Nova gestão aposta em automatização

Publicação: 2019-05-26 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A nova gestão do INSS aposta em três frentes para tentar diminuir as filas de benefícios em análise: incentivo aos servidores para agilizar o serviço, automatização de benefícios e o sistema de trabalho remoto para grupos de funcionários. Na primeira entrevista que concedeu à imprensa quando assumiu o cargo de presidente, Renato Rodrigues Vieira afirmou que a prioridade era digitalizar o órgão e diminuir a burocracia.

À BBC News Brasil, o presidente do INSS ainda afirmou que a responsabilidade dos atrasos e a solução não é apenas “do serviço público”. “Não podemos nos tornar dependentes de forma analógica de trabalho. Se o INSS continuar fazendo o que já faz, com a mesma metodologia analógica, vamos ter que repor, duplicar e triplicar (a quantidade de funcionários)”, argumentou. “Não dá para fazer trabalho manual de processo por processo”.

Renato Rodrigues Vieira, presidente, quer automatização
Renato Rodrigues Vieira, presidente, quer automatização

A primeira medida foi a de incentivo aos servidores. Em janeiro, o presidente Jair Bolsonaro publicou uma medida provisória para o pagamento de bônus aos servidores para agilizar a análise de processos. A medida depende da aprovação do Congresso Nacional para entrar em vigor – por mais que medidas provisórias entrem em vigor a partir da publicação, esse ponto depende da alteração nas leis do Orçamento.

A automatização, por outro lado, está prevista para iniciar até dezembro. A ideia de Vieira é que esses serviços se tornem digitais e o cidadão possa apresentar os documentos necessários para ter o benefício pelo próprio celular, no aplicativo Meu INSS. O próprio aplicativo vai realizar a análise – no caso de alguns benefícios – e aprovar ou rejeitar em minutos.

A partir de julho, os serviços digitais já serão expandidos nos sites, aplicativos e através do número de atendimento telefônico 135. As agências serão utilizadas somente para complementação de documentos nos casos necessários ou para fazer perícia para auxílio-doença, com o agendamento na internet. Segundo a afirmação do secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luís Felipe Monteiro, à Agência Brasil, todos os requerimentos e serviços do INSS estarão nos canais digitais.

Essa digitalização possibilita o trabalho remoto. Com a efetivação disso, os processos poderão ser analisados de qualquer parte do Brasil por grupos especializados de servidores, acelerando o fluxo de análise. Segundo Vieira, a expectativa é que isso aumente em 30% a produtividade dos servidores e também dificulte possíveis fraudes porque a análise ficaria “cada vez mais impessoal e desterritorializada”.

Além de atendimento presencial, os cidadãos podem recorrer a outros canais

O cidadão pode ter acesso aos serviços do INSS por três canais:
Atendimento físico por ordem de chegada (8h – 12h) ou agendamento (13h – 17h)
Número telefônico 135
Meu INSS (site ou aplicativo)

Meu INSS

Atualmente, é possível realizar os seguintes serviços pelo Meu INSS. Esses serviços, de acordo com o órgão, representavam uma
média de 70 atendimentos presenciais por mês:

Revisão

Quando o segurado não concorda com o valor do benefício

Recurso

Quando o segurado não concorda com a decisão do INSS em relação ao pedido feito

Cópia do processo
O segurado pode ter acesso à cópia do processo pelo aplicativo Meu INSS

Futuro

Até julho, o presidente do INSS também anunciou os seguintes serviços também serão possíveis de ser feitos por meio online:
Aposentadoria por tempo de contribuição
Aposentadoria por idade
Salário maternidade

















continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários