Nova base curricular se adequa às exigência do mercado de trabalho

Publicação: 2020-02-22 00:00:00
A+ A-
As escolas de todo o país têm uma novidade a mais neste ano letivo. São as novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). As regras que definem os conhecimentos essenciais que todos os alunos da Educação Básica devem receber vai além das tradicionais matérias como o português e a matemática. Ela também contempla as competências socioemocionais, de forma a melhor preparar o jovem para a vida e para o mercado de trabalho. Por meio dessas competências, espera-se que o aluno desenvolva o senso crítico e de cooperação, além da empatia, da responsabilidade e da resiliência e determinação para tomar decisões com base em princípios democráticos, inclusivos, solidários e sustentáveis, tidos como exigências atuais do mercado profissional.

Créditos: DivulgaçãoMorgana Batistella afirma que mudança na BNCC visa preparar os jovens para o atendimento da demanda do mercado de trabalhoMorgana Batistella afirma que mudança na BNCC visa preparar os jovens para o atendimento da demanda do mercado de trabalho


"A mudança na BNCC visa preparar os jovens para o atendimento da demanda do mercado de trabalho. As empresas cada vez mais têm em seus critérios de seleção os aspectos socioemocionais, tanto ou até mais que os aspectos técnicos. A chamada inteligência emocional é fundamental para quem deseja ingressar, permanecer e evoluir no ambiente corporativo", destaca Morgana Batistella, gerente do programa Líder em Mim. O programa estrutura, organiza e aplica metodologia do currículo socioemocional em escolas e acompanha alunos e educadores na construção dessa formação.

Preparo para profissões do futuro

Além da exigência ao perfil de profissional pelo mercado de trabalho, o aprendizado das competências socioemocionais é fundamental para preparar os jovens de hoje justamente para profissões do futuro. De acordo com dados da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), em 2030, cerca de 65% dos alunos do ensino fundamental I atuarão em profissões que ainda não existem.

"Essas habilidades permitem que o aluno consiga entender e agir de forma mais preparada diante dessa volatilidade, incerteza e complexidade da sociedade moderna", afirma Morgana.

Para se adequar às exigências da nova BNCC ligadas às competências socioemocionais, as escolas estão buscando cursos e programas especiais. Um desses programas é o Líder em Mim, que trabalha nos alunos características de autonomia e responsabilidade, empatia e cooperação, além de autogestão, autoconhecimento e autocuidados, todas competências de caráter socioemocional abrangidas na nova Base Nacional Comum Curricular.






Deixe seu comentário!

Comentários