O empreendedor e a credibilidade

Publicação: 2012-07-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ricardo Veríssimo - Palestrante e autor do livro 20 Regras de Sucesso do Pequeno Empreendedor

Ultimamente, no Brasil, parece que pairou uma nuvem de Kriptonita Corporativa que afetou alguns dos super heróis corporativos, deixando-os em maus bocados. O empreendedor Eike Batista, por exemplo, que faria a OGX com um investimento de U$ 3,7 bilhões de dólares, já gastou muito mais e viu esta semana seu capital perder 40% do valor. Isso aconteceu devido a OGX ter informado que produziria entre 12 e 15 mil barris de petróleo por dia, mas esta semana informaram que a produção não chegará aos 5 mil barris. O mercado reage à informações sem fundamento.

Sempre que vejo essas histórias de empreendedores super poderosos que nunca fracassaram, fico muito preocupado. Estamos com histórias como essa, criando uma visão de que tudo é muito fácil. Essas histórias não me geram qualquer credibilidade.

Empreendedores que apresentam crescimento muito acelerado em pouco tempo, após anos crescendo naturalmente, não me deixam confortável. Você, amigo leitor, acredita nesses crescimentos estratosféricos? É, meus amigos, parece que colocar a letra “X” no nome ou usar letras gregas como “DELTA”, como alguns pregam, não faz a empresa crescer, mas sim produzir previsões desproporcionais, brincar com os números e contratos.

Nós, empresários, temos sim que nos preocupar em ter uma marca sólida, construída sobre informações transparentes e verídicas. Uma imagem negativa pode levar uma empresa à falência, principalmente se a sua for feita de meros mortais como eu. Tenhamos mais preocupação com as pesquisas de mercado, com as previsões e os números que apresentamos. Brincar com números, dinheiro e saldos talvez seja interessante em jogos de tabuleiro, mas no mercado corporativo pode ser fatal. Você suportaria perder 40% de seu capital por conta de um número mal previsto?

Orgulhemo-nos de grandes empreendedores que temos em nosso país, forjados em anos de experiência e crescimento gradual, como os empresários Antônio Hermínio de Moraes, Alberto Saraiva, Sílvio Santos, entre outros que merecem sim mais destaque do que os têm sido dado. Quantidade de dinheiro na conta bancária, não é garantia de qualidade corporativa. Lucratividade sim!

Em tempos em que tanto se falou de sustentabilidade, durante a Rio +20, ter dados sustentáveis é importante. Nada berra mais que a verdade e cala tanto quanto uma mentira descoberta. Vivemos em mundo real, feito de trabalhadores e não em um mundo de malabares de números que não se sustentam. Esteja atento aos dados e números, não acredite em tudo que se escreve, nem o que a imagem aparenta. Se sua empresa cresce lentamente, muitas vezes com dificuldade, bem vindo ao verdadeiro mundo dos empreendedores. Sinta-se em casa, pois você faz parte da imensa maioria de nós.

Como dizem dois ditados populares: “sou pobre, mas sou limpinho” e “pobre só tem o nome, mais nada”. Ter a credibilidade dos seus clientes é o que um empreendedor pode ter de mais importante, pois são elas que fazem com que a conversa se inicie. Ninguém abre a porta para alguém que não aparenta credibilidade. Existem várias formas de você, pequeno empreendedor, apresentar credibilidade sem ter que criar coisas irreais e insustentáveis.

Inovar e diferenciar sim, mas criar inovações e diferenciais baseados em dados que não chegam perto da realidade não é empreender, é representar. Como diz meu velho e sábio pai: “O papel aceita tudo, até desaforo”.

Espero vocês na próxima.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários