Novo idioma

Publicação: 2019-03-26 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Itamar Ciríaco/ itamar@tribunadonorte.com.br

Neste final de semana ouvi muitas críticas ao "novo idioma" que vem sendo falado pelos treinadores brasileiros. Pior que isso, pelo que entendi, alguns insucessos estão sendo colocados na conta dessa forma moderna de discurso. Dizem, inclusive que essa seria uma forma elegante de justificar fracassos. Eu mesmo já brinquei e ainda brinco com os neologismos dos técnicos, mas daí a não entender o motivo pelo qual falam assim, afirmar que são incompetentes e que usam palavras difíceis para esconder incompetência, ou desqualificar esses profissionais a distância é grande. Os caras merecem respeito e, em sua grande maioria, utilizam termos criados recentemente porque fazem parte de uma geração que aprendeu e vive o futebol que emerge da ciência, dos estudos da Educação Física e não apenas do dia a dia dos boleiros.

Novo idioma 1
Não estou dizendo que aqueles técnicos raízes, que aprenderam jogando futebol e que depois da aposentadoria assumiram a vaga de técnico saibam menos ou mais que esses jovens profissionais que buscam na ciência apoio para executarem melhor suas tarefas. Na minha opinião um misto das duas coisas é a melhor fórmula. A diferença é que um estudioso da bola vai ganhar experiência trabalhando e pode se tornar um grande treinador. Já o treinador raiz que não se aperfeiçoar com as novas formas de trabalho, ficará estagnado. Ou seja, assim como entre jogadores, não basta ter talento, tem que conhecer as nuances do futebol.

Novo idioma 2
Na realidade, essa reação ao vocabulário dos técnicos é resultado de coisas antigas do futebol. A primeira é o saudosismo, a segunda o pré-conceito e a terceira é a história de que só mesmo os resultados em campo sustentam o treinador. Então, se tiver vencendo, pode falar até em grego que os aplausos surgirão. Ou seja, acabam-se julgando trabalhos pela superficialidade. Esquece-se de dar um passo para trás e observar o que está sendo feito como um todo. Não se observa as condições que são entregues para que os técnicos possam executar melhor o que se propõem a fazer. O resto é pura questão de valência mesmo.

Números
O pesquisador Marcos Trindade fez as contas. A definição dos finalistas do 2º Turno do Campeonato Potiguar pode acontecer apenas na última rodada. No momento, quatro times estão na briga por uma vaga. América com 15 pontos; Potiguar com 12 pontos; Globo com 11 pontos e ABC com 10 pontos. Se o ABC não perder para o Potiguar na próxima quarta-feira, em Natal, a definição dos dois finalistas fica para a rodada final. Se o Potiguar vencer ao ABC, América e Potiguar decidirão o 2º Turno, ficando para a última rodada apenas a definição de quem será primeiro e segundo colocados, e ainda a definição do time rebaixado.

Números 2
Pela Copa do Nordeste a situação do ABC ficou complicada. Além do empate com o Vitória não ter sido bom, os resultados da rodada complicaram tudo para o Alvinegro. Agora, uma possibilidade do ABC se classificar é vencer e torcer para Náutico, CSA e Bahia, dois desses clubes não vencerem. Vamos e convenhamos, o Vitória vencer o Náutico em Salvador é bem possível, mas as dificuldades estão em o CSA perder para o Altos lá no Piauí, ou o Bahia cair para o Sampaio Corrêa, la no Maranhão. Combinação complexa essa, sem contar que, mesmo que o Fortaleza escale reservas (pois já está garantido na próxima fase), o Alvinegro terá que suar a camisa para ganhar lé na capital cearense.

Amadorismo
A Copa da África revelou muitos talentos para o futebol mundial. No entanto, ainda existe muito amadorismo na competição. Nesse final de semana, pelas eliminatórias da competição, dois exemplos deixaram ainda mais claro o baixo nível de profissionalismo. Primeiro, no jogo entre Costa do Marfim e Ruanda, as duas equipes utilizaram uniformes amarelos, confundindo atletas, arbitragem e torcedores. Já na partida entre  Tunísia e África do Sul, realizada no estádio Stade Taïeb Mhiri, na Tunísia, utilizaram um celular para a execução do hino nacional sul-africano. Pior que, durante o hino, eis que alguém resolve ligar para o dono do aparelho, a música é interrompida e todos no estádio passam a ouvir o toque do celular. Gafe internacional.

Meeting
O atleta paralímpico Fernando Fernandes é o segundo nome de abrangência nacional confirmado para o Meeting de Esportes, Marketing e Saúde, que será realizado pela primeira vez em Natal no dia 25 de abril, no Holiday Inn Arena. As inscrições já estão abertas no site. Fernando se junta a o nadador medalhista olímpico Gustavo Borges e mais 60 convidados para debater diversos temas.

Caminho certo
O potiguar Gabriel Veron, revelado pelo Santa Cruz de Natal e que joga atualmente no Palmeiras/SP foi o autor do gol da Seleção Brasileira Sub-17, no empate em 1 a 1 com o Uruguai, no Sul-Americano da categoria. O gol veio depois de uma grande arrancada pela esquerda e um toque inteligente na saída do goleiro uruguaio. Gabriel está no caminho certo para se tornar mais uma estrela do futebol brasileiro. Pode ter certeza que, depois dessa competição, portas se abrirão rumo à Europa.








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários