Novo mercado das Rocas deve ser inaugurado em outubro

Publicação: 2014-08-20 00:00:00
A Secretaria Municipal de de Serviços Urbanos mantém para outubro a inauguração do novo mercado público das Rocas. As obras estão no oitavo mês, dentro do prazo de conclusão de dez meses e estão com 58% finalizadas, segundo a engenheira responsável Kelly Cristina de Oliveira, da empreiteira Arko Construções Ltda, que vem tocando a obra desde 13 de dezembro do ano passado.
Estrutura do ‘Mercado das Rocas’, que tem investimento superior a R$ 3,6 milhões, terá 82 boxes
O secretário Raniere Barbosa disse que está fazendo reuniões quinzenais com a construtora e o prefeito Carlos Eduardo Alves: “Na semana passada, a construtora colocou que poderia ter um atraso, se não tivesse havido um deslocamento da feira que havia, toda segunda-feira, ao lado do  mercado”.

Raniere Barbosa disse que a partir da próxima semana, será feita uma adequação  da feira livre nas áreas adjacentes à praça Irmã Vitória, justamente para que o guindaste possa, pelo lado externo do mercado, fazer  a cobertura do mercado. “Já comunicamos aos feirantes, que até se conclua, volta à normalidade, porque naquela área externa vamos fazer a primeira feira 100% urbanizada, com instalação de tendas removíveis”, disse ele.

Segundo Barbosa, o novo prédio sofreu adequações, pois à medida que as obras foram retomadas, houve a necessidade de remoção de pilares e vigas, com substituição de outros pela deterioração enquanto o projeto ficou paralisado, além de que a tecnologia usada antigamente, não correspondia mais às exigências do atual Código de Obras do município.

“Nós vamos colocar o mercado das Rocas dentro do roteiro turístico da cidade, a fim de potencializar a principal atividade econômica de Natal, além de trabalhar a parte hortigranjeira, praça de alimentação, colocar asg, segurança armada, câmaras de segurança”, adiantou Barbosa.

Barbosa  informou que o novo prédio contará com 82 boxes, um elevador, duas escadas, quatro entradas, quatro banheiros, dois vestiários e fraldário, todos adaptados para portadores de deficiência, além de espaços para caixas eletrônicos de bancos e balcões de informações turísticas.

A engenheira Kelly de Oliveira explicou que a principal mudança no projeto original, concebido ainda na primeira administração do prefeito Carlos Eduardo Alves, mas que sofreu paralisação na gestão seguinte, foi a substituição de algumas vigas de concreto, por vigas e estruturas de ferro que vão dar sustentação a uma cobertura diferenciada, com o uso de umas telhas termoacústica, que não deixam passar calor e barulho de som.

Segundo ela, a cobertura arqueada em policarboneto vai permitir, ainda, a passagem de luz natural, a fim de permitir a redução do uso de energia elétrica, compreendendo uma área de 12 metros de largura por 45 metros de fundo.

Para ela, em setembro toda a cobertura deve estar pronto, restando 15% da obra para ser concluida em outubro, referente a reboco e pinturas de paredes, colocação de cerâmica e outros tipos de acabamento.

A obra está orçada em R$ 3.669.908,82, sendo R$ 989.625 mil, oriundos do Orçamento Geral da União, através do Ministério do Turismo, e R$ 2.680.283,82 de contrapartida da Prefeitura.