Novas histórias sobre a Segunda Guerra

Publicação: 2019-03-27 00:00:00
A+ A-
Yuno Silva
Repórter

“A participação do Rio Grande do Norte na Segunda Guerra Mundial” ainda rende, e muito! A cada remexida em arquivos e documentos, surgem novas memórias, detalhes e curiosidades sobre esse período importante para a história mundial que as cidades de Natal e Parnamirim ainda não souberam preservar nem tirar algum proveito turístico e/ou museográfico. Foi aqui, nessa esquina continental, no início da década de 1940, onde mascaram o primeiro chiclete, beberam o primeiro chope de máquina, vestiram a primeira calça jeans e jogaram a primeira partida de fliperama da América do Sul.

Créditos: Adriano AbreuEditor José Correia trouxe coletânea de artigos curiosos, Rostand Medeiros sobrevoou um episódio inédito e Leonardo Dantas abordou a engenhariaEditor José Correia trouxe coletânea de artigos curiosos, Rostand Medeiros sobrevoou um episódio inédito e Leonardo Dantas abordou a engenharia
Editor José Correia trouxe coletânea de artigos curiosos, Rostand Medeiros sobrevoou um episódio inédito e Leonardo Dantas abordou a engenharia

Parnamirim, por sua vez, abrigou um dos maiores entrepostos comerciais do planeta na época do conflito; e só aqui no RN era possível comprar meia-calça de nylon – no restante dos países, todo o estoque do tecido sintético criado em 1935 já tinha virado material para fabricação de para-quedas.

A Segunda Guerra se estendeu entre 1939 e 1945, o Brasil se envolveu oficialmente a partir de agosto de 1942, e perceber o que restou do legado norte-americano em terras potiguares exige um olhar atento.

É neste momento, da necessidade do “olhar atento”, que entram em cena três novos motivos para se revisitar aquele momento de efervescência urbana, cultural e social que sacudiram Natal e Parnamirim: a editora Caravela Selo Cultural lança no próximo dia 2 de abril, às 11h, na sede do Sebrae-RN, os três livros que integram a coleção “A participação do Rio Grande do Norte na Segunda Guerra Mundial”.

São três obras independentes, com abordagens diferentes, que se complementam e acrescentam mais 'molho' no que já se sabe. “São livros diferentes sobre a mesma temática, e que trazem informações inéditas sobre o assunto”, assegurou o jornalista, engenheiro civil e pesquisador Leonardo Dantas de Oliveira, coautor do livro “A engenharia norte-americana em Natal na Segunda Guerra Mundial”, que ele assina junto com Osvaldo Pires de Sousa Neto e Giovanni Maciel de Araújo Silva.

Completam a coleção uma coletânea “Observações sobre a Segunda Guerra do Rio Grande do Norte”, reunindo artigos científicos e organizada pelo escritor e editor da Caravela José Correia Torres Neto; e o livro “Sobrevôo: Episódios da Segunda Guerra Mundial no Rio Grande do Norte”, do pesquisador e historiador Rostand Medeiros.

A coletânea, explicou José Correia, reúne textos atuais produzidos por especialistas e estudiosos da UFRN e de outras universidades de outros estados. “Boa parte do material que estamos publicando já vinha sendo organizado e catalogado pelos autores, e quando decidi editar a coleção tivemos seis meses para deixar tudo pronto para impressão”, lembrou o editor, que aproveitou o edital Economia Criativa 2018 do Sebrae-RN para viabilizar o projeto.

“O lançamento da coleção no Sebrae-RN vai coincidir com o lançamento da edição 2019 do edital”, avisou Correia.

Papagaio de guerra
O volume da coletânea organizada pelo editor da Caravela Selo Cultural traz oito artigos científicos e pelos títulos percebe-se que as abordagens buscam ir além do lugar comum. Entre os textos publicados, destaque para “Cabarés em Natal: do esplendor do Cabaré de Maria Boa ao ostracismo do Beco da Quarentena (1942-1950)”, escrito por Jéssica Freire Dalcin, Monique Maia de Lima e Yasmênia Evelyn Monteiro de Barros.

Outros artigos buscam ir mais fundo para instigar a reflexão, como “A busca de um tesouro perdido: o desejo das elites de Natal (RN) em torná-la uma cidade moderna no século 20”, de Giovana Paiva de Oliveira; e “Uma cidade marcada por perdas e sonhos: a Natal da Segunda Guerra Mundial”, de Giovana Paiva Oliveira em parceria com Ângela Lúcia Ferreira e Yuri Simonini.

Já o livro de Rostand Medeiros faz, literalmente, um “sobrevoo” sobre o momento histórico com textos curtos recheados por curiosidades, detalhes e passagens que ainda não tinham sido reveladas.

Relatos e depoimentos se misturam a uma narrativa alicerçada por documentos que comprovam cada afirmação. Medeiros aborda desde a “Influência das tripulações alemãs em Natal”; casos de espionagem; o resgate das primeiras vítimas da guerra em Rio do Fogo, litoral Norte do RN, em 1941; e a presença de “Parnamirim Field” na imprensa internacional.

No tocante às curiosidades, destaque para “A pitoresca história de um papagaio potiguar que voo em combate nos céus da Europa”; e a queda de um avião de guerra modelo Catalina na cidade de Riachuelo, agreste potiguar. O papagaio “Jock”, inclusive, foi notícia em vários jornais e Rostand Medeiros comprova a história emplumada com fac-símile de uma manchete publicada pelo jornal carioca A Noite em 19 de janeiro de 1944 – naquele momento, de acordo com o jornal, “Jock” acumulava 50 horas de voo e havia sido indicado para receber medalha do Exército norte-americano.

“Muitas informações são inéditas, extraídas de documentos e diários que só foram liberados recentemente”, disse Leonardo Dantas, que buscou no diário de obras dos batalhões de engenharia notas sobre o legado deixado pelos norte-americanos na infraestrutura urbana: “Avenidas que até hoje são importantes vias que cortam a capital do RN foram construídas naquela época. A primeira 'pista' de asfalto do Estado foi construída pelos soldados, e ia do Colégio Atheneu em Petrópolis até a base em Parnamirim”.

Nesses diários, também foram colhidos relatos sobre a alimentação e de como era a hora de descanso dos trabalhadores braçais que prestaram serviço para o Exército dos Estados Unidos. “Veio gente de outros estados para trabalhar, pois não tinha mais quem contratar aqui em Natal e Parnamirim para fazer o que eles precisavam”, completou Leonardo.

Serviço
Lançamento da coleção “A participação do Rio Grande do Norte na Segunda Guerra Mundial”, dia 2 de abril, às 11h, na sede do Sebrae-RN em Lagoa Nova. Após o dia de lançamento, os livros estarão disponíveis na livraria Cooperativa Cultural da UFRN.