O Cinépolis Natal Shopping recebe Festival Varilux de Cinema Francês

Publicação: 2020-11-19 00:00:00
Natal está na rota da 11ª edição do Festival Varilux de Cinema Francês. Após realizar uma versão virtual entre abril e agosto, o evento volta ao formato presencial a partir desta quinta-feira (19) de novembro até 03 de dezembro, com uma programação de filmes recentes e inéditos nos cinemas do país que aderiram à flexibilização gradual. O Cinépolis Natal Shopping está recebendo a programação, que no geral contará com 18 longas-metragens – incluindo um documentário e o clássico “Acossado”, homenageado pelo festival.

Créditos: DivulgaçãoA programação em Natal será aberta pelo filme Mais que especiaisA programação em Natal será aberta pelo filme Mais que especiais

A programação em Natal será aberta pelo filme “Mais que especiais”, uma típica comédia dramática da dupla Olivier Nakache e Éric Toledano, responsável pelos sucessos “Os intocáveis” e “Samba”. É a história de dois homens (Vincent Cassel e Reda Kateb) que dedicam suas vidas a crianças e adolescentes com autismo. Eles são responsáveis por duas organizações sem fins lucrativos que educam jovens vindos de locais carentes que foram recusados por outras instituições. A parceria entre os dois amigos e sua dedicação mostram uma realidade fora dos padrões tradicionais. O filme será exibido na sala 7 do Cinépolis, em sessões às 15h, 17h40, e 20h20.

A diversidade do cinema francês é o maior atrativo do Varilux, portanto, há filmes para todos os gostos. “A Boa Esposa”, comédia de Martin Provost, traz a musa Juliette Binoche como Paulette Van Der Beck, diretora da Escola Doméstica Van Der Beck, um local para “formar” perfeitas donas de casa em 1968. Mas tudo muda quando ela se vê viúva e falida. Ao mesmo tempo em que terá que assumir a escola sozinha, seu primeiro amor ressurge. Paulette se vê em meio a uma grande questão: e se a boa esposa se tornasse uma mulher livre? O filme levou 600 mil espectadores aos cinemas da França em junho.

“A garota da pulseira” é outro destaque da programação. O filme de Stéphane Demoustier conta a história de Lisa (Melissa Guers), uma jovem de 18 anos acusada de matar a melhor amiga. Como era de se esperar, seus pais ficam a seu lado. Durante o julgamento, porém, sua vida secreta começa a se desdobrar, assim como suas ações e opções de vida, o que deixa a dúvida se ela foi ou não a culpada pelo crime. O filme estreou em 2019, no Festival de Locarno e destaca a atuação do elenco.

Cinéfilos de carteirinha também devem aguardar a estréia de “Verão de 85”, novíssimo filme do renomado François Ozon. No longa, quando o barco de Alexis (Félix Lefebvre), de 16 anos, afunda na costa da Normandia, David (Benjamin Voisin), de 18 anos, salva-o heroicamente. Alexis acabou de conhecer o amigo dos seus sonhos. Marcado pela música “In between days”, do The Cure, o filme mostra o romance de verão entre dois jovens, em um momento de iniciação e aprendizado. Adaptação do livro “Dance on my grave”, de Aidan Chambers.

Único documentário da mostra, “O capital no século XXI” é a adaptação do best-seller internacional do economista Thomas Piketty, considerada uma das obras mais importantes dos últimos anos, e que vendeu mais de três milhões de cópias. O filme foi realizado por Piketty e Justin Pemberton, reunindo imagens de filmes de ficção, de arquivo e entrevistas em diversos países para resumir 400 anos de capitalismo no mundo. Leva o espectador a uma reflexão necessária, e também incômoda, para compreender o crescimento das desigualdades mundiais.

Em “Donas da Bola”, de Mohamed Hamidi, a equipe inteira de futebol da pequena cidade de Clourrières é suspensa até o fim da temporada após se envolver numa briga. O técnico decide então formar um time composto exclusivamente de mulheres para chegar ao fim do campeonato. Essa situação acabará por transformar completamente o cotidiano das famílias, abalando as convenções há muito estabelecidas naquela pequena aldeia.

“Gagarine”, de Fanny Liatard e Jérémie Trouilh, conta a história de adolescentes que vivem no enorme conjunto habitacional Gagarine. Ao tomar conhecimento de que o lugar onde mora está ameaçado de demolição, Youri, de 16 anos, decide se somar a um movimento de resistência. Com a cumplicidade de Diana, Houssam e dos moradores, ele se atribui a missão de salvar o conjunto habitacional, transformado na sua “nave espacial”.

Para a criançada terá a animação “A Famosa invasão da Sicília pelos ursos”, indicado em seis categorias no Festival de Cannes 2019, ao César 2020 de melhor animação, e vencedor do Prêmio da Fondation GAN pour le Cinéma. Na história, para encontrar seu filho desaparecido, o rei dos ursos lidera seu clã até as montanhas da Sicília e, alegando rigor de um inverno que ameaça matar todos de fome, decide invadir a planície habitada pelos homens.

O clássico homenageado pelo Varilux 2020 completa 60 anos em 2020: “Acossado”, filme de estreia de Jean-Luc Godard, um dos mestres da Nouvelle Vague. Lançado em 1960, o longa foi protagonizado pelo estreante Jean-Paul Belmondo e pela atriz norte-americana Jean Seberg. Na trama, o anti-herói Michel Poiccard rouba um carro e mata um policial durante a fuga de Marselha para Paris. Ele se apaixona por Patricia Franchini, uma linda garota americana que vende jornais na Champs-Élysées. Poiccard tenta persuadi-la a fugir com ele para a Itália.

O evento não abriu mão totalmente do virtual. Em comemoração ao Dia da Consciência Negra, promoverá uma exibição online na sexta (20) do filme “Sou francês e preto”, de Jean-Pascal Zadi e John Wax. Será às 18h nos canais do Varilux no Facebook e no Youtube. Conta a história de JP, um ator mal-sucedido de 40 anos, decide organizar o primeiro grande protesto pela causa negra na França. Às 19h30 terá bate-papo com cineastas e pesquisadores negros, incluindo Joel Zito Araújo. Os interessados devem se inscrever antes no site do festival.       








Leia também: