O craque múltiplo

Publicação: 2021-04-01 00:00:00
Alex Medeiros 
alexmedeiros1959@gmail.com

Coube ao pintor holandês Frans Post retratar para a História as belezas naturais do Nordeste Brasileiro durante o século XVII. Nas imagens a óleo e nas iluminuras, a técnica de um estrangeiro pôde mostrar aos brasileiros seu próprio patrimônio natural. 400 anos depois, um outro holandês decidiu mostrar ao Brasil uma beleza perdida há quatro décadas, uma arte que parecia ter sido esquecida pelos artistas do seu país. 

Negro como Pelé, o estrangeiro do Reino de Orange encantou os súditos do Rei do Futebol. Na técnica apurada de Clarence Seedorf, o jogo nos campos cariocas voltou a ser enquadrado em telas de cores mágicas e pinceladas de luz. Seus passes automáticos eram a fusão da beleza mecânica dos craques de antanho e o jogo científico de agora.

Seedorf, que neste 1 de abril completa 45 anos, foi a mistura do balé dos meias sul-americanos com a precisão aerodinâmica dos líberos alemães, um craque híbrido. Nele, o futebol era atemporal. Quanto mais envelhecia, mais acelerava o raciocínio em campo; a jogada planejada minutos antes da bola chegar aos seus domínios. 

A rápida leitura do jogo provocava a ilusão de que havia retrovisores em cada um dos seus calcanhares. Seu olhar passeava pelos quatro lados do gramado escaneando no tempo presente as possibilidades do futuro imediato. Contrapondo a genética, seu alcance ocular mantinha-se como na juventude, atento à superfície verde.

A bola lhe seguia numa fidelidade canina, presa aos seus pés como amarrada por correntes invisíveis de paixão. Aliás, em Seedorf também se perpetuava o conceito do cronista Nelson Rodrigues, que disse uma vez que “há na bola uma alma de cachorra”.

Pelo Botafogo do Rio de Janeiro conquistou em 10 de março de 2013 sua trigésima taça, uma marca digna dos maiores gênios em todos os esportes. Seedorf ganhou títulos na mesma proporção que realizava jogadas as mais variadas.

Seu longevo talento, iniciado aos 16 anos no Ajax, em substituição a Frank de Boer, um dos mitos do futebol holandês, não se resumiu aos toques na bola, mas também à enorme capacidade cognitiva que o fez poliglota no domínio de sete idiomas.

Ser múltiplo foi o destino traçado pelos deuses para Clarence Seedorf. O único jogador da História a vencer três vezes a Champions League por três equipes diferentes, Ajax (1994-95), Real Madrid (1997-98) e Milan duas vezes (2002-03, 2006-07).

Foi ídolo por onde passou, o que lhe fez ícone do futebol mundial na fronteira dos séculos XX e XXI. Sua fundação, Champions for Children, salva vidas inocentes. No Suriname, onde nasceu, a mortalidade infantil caiu 30% desde 2005, graças ao seu futebol.

Para salvar bebês prematuros, Seedorf construiu uma unidade neonatal respiratória no Hospital Acadêmico de Paramaribo, a capital. Sua iniciativa e ação permitem que crianças sobrevivam e cresçam como ele: hábil, lúdico, ético e múltiplo.

Créditos: Divulgação

Protesto
Hoje haverá uma manifestação em favor do trabalho e dos trabalhadores impedidos de trabalhar pelas restrições inconstitucionais dos tais decretos. Gente do comércio, serviço, turismo... a partir das 15h na praça de Mirassol. 

Quem diria?
Talvez seja a primeira vez em Natal que um protesto de trabalhadores não tenha apoio dos sindicatos que operam como puxadinhos de partidos e dos partidecos de esquerda, cujo único objetivo na prática é arrumar suas tropas.

Errado
Do empresário Beto Santos: “Tudo está errado quando nos deparamos com uma realidade onde você fica dependendo do ‘consentimento’ de alguém que nunca trabalhou, para ter o direito a trabalhar dando esperança a milhares”.

Mourão
Do vice-presidente, ontem no Twitter: “Neste dia, há 57 anos, a população brasileira, com apoio das Forças Armadas, impediu que o Movimento Comunista Internacional fincasse suas tenazes no Brasil. Força e Honra!”

Strike
Ontem pelo segundo dia seguido, a Bolsa subiu e o dólar entrou em queda. Na grande mídia, havia manchetes de encomenda dizendo que o mercado estava aflito com as mudanças no Ministério da Defesa e nos comandos militares.

Lockdown
O magistrado italiano Angelo Giorgianni protocolou no Tribunal Pena Internacional uma denúncia considerando crime contra a Humanidade as políticas restritivas que ferem a liberdade e golpeiam o direito de ir e vir.

Rock
A editora Belas Letras lançou no Brasil a biografia da guitarrista Lita Ford, ícone da banda feminina The Runaways. Com 336 páginas e um caderno de fotos o livro “Vivendo como uma Runaway” está à venda desde 15 de março.

Prognóstico
Não me iludo com o futebol de ABC e América na Copa do Brasil, mas pelos últimos jogos que vi de Botafogo e Cruzeiro não seria uma surpresa que os dois times natalenses superassem o carioca e o mineiro no dia 14 de abril.








Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.