Informe Publicitário
Nova Escola Potiguar fortalece educação do RN com R$ 400 milhões
Publicado: 00:00:00 - 31/10/2021 Atualizado: 09:49:23 - 30/10/2021
Reformas e ampliações de 160 unidades escolares, aquisição de equipamentos, capacitação de profissionais e o mais importante: a construção de 12 institutos estaduais de educação profissional e 10 novas escolas que serão o início da revolução da educação do Rio Grande do Norte. São esses os objetivos do Programa Nova Escola Potiguar, anunciado pelo Governo do Estado com um investimento de R$ 400 milhões, maior aplicação de recursos na Educação da história do Estado.
Governo do RN
No lançamento do Programa, Fátima Bezerra destacou que as ações estruturantes significam um novo ciclo na educação do RN

No lançamento do Programa, Fátima Bezerra destacou que as ações estruturantes significam um novo ciclo na educação do RN

As ações estruturantes significam um novo ciclo na educação do estado do Rio Grande do Norte, segundo a governadora Fátima Bezerra. "Quis o destino que uma professora comprometida, que se inspira em Paulo Freire e que defende uma educação de libertação, assumisse o Governo do Estado para realizar iniciativa deste porte", afirmou Fátima Bezerra no ato de lançamento do programa.

O “Programa Nova Escola Potiguar” (PNEP) contempla a criação do Instituto Estadual de Educação Profissional, Tecnologia e Inovação do Rio Grande do Norte (IERN), com 12 unidades em municípios já definidos. As escolas terão conceitos arquitetônicos leves e sustentabilidade ambiental, com reuso de água e energia solar, e irão se basear no conceito já consolidado dos IFRNs. Haverá também adequações nos atuais 11 Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEP), que serão transformados em IERN; construção de 10 novas escolas estaduais; reforma em 60 unidades estaduais de ensino adequações em outras 100 escolas. 

“Pedagogicamente, a nova BNCC propõe para o ensino médio e ensino fundamental mudanças na proposta pedagógica que permitam o ensino com significado mais atrativo para os estudantes, sempre mediado pelos professores e mais monitorado pelos gestores com metodologias ativas nas escolas que permitam a construção do conhecimento coletivo por meio de projetos, pesquisas, tecnologias sociais, empreendedorismo, feiras e inovação (robótica, automação)”, explica o secretário Getúlio Marques.

Outro eixo do projeto é a implantação do “Geração Conectada” (GC) - iniciativa que reunirá programas pedagógicos com foco na inovação e no uso das TICs; capacitação dos profissionais em educação; compra de mobiliários, equipamentos de tecnologia da informação para modernização da gestão escolar, com adoção de ferramentas e metodologias que contribuam no fluxo das atividades pedagógicas e administrativas; compra e manutenção de veículos para transporte escolar e efetivação de políticas públicas de combate e superação do analfabetismo.

“Todas as Escolas Estaduais do Rio Grande do Norte receberão Internet Banda Larga. Serão preparadas e cabeadas para que a Internet seja utilizada em qualquer parte da unidade de ensino. Estão sendo adquiridos equipamentos como notebooks e chromebooks, laboratórios de informática e rádio dedicado, para alunos da zona rural e em condições de vulnerabilidade”, explica o secretário de Educação do RN, Getúlio Marques.

Projeto terá R$ 110,5 mi em recursos próprios

Parte do Nova Escola Potiguar terá recursos próprios do Estado e isso é possível em função do aumento de arrecadação obtido com a política de gestão fiscal e financeira estabelecida a partir de 2019, permitindo a aplicação de R$ 60 milhões em ações de apoio tecnológico e valorização profissional docente, acrescido de R$ 50,5 milhões, a serem aplicados nas ações de infraestrutura física no ano de 2022 (manutenções). A outra parte dos recursos investidos vem do antigo Fundef, recebidos pelo Estado a partir de uma ação judicial que tramitou por 18 anos contra o Governo Federal. Os recursos, no montante de R$ 280 milhões, são referentes à diferença que o Governo Federal não repassou quando da transformação do Fundef no atual Fundeb.

"Quando assumi o governo pedi à Procuradoria Geral do Estado que desse todo foco nesta ação porque sabia da importância. Fui ao ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, e disse das dificuldades do Estado e que o dinheiro faria muita diferença. O ministro foi muito sensível e, uma semana após, o processo foi finalizado e os recursos chegaram para o RN", disse Fátima Bezerra, que, como deputada federal atuou fortemente para a criação do Fundef e na transformação em Fundeb. "Emoção e satisfação tomam conta do coração desta professora porque o PNEP é o maior investimento na educação na história do RN". 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte