Natal
OAB-RN fará eleições no próximo dia 19 para triênio 2022/2024; conheça chapas
Publicado: 00:00:00 - 24/10/2021 Atualizado: 18:40:33 - 23/10/2021
A seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte (OAB/RN) vai eleger, no próximo dia 19 de novembro, a nova direção para o triênio 2022/2024. As chapas para concorrer ao pleito – cinco no total – foram formadas nesta semana. Além disso, serão escolhidas as representações da OAB em sete subsecções de cidades do interior e também a representação do RN no Conselho Federal. (Ao final da matéria, confira quais os candidatos e suas propostas).

divulgação
Comissão Eleitoral da OAB aponta que há hoje 6,9 mil advogados aptos para votação

Comissão Eleitoral da OAB aponta que há hoje 6,9 mil advogados aptos para votação


A seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte (OAB/RN) vai eleger, no próximo dia 19 de novembro, a nova direção para o triênio 2022/2024. As chapas para concorrer ao pleito – cinco no total – foram formadas nesta semana. Além disso, serão escolhidas as representações da OAB em sete subsecções de cidades do interior e também a representação do RN no Conselho Federal.

Segundo o presidente da Comissão Eleitoral, o advogado Wlademir Capistrano, pelo menos 6,9 mil advogados potiguares estão aptos a votar (como regra, é preciso estar adimplente com o pagamento da anuidade até o dia 20 de outubro de 2021 (30 dias antes das eleições). Número maior do que o de eleitores de 91 municípios brasileiros, segundo o TSE. O pleito de novembro conta com uma novidade: é a primeira eleição da OAB no Estado a contar com a exigência de cotas.

“Metade dos cargos têm que ser preenchida por candidatos de cada gênero – homem e mulher – e 30% por candidatos autodeclarados negros. Essa é uma tendência dos processos eleitorais no Brasil inteiro, para que seja fortalecida, por meio de cotas, a presença feminina e de pessoas negras nas políticas institucionais das entidades e de todos os segmentos da sociedade”, destaca o presidente da Comissão Eleitoral.

Para ele, esse é um fator importante, uma vez que, avalia, a OAB tem entre suas  atribuições legais, a defesa da democracia.  “Reafirmar a importância da participação de mulheres e negros na política – e aí me refiro à política como um todo – faz parte dessa atividade do estado democrático de direito. Por isso é primordial elevar a participação de dois importantes segmentos da sociedade dentro da instituição”, pontua Capistrano. 

Para o pleito, cada chapa deve ser composta por 35 Conselheiros Seccionais Titulares, incluindo 5 membros para composição da diretoria; 35 Conselheiros Seccionais Substitutos; três Conselheiros Federais Titulares; três Conselheiros Federais Suplentes; cinco membros da Diretoria da Caixa de Assistência dos Advogados do RN (CAARN); dois suplentes da CAARN; e Diretorias das Subsecções e/ou Conselhos Subseccionais, e Suplentes, se houver. 

No caso das subsecções, estão concorrendo 11 candidatos, em sete cidades do interior: Mossoró (3 candidatos); Goianinha e Assú (2 candidatos, cada); Pau dos Ferros, Macau, Caicó e Currais Novos (1 candidato cada).

Ao todo, serão montadas 27 seções no Estado para a votação. Em Natal, serão 18, que terão como local o Centro Universitário do Rio Grande do Norte (UNI-RN), além de três seções em Mossoró e uma seção em cada uma das outras seis cidades do interior.

O edital do processo eleitoral prevê que, para se candidatar à disputa, o candidato precisa estar adimplente, sem contas de gestões anteriores da OAB rejeitadas e não pode ter sofrido punição disciplinar na Ordem nos últimos cinco anos.  “São questões para garantir ao candidato condições de elegibilidade”, explica o presidente da Comissão eleitoral, Wlademir Capistrano. 

É do presidente da Comissão, inclusive, a tarefa de acompanhar o cumprimento das regras do edital para coibir possíveis excesso por parte dos candidatos. Capistrano espera que o processo seja tranquilo nesse sentido. “A Comissão conta com a colaboração dos candidatos. Nós estamos tratando de uma eleição entre advogados, uma categoria que, presume-se, conhece muito bem a lei”, afirma. 

“Como as regras são muito claras, a gente espera que todos deem o exemplo, de cumprimento da lei. Se houver denúncias, a comissão vai apurar e, caso haja a confirmação de excessos, vai aplicar as penalidades que a norma prevê, inclusive, com a cassação do registro da chapa, se for preciso”, esclarece Capistrano.


Magna Letícia - Chapa 20
magnus nascimento
Magna Letícia

Magna Letícia


A candidata defende uma OAB acolhedora e plural. Dentre suas propostas, estão o combate  à violação das prerrogativas advocatícias, uma maior atenção à advocacia iniciante e o restabelecimento da  Escola Superior de Advocacia (ESA).

“A equação desastrosa do desagravo e discurso sem ação nenhuma, não cabe mais. Os advogados estão sendo agredidos, até fisicamente, e isso é uma mácula para uma OAB que não se posiciona, ou quando o faz, faz de maneira  incompatível e desproporcional à agressão”, afirma, sobre as prerrogativas.

 Sobre a inadimplência da categoria, a candidata aponta: “A nossa anuidade é uma das mais caras do Brasil e não vejo uma contrapartida que possa justificar isso. Pagamos caro em anuidade e não vemos esse investimento ser revertido em nosso benefício. Algo está errado e isso será corrigido na nossa gestão”, afirma.

Questionada por que o advogado potiguar deve votar na candidata, Magna Letícia sublinha: “Construí uma trajetória profissional pautada na firmeza de princípios, na verdade, na coragem, na responsabilidade com o que assumo e na manutenção de compromissos.  Tenho a consciência de que os nossos caminhos nunca são fáceis, mas que as nossas vitórias são a pavimentação para tantas outras mulheres que buscam a justa igualdade nos espaços de protagonismo”.

Elisângela Fernandes – Chapa 80
adriano abreu
Elisângela Fernandes

Elisângela Fernandes

A candidata defende uma maior aproximação entre a advocacia e a OAB, a fim de criar um acolhimento e uma conexão junto à Instituição. Dentre suas propostas, estão a defesa das  prerrogativas da advocacia, a  melhoria da qualidade profissional da categoria e a luta por remuneração digna. 
“Até ações simples tornam-se um verdadeiro martírio para a advocacia. O enfrentamento diário é urgente. A OAB precisa ter diálogo franco e permanente com as instituições do sistema prisional, entidades de classe e tomar medidas administrativas e judiciais mais efetivas sempre que cabíveis”, comenta, sobre as  prerrogativas.

Sobre a inadimplência, a candidata aponta: “Falta serviço prestado de forma qualificada. Nossa proposta é cobrar uma anuidade compatível com o trabalho ofertado, adotar o cash back, ampliar os programas de amparo financeiro para quem necessitar e aumentar os descontos para o pagamento em dia”, afirma.

Questionada por que o advogado potiguar deve votar na candidata, Elisângela Fernandes sublinha: “Defendemos o exercício da advocacia de forma livre, ética e independente e assim também fazemos a campanha eleitoral, sem amarras, sem acordos, sem vaidades.
O que queremos é uma advocacia unida, liberta, respeitada, forte, igualitária, diversa, representativa e justa para todas e todos”.

Aldo Medeiros - chapa 10
alex régis
Aldo Medeiros

Aldo Medeiros

O advogado concorre à reeleição com a proposta de continuidade da defesa  das prerrogativas e valorização da advocacia. O apoio ao jovem advogado, a qualificação dos profissionais da advocacia e a defesa dos princípios constitucionais estão entre as propostas.

“A defesa das prerrogativas é um dos nossos grandes compromissos. Nossa gestão à frente da OAB escreveu um capítulo histórico ao profissionalizar a defesa delas, com  uma Central de Defesa de Prerrogativas integrada por procuradores profissionalizados que cuidam de todo o trabalho”, afirma. Sobre a inadimplência, o candidato aponta: “A inadimplência é consequência da crise financeira que adveio desde a recessão da economia do país, seguido do colapso que veio com a pandemia. Neste contexto nossa seccional solicitou ao Conselho Federal que houvesse uma revisão do Provimento 185/2018 possibilitando a redução excepcional das anuidades como consequência da interrupção das atividades. Não fomos atendidos, porém é nossa intenção reabrir a discussão no novo triênio”, esclarece.

Questionado por que deve ser escolhido, Aldo Medeiros sublinha: “Esse voto acontecerá  pelo compromisso de continuar no rumo certo. Adquirimos mais experiência, avaliamos os acertos e constituímos uma nova equipe, identificando os que melhor se dedicam ao trabalho” .

Marcelo Henrique – Chapa 30
divulgação
Marcelo Henrique

Marcelo Henrique

 Dentre as propostas do candidato estão a  comunicação direta da OAB com a categoria, a defesa da qualidade dos cursos e das capacitações para a classe e  políticas de inclusão – em especial o empoderamento da mulher advogada.

Sobre as prerrogativas do advogado, Marcelo Torres defende que o exercício profissional da classe seja amparado pelo  respeito à inviolabilidade dos meios, local de trabalho e imunidade  profissional. “Essa é uma das nossas principais bandeiras, pois defendemos combater os absurdos e os abusos de autoridade para fortalecer os direitos do advogado”, relata.

A intenção é criar o Comitê de Defesas das Prerrogativas da Advocacia, para articular os projetos e ações acerca do tema. Sobre a inadimplência da categoria, o candidato aponta: “Nossa chapa foi a primeira a anunciar o compromisso de redução da anuidade, baseada num estudo contábil e sem prejuízo para o orçamento institucional. Esse será um compromisso que pretendemos cumprir, com a redução da anuidade logo no primeiro semestre de gestão”. 

Questionado por que o advogado potiguar deve votar no candidato, Marcelo Torres sublinha: “Buscaremos estreitar os laços entre o advogado e a OAB. Nosso movimento é de renovação da classe e da instituição, tão desgastada pelos mesmos grupos que há anos comandam a instituição”.

Fernando Pinto – Chapa 50
alex régis
Fernando Pinto

Fernando Pinto

O candidato defende o fortalecimento da OAB e a promoção de oportunidades para todos, da capital ao interior. “Decidi concorrer à presidência para fazer a OAB e os advogados serem respeitados novamente. Sem dúvida, o maior desafio é recuperar a imagem da Ordem e do advogado”, diz. 
“Há um consenso de que a  advocacia está empobrecida e a liberdade se tornou uma benesse, enquanto que, na realidade, deve ser o inabalável instrumento das estabilidades institucionais, sendo a OAB, fundamental para esse reequilíbrio”, afirma. Segundo ele, sob sua direção, a OAB  será um  vetor de oportunidades.

Sobre a inadimplência, o candidato aponta: “Apenas como preâmbulo, vamos reduzir a anuidade e em 50% no mínimo. Inadmissível que mais da metade da advocacia não consiga pagar. Considero que não há transparência adequada e a elevada taxa anual, ao que tudo indica, tem por objetivo deixar a OAB para os poucos dessa bolha”. 

Questionado por que deve ser escolhido, Fernando Pinto sublinha: “Teremos pessoas que pensam politicamente e de forma plural, sendo proibido o proselitismo político-partidário. Implementaremos pautas reais de inclusão, com cadeira de rodas em suas salas e estabelecimentos. A OAB oportunizará tratamento psicológico para o advogado que se sinta com algum problema em virtude dos assédios sofridos, incluindo o grupo LGBT”. 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte