O circo chegou

Publicação: 2020-09-25 00:00:00
Tádzio França
Repórter

O palhaço faz de qualquer lugar um palco. A digitalização dos eventos, devido a pandemia, ampliou ainda mais esse conceito. A dupla Bisteca & Bochechinha, uma das mais ativas no circuito potiguar, segue mantendo o mesmo pique na internet e oferecendo um espetáculo caprichado através do “Circolando”, projeto que promove um giro virtual por quatro cidades do interior do estado, a cada sábado. A série de transmissões é fruto do Edital de Economia Criativa do Sebrae-RN 2020. A próxima parada será Vila Flor, dia 26/09.

Créditos: DivulgaçãoA dupla Bisteca & Bochechinha é uma das mais ativas no circuito potiguar e realiza o CircolandoA dupla Bisteca & Bochechinha é uma das mais ativas no circuito potiguar e realiza o Circolando

“Circolando” foi pensado para ser presencial, razão pela qual a dupla escolheu quatro escolas públicas de comunidades do interior para se apresentar. A pandemia impediu a chegada real dos palhaços, mas eles mantiveram a proposta inicial de fazer as transmissões dirigidas às cidades escolhidas. “A idéia inicial era levar o mundo do circo para lugares distantes. A pandemia, em vez de limitar, acabou ampliando o nosso alcance”, afirma Everardo Muniz, o Bisteca, que atua junto à esposa Dadá Figueiredo, a Bochechinha.

As transmissões de “Circolando” podem ser vistas por todos, mas a dupla procurou formas de personalizar as apresentações. “Fizemos contatos prévios com as secretarias de educação de cada município, e pedimos que as crianças façam desenhos que mostraremos ao vivo durante a transmissão. Falamos diretamente pra elas, divulgamos os shows nas redes sociais das escolas, projetamos fotos da cidade. Precisa ter essa identificação”, explica o palhaço. A primeira edição, sábado passado, foi voltada para Baía Formosa e homenageou o ídolo local Ítalo Ferreira, com os palhaços brincando com pranchas.

Para Vila Flor, Bisteca e Bochechinha prometem muitas histórias e imagens da cidade que tem belas paisagens coloniais. A transmissão dura uma hora, na qual os palhaços contam histórias e piadas, cantam músicas animadas, e ainda recebem as participações de bailarinos e do palhaço Peteca. “A gente interage bastante, mandamos alô, pedimos que elas mandem vídeos e fotos pelo Instagram. Tentamos ao máximo compensar a distância, prender a atenção delas”, afirma Everardo. Após Vilar Flor, “Circolando” vai passar por Bom Jesus e Macaíba.

As apresentações são feitas em um estúdio especialmente preparado para as performances dos palhaços. Há toda uma equipe por trás para garantir a qualidade do espetáculo, ressalta Everardo. “É um verdadeiro programa em forma de live”, diz.  O fim do projeto “Circolando”, daqui a duas semanas, não significa que Bisteca e Bochechinha vão parar. Desde o começo da pandemia no Brasil, a dupla não parou de se reiventar e trabalhar. “Eu nunca me maquiei tanto na vida”, brinca.

A dupla de palhaços, que tinha uma intensa agenda presencial, teve que se adaptar rapidamente ao mundo virtual. “Criamos o nosso canal durante a pandemia. A gente só usava a internet pra se divulgar, no máximo”, conta. A partir daí passaram a fazer bastante lives para perfis de escolas, shows virtuais para festinhas de aniversário, vídeo chamadas exclusivas, e muito conteúdo online para o canal. A casa do casal foi transformada para abrigar as lives.

Cearenses radicados em Natal há 18 anos, Everardo Muniz e Dadá Figueiredo decidiram se tornar palhaços na década de 1990. A dupla Bisteca e Bochechinha surgiu no ano de 2003 com uma proposta inovadora, buscando oferecer ao público infantil um espetáculo que preservasse a magia do circo, reunindo brincadeiras, teatro de bonecos, mágica e muito humor.  Os palhaços têm um show dinâmico, com números musicais, mágicas, interação com fantoches e com a própria plateia.

Serviço:
Projeto “Circolando” com Bisteca & Bochechinha. 
Transmissão sábado (26), às 16h, no canal dos palhaços no Youtube.












Leia também: