O 'arrastão' de prêmios do grupo Carmin

Publicação: 2019-03-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O espetáculo “A Invenção do Nordeste”, do grupo potiguar Carmin, venceu mais um prêmio de alcance nacional.  O texto de autoria de Henrique Fontes e Pablo Capistrano, conquistou o 31º Prêmio Shell de Teatro na categoria dramaturgia. O espetáculo também foi vencedor, em janeiro deste ano, do Prêmio Cesgranrio como melhor espetáculo de 2018. A cerimônia de premiação aconteceu na noite de terça-feira (12), no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, ocasião em que também foi homenageado o diretor Aderbal Freire-Filho. O artista recebeu um troféu especial por seu “espírito livre, inovador e combativo sempre em prol do teatro brasileiro”.

Grupo Carmin recebe Prêmio Shell, ao lado da baiana Larissa Luz
Grupo Carmin recebe Prêmio Shell, ao lado da baiana Larissa Luz

“A Invenção do Nordeste” também foi escolhido o 'melhor texto' no Prêmio Botequim Cultural, realizado esta semana, e está indicado, em quatro categorias,  ao Prêmio do Humor de Fábio Porchat,  único destinado exclusivamente a artistas e espetáculos no segmento teatral da comédia. Nesse ‘arrastão’ de prêmios conta ainda ter sido selecionado em seis categorias ao Prêmio APTR ( Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro), que será realizado em abril.  “Estamos muito felizes! É uma etapa de conquista de um trabalho que vem se consolidando no grupo Carmin há 12 anos e na minha carreira de 30 anos”, comentou o dramaturgo e ator Henrique Fontes.

 Dirigida por Quitéria Kelly, a peça “A Invenção do Nordeste”é uma auto-ficção que aborda o estereótipo do ”nordestino” a partir do livro homônimo do escritor Durval Muniz de Albuquerque Jr.  No texto, um diretor (papel de Henrique Fontes) é contratado por uma grande produtora para realizar a missão de selecionar entre atores (Mateus Cardoso e Robson Medeiros) um que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Ao longo da preparação, diretor e elenco refletem sobre suas identidades.

Com o sucesso de público e crítica,  a peça  segue em temporada no primeiro semestre de 2019, com pautas fechadas em Natal (Palco Giratório), São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Para o segundo semeste. o grupo está trabalhando um novo espetáculo que contará com dramaturgia assinada por Henrique Fontes e o escritor Pablo Capistrano, mas desta vez a direção será de Pedro Fiúza. “O rodízio de diretores é algo que estimulamos no grupo. Desta vez, ficarei na dramartugia”, adiantou.











continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários