares rompidos.

Nosso olhar sobre o tema foi além. O programa Sopa Solidária atende semanalmente 5 mil    pessoas em 11 bairros, totalizando 20 mil pratos/mês. Mas as ações de segurança alimentar não foram apenas assistenciais. A Prefeitura orienta regularmente as comunidades sobre a melhor maneira de manipular os alimentos e também sobre as ações para evitar o desperdício. Complementa os programas desenvolvidos nessa área o apoio à feira do agricultor familiar do Ponto Sete em Ponta Negra e da Praça das Flores em Petrópolis e ainda a estruturação de uma cozinha comunitária.

Para aqueles que perderam os vínculos familiares e precisam de apoio, a Secretaria de Trabalho e Assistência Social mantém o Centro Especializado para População de Rua, que oferece alimentação, higiene pessoal, encaminhamento para capacitação profissional e assistência psicológica. A esse serviço soma-se o Albergue Municipal, atualmente capacitado para atender 58 pessoas por noite, oferecendo duas refeições aos frequentadores.

Para enfrentar o alarmante quadro de desemprego que assola o país, as duas unidades do Centro Público de Trabalho e Renda, do Alecrim e da Cidade Alta, criadas em nossa gestão passada, atenderam  no ano passado 10.174 pessoas no programa de Intermediação de Mão de Obra. Já no programa Qualificar Natal, foram assistidas 3.307 pessoas em 188 cursos profissionalizantes. Também estamos expandindo o programa de inclusão digital por meio dos telecentros comunitários e mantemos 2 centros de convivência para atender 744 idosos, além dos grupos de convivência que abrangem outras 1.947 pessoas. Para atender crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, o Serviço Especializado em Abordagem Social atua nas 4 regiões administrativas. A Semtas ainda oferece serviço de proteção para pessoas com deficiência, bem como a suas famílias, para promover autonomia e inclusão social. Finalmente, nos lançamos ao enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes por meio de ações socioeducativas, palestras, seminários e oficinas nas 4 regiões administrativas da cidade.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários