Cookie Consent
Natal
Notificações de Influenza no RN caem 78% este ano
Publicado: 00:00:00 - 30/03/2016 Atualizado: 00:07:05 - 30/03/2016
O Rio Grande do Norte segue - pelo menos por enquanto - fora da lista de estados que enfrentam um surto da gripe Influenza A/H1N1. Este ano, apenas nove casos suspeitos do vírus Influenza (H1N1) foram notificados, o que  representa uma redução de 78% em relação ao mesmo período do ano passado, que teve 41 notificações. A informação é da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), que divulgou os dados relativos ao período compreendido entre as semanas epidemiológicas de 01 a 12 (3 de janeiro a 26 de março).
Campanha de vacinação contra o Influenza começa dia 1º de abril
Até o momento, a Sesap confirmou um dos 9 casos e um óbito causado pela gripe H1N1, que vitimou uma jovem de 15 anos, residente no município de Lagoa Nova, que deu entrada no hospital no dia 27 de fevereiro deste ano e faleceu no dia 10 de março. Até o momento, o mês de maior casos suspeitos notificados foi março, com quatro das nove notificações.

No país, 305 casos foram registrados do início de janeiro em  até o dia 19 de março deste ano, com 46 mortes confirmadas.A região Sudeste segue com o maior número de casos da doença, num total de 266, dos quais 260 em São Paulo, três no Rio de Janeiro e outros três em Minas Gerais. Na sequência vem a região Nordeste, com 10 casos na Bahia, cinco do Pernambuco e um no Ceará.

Com este cenário, a vacinação dos grupos de risco será antecipada em São Paulo. Na última segunda-feira (28), o Ministério da Saúde anunciou que a antecipação da vacinação será feita em todos os estados que solicitarem vacinas, que são oriundas lote de 2015. Até sexta-feira (1º) o estado de São Paulo já deve receber as vacinas extras, enquanto para os demais estados o prazo vai até a próxima segunda-feira (4).

No RN, o grupo prioritário (que inclui idosos, crianças, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas e indígenas) é de 666.632 pessoas. Destes, 549.479 foram imunizados na campanha de 2015, um total de 82,43%, de acordo com dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (Sipni).

Diante do panorama nacional, a campanha de vacinação contra a H1N1, que começa dia 30 de abril, ganha importância ainda maior. Ao todo, serão quase 25,6 milhões de doses, que começam a ser enviadas para os estados no dia 1º de abril. O Ministério da Saúde informou que não é possível adiantar a campanha de vacinação, porque os laboratórios que produzem a vacina não tempo suficiente para adiantar a produção.

Ainda segundo Ministério, mesmo aqueles que tomarem a vacina antecipada, do lote de 2015, deverão tomar também durante a campanha de 2016, uma vez que a vacina do ano passado protege apenas contra a H1N1, enquanto a nova vacina também atua contra outros dois tipos do vírus, o H3N2 e o Influenza B. A expectativa é que 80% da população de risco seja imunizada na campanha, que acontece até o dia 20 de maio.

Para a maioria dos infectologistas, o surto deveria ter iniciado só em meados de junho de 2016, quando tem início o inverno no Hemisfério Sul. A explicação para a “antecipação” da doença pode estar no Hemisfério Norte, onde países como os Estados Unidos enfrentam o problema. Brasileiros que viajaram para essas regiões podem ter trazido o vírus de forma antecipada, causando o surto na região Sudeste.

Prevenção
Lavar as mãos com água e sabão, especialmente após tossir ou espirrar.
Ao tossir ou espirrar, cobrir a boca com lenço descartável.
Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.
Lavar as mãos com frequência e não levar as mãos sujas aos olhos, nariz e boca.
Pessoas com qualquer gripe devem evitar ambientes fechados e com aglomerações

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte