Nova vitória

Publicação: 2020-07-09 00:00:00
A+ A-
O empresário Antônio Leite Jales, que é conhecido como Toinho da Ster Bom, em uma referência à empresa que fundou e lidera, deixou ontem o hospital, ao receber alta por ter vencido a covid-19. Reconhecido no meio empresarial pela capacidade empreendedora e visão de futuro, Toinho conquistou esse notoriedade ao conduzir uma empresa que hoje é uma das maiores indústrias de alimentos do Rio Grande do Norte, além de chegar aos demais estados do Nordeste e outras regiões do país. Gera quase mil empregos diretos e milhares de indiretos, está em constante atualização, motiva e capacita seus colaboradores, investe constantemente na modernização dos equipamentos e utiliza energia renovável. A mais nova vitória de Toinho, ao superar a covid, foi, por tudo isso, motivo de alegria entre os que acompanham essa trajetória de sucesso empresarial. 

Recesso suspenso
Os deputados estaduais confirmaram a suspensão do recesso parlamentar de julho, previsto no regimento interno da Assembleia Legislativo. A votação do requerimento apresentado pelo deputado Gustavo Carvalho (PSDB) foi na sessão remota por videoconferência de ontem e teve o apoio dos demais parlamentares, por entenderem a necessidade de continuidade dos trabalhos. Também foram aprovados os decretos municipais de calamidade pública para Governador Dix Sept Rosado e Várzea.

Antecedentes 
A decisão de suspender o recesso havia sido definida anteriormente em reunião de líderes e da Mesa Diretora. O recesso parlamentar segue padrão regimental do Congresso Nacional e estava previsto para ocorrer neste ano no período de 18 a 31 de julho. Com a suspensão do recesso, as sessões ordinárias, reuniões e atividades das comissões parlamentares continuam normalmente de forma remota.

“Empresas corujas”
Durante sessão remota da Assembleia Legislativa, ontem, o deputado estadual Tomba Farias (PSDB) apontou que a governadora Fátima Bezerra estaria “aproveitando a pandemia do Coronavírus para fazer dispensa de licitação e contratar o que chamou de empresas corujas, aquelas que aparecem na ‘calada da noite’”. Tomba Farias criticou ainda o fato de o governo estadual anunciar a abertura de UTI’s que não existem no interior do estado. “Mas nós não podemos falar, pois nos acusam de estar fazendo politicagem com a pandemia”, ironizou. O parlamentar referiu-se a uma dispensa de licitação feita pelo governo estadual, que beneficiou uma empresa aberta em abril de 2019, com um contrato superior a R$ 8,5 milhões, destinado a contratação de seis ambulâncias tipo UTI para transportar pacientes com a Covid-19. “Além disso, não há nenhum veículo registrado no nome dessa empresa no Detran”, disse o parlamentar.

Pacto pela vida 
O deputado estadual Vivaldo Costa (PSD) pediu “união e a paz na política” para o enfrentamento dos desafios pelos quais passa o Estado no atual momento. “Venho dizendo isso desde o primeiro dia das nossas sessões remotas. Esse é o caminho”, opinou Vivaldo. Ele elogiou a iniciativa da governadora Fátima Bezerra em promover o programa “Pacto Pela Vida”.  “Eu já entrei no armistício para ajudar a salvar o povo do Seridó. Tanto que todas as minhas emendas foram remanejadas para Caicó, a fim de atender o Hospital Regional”, comentou.

PEC 
Ao falar sobre a proposta de reforma da Previdência enviada pelo governo estadual, o deputado José Dias (PSDB) disse que o projeto original penaliza os servidores mais humildes e não soluciona o déficit atual do sistema previdenciário. “Não irei votar contra a PEC da Previdência, mas contra a que não serve ao Estado e principalmente penaliza quem não pode ser mais penalizado. E não voto por hipótese alguma sem que seja de forma presencial. Se os deputados que formam a base do governo não se convencerem de que ainda há possibilidade para um acordo, eu voto contra”, afirmou José Dias.

Pedido rejeitado 
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, negou um pedido apresentado pela defesa da militante Sara Giromini para afastar o ministro Alexandre de Moraes do inquérito que apura o financiamento e organização de atos antidemocráticos. Os advogados da ativista bolsonarista, que é investigada no caso e chegou a ser presa preventivamente por determinação de Alexandre, alegam suspeição do ministro. Na prática, se fosse aceito, o pedido implicaria na anulação de todas as medidas determinadas no curso das investigações, incluindo provas obtidas em computadores, celulares e documentos apreendidos em endereços ligados a apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.