O reino reage ao atraso

Publicação: 2019-12-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Alex Medeiros
alexmedeiros1959@gmail.com

Uma vitória acachapante dos conservadores nas eleições da Inglaterra, onde o novo primeiro-ministro Boris Johnson conseguiu um desempenho considerado o maior dos últimos 84 anos, numa maioria esmagadora que mesmo o icônico líder Winston Churchill imaginou conseguir no auge da hegemonia do seu poder político. Do total de 650 cadeiras no Parlamento Britânico, Johnson conquistou para sua base mais da metade, com 364 vagas ao final da eleição.

Muitos britânicos e um grande número de estrangeiros consideram que Boris Johnson era um cara com habilidades vocacionais de um palhaço ou bobo da corte do que de político, mas ele acabou de provar ontem que as duas situações nada têm a ver com seu talento e carisma, comprovados na avassaladora vitória das urnas. Ficou claro que quanto mais as esquerdas fazem zoadas e bagunças, os republicanos e liberais dominam a vida real.

Apesar dos apelidos que as oposições botaram nele, algumas relacionadas a palhaços de circo, Boris Johnson foi na juventude um jornalista, nascido em Nova York, e que muito criticou a União Europeia como correspondente.

Há poucos meses, pouquíssima gente apostava um centavo no seu sucesso político-eleitoral e no seu compromisso de administrar o enorme pepino emperrado na garganta do Reino Unido por causa do polêmico Brexit.

Nos últimos três anos, a Inglaterra viveu o inferno das negociações e interrupções de conversas entre Londres e Bruxelas, que tiraram o sossego e o sono da ex-primeira-ministra Theresa May, praticamente expulsa do processe.

O que fez ele? Trabalhou para deslocar May, se impôs aos adversários de Westminster e alicerçou o caminho para seus planos de convocar eleições antecipadas, exatamente essas que acabou de vencer de forma esmagadora.

Ontem, botei algumas matérias de jornais britânicos para traduzir no Google e encontrei vários analistas afirmando que as atuais eleições entrarão para a história do reino. Boris atropelou e humilhou o líder trabalhista Jeremy Corbyn.

O impacto foi tamanho que o rival anunciou a renúncia à atividade política, coisa aliás que fez antes o comandante dos liberais democratas, Jo Swinson, que quando viu o tsunami de votos conservadores correu pra pedir o boné.

Realmente, foi uma vitória maiúscula que permitirá agora a Johnson executar o Brexit sem muito blá blá blá da oposição. E que deverá ser concluído até 31 de janeiro do ano vindouro. Ele disse que isso será realidade em seis semanas.

A vitória de Boris Johnson vai fortalecer as relações entre a Inglaterra e os Estados Unidos e dará mais gás à onda de conservadorismo que se espalha no mundo, principalmente na Europa que refuta esquerdismo e imigração.

Junte-se a Boris e a Trump o interesse comercial e político de Putin, Xi Jinping, Merkel, Nahurito, János Áder, Andrzej Duda, Reuven Rivlin, Justin Trudeau, Mattarella e Jair Bolsonaro. As perspectivas são as piores para a lacração.

O pirralho do Lula
A revista Crusoé traz na capa uma foto de Fábio Luiz com manchete “A Vez de Lulinha” e o texto “A Polícia Federal finalmente chega aos negócios milionários do primogênito de Lula com empresas da área de telecomunicações”.

Mimimi
Há uma geração de jornalistas totalmente equivocada em alguns aspectos da atividade. Na sexta-feira, uma repórter da Folha chamava de censura o fato de um prefeito não querer dar entrevista para jornalistas das marcas da Globo.

Famosos
O site “vix.com” publicou uma lista com as 100 mais importantes celebridades do Brasil. Eu conheço apenas 23 figuras, sendo metade jogadores de futebol e alguns integrantes de programas de televisão, novelas e mundo musical.

Bate-papo
A partir das 8 horas da manhã da segunda-feira os jornalistas Vicente Serejo e Augusto Fontenele discutem, sobre o comando de Ciro Pedroza, na Hora do Café da rádio 95 FM, os principais assuntos que foram destaque em 2019.

Perfil
O jornalista Franklin Jorge publicou em seu site www.navegos.com.br um longo texto traçando o perfil biográfico do colega Cassiano Arruda, um dos nomes de maior referência no colunismo impresso do jornalismo das últimas décadas.

Maconha
A MLB, Major League of Baseball, dos EUA, decidiu não mais considerar substância proibida a maconha na prática do esporte. Diferente de outras drogas, a canabis sativa não altera positivamente o desempenho dos atletas.

Porquinho
Com mais de 25 anos em atividade, a Confraria do Porquinho, que reúne profissionais de diversas áreas, terá seu tradicional encontro anual na próxima sexta-feira, a partir das 12h, no Restaurante Nemésio’s, em Petrópolis.

Sobremesa
Alunos do curso de gastronomia da UnP fizeram uma homenagem à fundadora do Bar de Nazaré, no Beco da Lama, e batizaram com seu nome uma nova sobremesa criada a partir de coco verde, castanha e caldas de reduções.



continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários