O ano do rock

Publicação: 2015-12-31 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Yuno Silva
Repórter

Em 2015 foi o rock e suas vertentes que conduziram o barco da música produzida no Rio Grande do Norte. Seja rockabilly, instrumental, metal pesado, misturado com música eletrônica ou samba, de pegada psicodélica ou mais puxadas para o pop, as bandas potiguares saíram em turnês pelo Brasil e exterior, marcaram presença em listas nacionais dos “melhores do ano” e participaram de festivais importantes como Rock in Rio e Lollapalooza. A criação da Rede de Música Independente (Remuin), a capilaridade e ampliação do Festival DoSol, a boa edição do Festival Mada e a batalha do Prêmio Hangar de Música para se manter no calendário mesmo sem patrocínio, também estão no hall das boas notícias.
Rafael PassosCamarones caiu na estrada e diz que ano foi excelenteCamarones caiu na estrada e diz que ano foi excelente

Mahmed, Far From Alaska, DuSouto, Camarones Orquestra Guitarrística, The Bop Hounds, Plutão Já Foi Planeta, Luisa e Os Alquimistas, Fukai, Júlio Lima, Igapó de Almas, Talude, Koogu, Monster Coyote, Simona Talma e Luiz Gadelha (ora juntos no Talma&Gadelha, ora separados), Red Boots, Kataphero, Rosa de Pedra, Artur Soares, Mago daSilva e Zurdo são alguns dos nomes que se consolidam na cena.

Pelo menos metade das bandas citadas acima ainda estão restritas a nichos específicos, mas a tendência é que o movimento cresça e alcance novos públicos.

Claro que artistas de outros estilos também contabilizaram conquistas: Khrystal, que este ano investiu na banda Qu4tro, a Família Pádua cada vez mais versátil, Carlos Zens, Maíra Salles, Bruna Hetzel, Romildo Soares, Yrahn Barreto, Jubileu Filho e Chico Bethoven, Roberto e Eduardo Taufic, Lysia Condé, os pupilos da Escola de Música da UFRN, a Sesi Big Band, a Orquestra Sinfônica do RN e da Universidade Federal.

Também não dá para deixar de fora dessa lista o fortalecimento de toda a cena Hip Hop com Time de Patrão, o retorno do Agregados, Caboclas MC's, Preto Bronx, Chico Bomba e Zé Baga... mas o ano foi mesmo do rock!

Os pontos baixos de 2015, para não variar, ficaram por conta dos poderes públicos Municipal e Estadual, que não lançaram nenhum edital de relevância para  incentivar a pluralidade que ferve o caldo sonoro no RN. O Ministério da Cultura também não mostrou bom desempenho na área da música.

“Foi um ano horroroso, para esquecer nesse sentido, o poder público tem andado na contramão da produção cultural ativa e 'particular', o que é uma pena. Teríamos resultados melhores ainda com mais incentivo e algum tipo de apoio”, avalia o músico e produtor Anderson Foca, da banda Camarones e do combo DoSol.

Palavras de quem produz
A ano do Camarones foi “excelente” segundo Anderson Foca. Com formação mais enxuta, agora como um trio base que agrega convidados por onde passa, a banda lançou disco, faturou concurso nacional valendo uma vaga para o Rock in Rio e atravessou o Atlântico para uma turnê pela Europa que incluiu passagens pelos festivais Primavera Sound (em Barcelona), Liverpool Sound City (na Inglaterra). “Foi um dos melhores anos desde nossa formação”, acrescentou.

A Camarones já prepara as malas para cair na estrada: em janeiro fazem o Nordeste e entre fevereiro e março circulam pela Argentina, Uruguai e Chile. “Impossível negar que o rock em 2015 deu as cartas. Fiz uma conta aqui por cima e contei mais de 300 shows de potiguares ligados ao rock pelo Brasil e pelo mundo, jamais tínhamos tido esse tipo de projeção com tantas bandas ao mesmo tempo. É um momento muito especial”.
DivulgaçãoO estilo retrô e o trabalho autoral da The Bop Hounds marcou presença no maior festival de Rockabilly do mundo nos EUAO estilo retrô e o trabalho autoral da The Bop Hounds marcou presença no maior festival de Rockabilly do mundo nos EUA

O cantor e compositor Dastaev Gomes, da banda de The Bop Hounds, um dos produtores do evento Rockabilly no Posto (da 5Quentona) contou que o foco para 2016 é a gravação do primeiro álbum completo – até então lançaram um EP com sete faixas. Para manter a pureza do estilo, o disco será todo gravado em equipamento analógico com captação ao vivo.

O quarteto foi o primeiro representante nordestino no mega festival Viva Las Vegas Rockabilly Weekend, o maior do gênero no mundo, que aconteceu em abril nos Estados Unidos. “Também fomos convidados para integrar o cast da Wild Records, um selo de rockbilly da Califórnia. Nossa música está tocando no Japão, Austrália, Alemanha, Canadá, Inglaterra, França e Austrália”, comemora.

Novidades
O baterista Renan Amantéa, das bandas Luisa e Os Alquimistas e Igapó de Almas, informou que o projeto USB – United by sound Brazil, criado para unir virtualmente músicos e compositores em torno do reggae e suas variantes, “terá novidades após o Carnaval”. A iniciativa publicou no dia 1º de dezembro vídeo da música “Universal Soul”. “Nessa primeira faixa tivemos onze colaboradores de cinco países, e para a segunda, por enquanto, gravamos só com brasileiros de várias parte do País”.
Flávio AquinoDuSouto planeja disco puxado para o samba em 2016DuSouto planeja disco puxado para o samba em 2016

Já o produtor musical Gabriel Souto, da banda DuSouto, disse que um novo álbum “baseado no samba” estão nos planos para 2016. “Temos algumas coisas, vamos começar a gravar, mas ainda não há previsão de lançamento”, adiantou.

Gabriel está envolvido na produção do primeiro disco de Luísa e Os Alquimistas, “já na etapa final de masterização”, também mixou um EP da banda Skarimbó (ainda não lançado) e até o mês de maio chega ao mercado um disco do italiano Phell Balliana.

A vez da Remuin
A produtora Luci Ataide Braga, umas das vozes da Rede de Música Independente, contou que a Remuin, mesmo com “menos de 3 meses de vida”, mostrou a que veio ao promover o Festival Natal Tem Música – dentro da programação do Natal em Natal na Praça da Árvore, em Mirassol. A Remuin agrega, basicamente, músicos e produtores. “Porém a realização de eventos não é nosso objetivo principal. A meta, desde os primeiros encontros, é conectar quem trabalha com a música autoral, expandir o campo de atuação (chegar a outras cidades e estados, por exemplos), promover ações de formação, criar uma plataforma para divulgação de quem faz parte da Rede e articular nossa atuação política”, enumerou Luci.
DivulgaçãoLuísa Guedes lança primeiro disco com Os Alquimistas dia 6 de janeiroLuísa Guedes lança primeiro disco com Os Alquimistas dia 6 de janeiro

Bate papo - Luísa Guedes
cantora e compositora

Percebe 2015 como o ano de consolidação da banda Luísa e Os Alquimistas? Inclusive vocês ganharam o Prêmio Hangar de Música na categoria Revelação do Ano.
Sim, sem dúvida! Conseguimos dar visibilidade ao nosso trabalho através dos vídeos na internet, singles e shows, tudo isso paralelo ao trabalho de gravação do nosso primeiro álbum. Foi um ano de muito aprendizado, principalmente pra mim. Creio que em 2016 virá uma fase mais amadurecida: circular com o disco, lapidar o show, trabalhar uma identidade estética mais forte.

Quando sai o disco?
Está pronto, vamos lançar nas plataformas digitais dia 6 de janeiro – essa informação é em primeira mão! Ainda pensei em esperar para depois do Carnaval, janeiro é um mês estrategicamente ruim para um trabalho de marketing, mas eu não posso esperar mais. Depois do Carnaval massificamos a divulgação.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários