O vai e vem do Forte dos Reis Magos

Publicação: 2016-03-31 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O ministro da Cultura Juca Ferreira, o diretor geral da Fundação José Augusto Crispiniano Neto, e a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) se reuniram em Brasília na última terça-feira (29) para conversar sobre o desenvolvimento de políticas públicas culturais no Rio Grande do Norte. Entre os assuntos em pauta, destaque para para o retorno da gestão da Fortaleza dos Reis Magos ao Governo Estadual.
Emanuel AmaralPatrimônio nacional, Fortaleza dos Reis Magos está sob guarda do IPHAN desde 2014Patrimônio nacional, Fortaleza dos Reis Magos está sob guarda do IPHAN desde 2014

O encontro teve a participação da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Jurema Machado, que se pronunciou, juntamente com o ministro Juca Ferreira, pela devolução da fortaleza à gestão da FJA. O pleito será encaminhado à Secretaria de Patrimônio da União (SPU), que detém a titularidade do Forte. O Iphan-RN dispõe de um projeto completo de reforma e reestruturação do monumento aprovado, ainda em 2013, no PAC Cidades Históricas.

Durante a audiência na sede do MinC também foi debatida as compensações de investimentos da ordem de R$ 10 milhões que o Governo do RN, via programa RN Sustentável (recursos do Banco Mundial) pretende investir na na reforma do Teatro Alberto Maranhão, interditado desde julho do ano passado por falta de segurança. “O ministro foi receptivo ao pleito (do TAM) e solicitou que fosse aguardada repasse de recursos que o Governo Federal já se comprometeu a fazer”, informou Crispiniano Neto.

Outros assuntos foram tratados durante ao audiência no MinC, como a liberação de parcelas restantes do programa Cultura Viva, Pontos de Cultura e a  criação de Centros Multiusos de Cultura no RN – os chamados Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUS).

De acordo com a assessoria da FJA, o ministro Juca Ferreira autorizou a setor responsável do MinC a negociar soluções com a Fundação José Augusto, em data a ser definida. A intenção é que a nova reunião aconteça já na próxima semana.

O diretor geral da Fundação José Augusto considerou a audiência muito produtiva: “Quando voltei à FJA precisei dar um salto para dentro, no sentido de continuar o processo de arrumação da casa e de elaboração de projetos para salvar a infraestrutura da cultura potiguar, pois teatros, museus, bibliotecas, casas de cultura estavam todos fechados ou funcionando precariamente.

Em tempo: o maior, mais conhecido, mais visitado e mais antigo monumento do Rio Grande do Norte passou para a guarda do Iphan-RN em maio de 2013, após constatação que o cessão do espaço ao Estado estava vencida. A superintendência local do Iphan chegou a realizar escavações arqueológicas já com parte dos recursos do PAC Cidades Históricas – o projeto aprovado foi orçado em R$ 8,8 milhões, e a intenção é que os recursos fossem liberados antes da Copa do Mundo de 2014.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários