Cookie Consent
Esportes
Novo modelo do mercado agita o mercado dos clubes; Cruzeiro já aderiu
Publicado: 00:00:00 - 26/12/2021 Atualizado: 19:09:21 - 24/12/2021
Um dos homens fortes da XP Investimentos, Pedro Mesquita, responsável por intermediar a venda de 90% das cotas de sociedade da SAF do Cruzeiro ao ex-jogador Ronaldo Fenômeno, está também à frente da venda do Botafogo. Em entrevista exclusiva à Rádio Itatiaia, afirmou que está trabalhando bastante para fazer um negócio similar para o Alvinegro carioca.
Vítor Silva Botafogo
O Cruzeiro foi o primeiro clube a se adaptar a nova lei do mercado no futebol nacional. O Botafogo já está com tudo pronto esperando

O Cruzeiro foi o primeiro clube a se adaptar a nova lei do mercado no futebol nacional. O Botafogo já está com tudo pronto esperando


“Estamos trabalhando com muito carinho e afinco, queria dizer isso para a torcida do Botafogo. A gente vai dar o sangue para trazer o Glorioso de volta ao patamar que ele merece. Vamos fazer um trabalho de melhora no futebol brasileiro”, disse Pedro Mesquita.

Ele não revelou qual seria o valor de mercado do Botafogo e com qual grupo estaria negociando. A pergunta que todos fazem é: quem será o investidor do Botafogo para os próximos anos? Com o anúncio de Ronaldo Fenômeno no Cruzeiro, o clube é a bola da vez no futebol brasileiro. Até por também ter parceria com a XP Investimentos, que está otimista.

“Existe realmente boa situação que pode acontecer, mas diferentemente do Cruzeiro, é outro tipo de negociação, com outro tipo de estrutura de proposta. Está se desenhando, mas queremos ter sucesso. Nosso objetivo é ajudar o futebol brasileiro. Quero muito ter sucesso em mais um clube, para mostrar que não é um caso isolado – disse o executivo Pedro Mesquita. “Me perguntaram muito de (Grupo) City e árabes… Não é o perfil de investidores que estamos encontrando. É gente séria, que quer investir, a longo prazo e com sustentabilidade. Para a turma não se frustrar achando que vai ter um gringo cheio de dinheiro que vai despejar dinheiro no clube, hoje, pelas conversas que estamos tendo não é o perfil que estamos encontrando, que é o de gente bacana e que quer projeto sustentável”, explicou.

O executivo argumentou que o Cruzeiro se encontrava em um processo  mais adiantado por ter iniciado parceria com a XP Investimentos antes que o Botafogo. Ele evita dar prazos, mas quer o Glorioso forte no futuro.

“Como profissional de mercado, a expectativa é a pior coisa que existe. Até o dia que o Ronaldo entrou para assinar o contrato, poderia não assinar. O que posso dizer é que vamos conseguir fazer, ter um bom caminho para o Glorioso. Tenho um carinho enorme pelo Botafogo, ganhou seu último grande título nacional em 95, é gigante, querido, tem uma marca internacional, está em uma praça que respira futebol, Botafogo de Garrincha, gostaria muito de emplacar essa situação. Depois vamos pensar sobre algo muito maior, o futebol brasileiro, assim como na Inglaterra se pensa a Premier League”, destacou.

Claudio Pracownik, um dos responsáveis pela reestruturação financeira do Flamengo, disse que o olhar dos investidores internacionais ainda é de desconfiança.

"Temos conversado com muitos investidores. Muitos têm uma grande curiosidade sobre o tema, mas têm grandes receios sobre a aplicabilidade da lei. Nós temos que entender que além do risco do clube, existe o risco soberano, que é o risco do país. O país precisa estar num momento para atrair investimentos. Se o próprio país não estiver num bom momento para atrair investimentos, é difícil atrair capital privado para as empresas do país e isso inclui os clubes de futebol que virarem empresas", afirmou em entrevista ao Programa Grande Círculo, no Sportv.

Para o especialista, o momento econômico conturbado do Brasil e a falta de segurança jurídica no processo, dificultam na hora de atrair os investimentos.

“ "A primeira questão que vem à baila quando se conversa com os investidores é o risco soberano (do país). O segundo é a estabilidade jurídica, o arcabouço jurídico do país. É difícil compreender. E a gente passa um bom tempo conversando com eles sobre como isso funciona. Depois, vem efetivamente a preocupação deles com o risco histórico e político dos clubes nacionais. São histórias complexas".

Segundo o ex-vice-presidente de administração e finanças do Flamengo o fator mais atraente no momento para investimentos no Brasil é a desvalorização da moeda. Isso torna os clubes brasileiros baratos para compradores de países com moedas fortes, como o dólar e o euro.

"O que vejo é um grande número de espectadores, interessados, acompanhando de perto. Nós temos um produto maravilhoso que é o futebol brasileiro, temos uma moeda desvalorizada, então o investimento fica mais fácil, a moeda vem aqui e consegue comprar ativos por um preço muito mais barato, é uma oportunidade, mas ainda não existe a estabilidade jurídica e política necessária para que investimentos relevantes aconteçam em grandes clubes. Se acontecerem, e eu não sou senhor da razão, temo que eles aconteçam por um preço vil ou pelo investidor não adequado àquele grande clube. Esse é um temor que eu possuo", concluiu.

Abrindo o mercado
O Vasco anunciou na terça-feira que contratou estudos para avaliar a possibilidade de se tornar clube-empresa no futuro. Está no radar do time repetir o caminho do Cruzeiro, que se enquadrou na constituição da Sociedade Anônima do Futebol (SAF), elaborada por lei aprovada neste ano.
O pontapé inicial foi dado em reunião realizada na noite de segunda-feira, na qual o Conselho de Beneméritos e o Conselho Deliberativo deram permissão à atual diretoria administrativa para contratar estes estudos.

De acordo com o Vasco, os estudos envolvem "a elaboração de parecer jurídico sobre a operação, incluindo proposta de Estatuto Social da SAF; o detalhamento e valoração dos contratos e ativos ligados ao futebol que seriam transferidos do clube para a SAF; a estrutura administrativa e de governança da SAF; a estrutura e receitas do clube após criação da SAF".

A ideia já vinha de algumas semanas dentro do clube. No fim de novembro, a diretoria administrativa pediu formalmente aos Conselhos permissão para avaliar a constituição da SAF. A SAF é um tipo societário criado pela Lei n.º 14.193, de 6 de agosto de 2021, que permite a um clube constituir empresa para cuidar do futebol, com regime tributário simplificado e normas de governança que visam uma gestão mais profissional e transparente.

"O Vasco entende que a criação da SAF é a medida mais adequada para se obter, a um só tempo, o saneamento das finanças do clube e a realização de investimentos no futebol, pois esse regime jurídico oferece instrumentos para captação de recursos financeiros a um custo inferior do que aquele hoje disponível para o clube no mercado", disse a diretoria, em comunicado.

O presidente Jorge Salgado informou que o clube também vai criar uma comissão para acompanhar o projeto SAF, com a participação de conselheiros, beneméritos e membros da diretoria.

"A constituição da SAF é um passo fundamental para que o Vasco recupere a capacidade de investir no futebol e também equilibre suas finanças em definitivo. Nossa indústria vai passar por um processo inexorável de profissionalização com rápida transformação. Aqueles que se organizarem primeiro terão uma importante vantagem competitiva, principalmente um Gigante do tamanho do Vasco que é um clube nacional com potencial extraordinário. Vamos trabalhar duro para apresentar o melhor projeto do mercado", declarou o presidente.

Pioneirismo
A chegada de Ronaldo ao Cruzeiro ocorreu por questões de oportunidade e proximidade. O jogador que teve as portas abertas para o mundo pelo clube mineiro, encontrou um momento que acredita poder retribuir tudo que conseguiu após aproveitar a grande oportunidade de sua vida no futebol. "É a minha vez de tentar abrir portas para o Cruzeiro", disse Ronaldo. Então essa é a primeira venda oficial de um clube no país através do lançamento de ações no mercado.
Divulgação
Pedro Mesquita, da XP investimento, mostra confiança no sucesso da negociaçao com o Botafogo

Pedro Mesquita, da XP investimento, mostra confiança no sucesso da negociaçao com o Botafogo


A situação é delicadíssima. A dívida do Cruzeiro chega na casa de R$ 1 bilhão. Além disso, o time vai para o seu terceiro ano consecutivo na Série B do Campeonato Brasileiro. Antes da chegada de Ronaldo, a perspectiva não era de maiores mudanças na equipe mineira, que agora deve mudar de status na segunda divisão.

"Chegou a hora de voltar. É a minha vez de tentar abrir portas para o time. Não como herói. Não com super poderes para, sozinho, mudar a realidade. Mas com imensa responsabilidade. Com gestão inteligente e sustentável para um crescimento de médio e longo prazo. Com a lealdade de 9 milhões de apaixonados", completou.

Ronaldo investirá R$ 400 milhões no futebol do Cruzeiro pelos próximos anos. Ainda não há um cronograma de investimentos. Mas o presidente do clube, Sérgio Santos Rodrigues, já adiantou que o dinheiro que entrará nas próximas semanas será o suficiente para quitar salários atrasados e até dívidas.

O pentacampeão mundial adquiriu 90% das ações do futebol do Cruzeiro, que teve o estatuto mudado com a aprovação da SAF. "Começamos agora um novo capítulo na história do clube. Volto porque acredito na volta do Cruzeiro! Volto pra ser parte da mudança do futebol brasileiro", finalizou o ex-camisa 9.

Ronaldo Nazário já tem o controle de um clube de futebol na Espanha. Em 2018, ele investiu cerca de 30 milhões de euros para comprar o Valladolid, da Espanha. Mas seu relacionamento com a torcida do clube não é dos melhores. Ele é tido como um dirigente omisso, uma condição bem diferente da que o clube mineiro necessita para crescer de novo.

Em maio deste ano, torcedores criticaram o comportamento de Ronaldo, que detém 82% das ações do clube, durante o momento delicado do time no Campeonato Espanhol. Elaboraram uma carta em que mostravam o descontentamento e pediam uma reunião com o ex-jogador. O Valladolid viria a ser rebaixado à segunda divisão espanhol.

"Através desta carta, solicitamos um encontro informativo entre os Presidentes dos Peñas e Ronaldo Nazario de Lima, atual Presidente do Clube e chefe do futuro próximo de nossa equipe. Nossa intenção é mostrar nosso desconforto pelo que acreditamos que tem sido um completo descaso na tomada de decisões que correspondiam ao âmbito desportivo durante esta temporada, tendo como consequência, o iminente rebaixamento da equipe", escreveram os torcedores do Valladolid.

O "completo descaso" de Ronaldo, citado pelos torcedores do clube espanhol, estava relacionado à postura do ex-jogador. Enquanto o Valladolid era goleado pela Real Sociedad por 4 a 1 em jogo pelo Espanhol, o brasileiro publicou um vídeo ao lado do ator Bruno Gagliasso, durante um passeio de barco na ilha de Formentera. Após a derrota, que afundou ainda mais o time na zona de rebaixamento, uma faixa que dizia "Ronaldo culpado" foi pendurada no Estádio José Zorrilla.

Atualmente, o Valladolid está na quinta posição da segunda divisão do Campeonato Espanhol, com 34 pontos em 20 rodadas. Os dois primeiros se classificaram diretamente à elite. A última vaga é decidida em disputa de mata-mata envolvendo o terceiro, quarto, quinto e sexto colocados.
Ronaldo nos últimos tempos tem dado mais atenção ao clube. Divide seu tempo entre Valladolid e Madri, onde reside oficialmente. O ex-atacante tem outros negócios. É sócio da ODDZ Network, holding de empresas que trabalha nas áreas de esporte, tecnologia e entretenimento. Tem uma ONG, a Fundação Fenômenos, e a R9 Gestão Patrimonial e Financeira.

NÚMEROS
400
milhões é o valor que Ronaldo promete investir no Cruzeiro.
900
Milhões é o tamanho da dívida acumulada pelo clube mineiro.
30
Milhões de euros foi a quantia que Ronaldo aplicou no Valladolid
90%
É a quantidade de ações que Cruzeiro e Botafogo aceitaram vender.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte