Novo reitor da UFRN é nomeado pela presidência

Publicação: 2019-02-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A Presidência da República publicou, em edição extra do Diário Oficial da União da última sexta-feira, 8, a nomeação do reitor eleito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, para tomar posse no cargo a partir do dia 28 de maio de 2019. A decisão confere ao professor um mandato de quatro anos à frente da UFRN, sucedendo a atual reitora, Ângela Maria Paiva Cruz.

Daniel Diniz foi eleito em novembro de 2018 com 8,9 mil votos de um total de 9,5 mil votantes
Daniel Diniz foi eleito em novembro de 2018 com 8,9 mil votos de um total de 9,5 mil votantes

Atualmente vice-reitor e eleito em novembro de 2018 com 8.988 votos de um total de 9.537 votantes, Daniel Diniz é bacharel em Engenharia Mecânica e em Engenharia Civil, mestre e doutor em Engenharia Mecânica. Fez pós-doutorado na Stanford University, onde é Professor Visitante do Department of Aeronautics and Astronautics desde 2008. Foi chefe do Departamento de Engenharia Mecânica e do Departamento de Engenharia de Materiais, além de ter dirigido o Centro de Tecnologia de 2011 a 2015.

Em entrevista à TRIBUNA DO NORTE, Daniel Diniz afirmou que a sua prioridade seria a “qualidade acadêmica”. “Vamos criar condições de melhor ainda mais nesse aspecto, reduzindo a evasão estudantil, diminuindo as reprovação, melhorando na inclusão de pessoas com deficiência. Também queremos consolidar a presença da UFRN no interior, expandindo as ações em Caicó e Currais, onde temos a Escola Multicampi de Ciências Médicas. Em Santa Cruz precisamos consolidar a estrutura do Hospital Maternidade. As obras começaram no ano passado, custam quase R$ 20 milhões”, disse.

Além disso, o reitor da UFRN disse que o orçamento para investimentos era insuficiente e que a Universidade iria ao MEC por mais recursos. “O valor é insuficiente, basta lembrar da obra de Caicó. Mas futuramente vamos ao MEC defender nossos projetos. Além dos recursos citados, também temos R$ 30 milhões para assistência estudantil. Temos feito uma gestão muito responsável do orçamento. A UFRN é uma das poucas universidades do país que fez os ajustes financeiros sem afetar a Qualidade Acadêmica e o auxílio estudantil. Encerramos o ano passado com todos as contas pagas”, explicou.

Sobre possíveis dificuldades a serem enfrentadas no relacionamento com o Governo Federal, o reitor disse que o âmbito adequado para a discussão é a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil. “Não se tem muita informação concreta de medidas que o governo pretende tomar em relação ao Ensino Superior. E para esses assuntos de ordem nacional, que envolve todas as universidades, temos a Andifes. É nossa forma de diálogo com o governo. Há duas semanas nossa associação teve o primeiro contato com o novo ministro. Mas foi um encontro mais de apresentação”, falou.








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários