Obra de Igapó é iniciada e tem acréscimo no valor total

Publicação: 2020-02-21 00:00:00
A+ A-
Ícaro Carvalho
Repórter

Uma das etapas da obra do Gancho de Igapó foi iniciada nesta quinta-feira (20) por parte do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit). Orçada inicialmente em R$ 30 milhões, o custo total previsto para a obra é de R$ 60 milhões. O acréscimo no valor diz respeito a reajustes no valor inicial da obra, desapropriações previstas no local do projeto e supervisões ambientais e de obras. Em caixa, o Dnit conta com R$ 4,5 milhões para iniciar a obra, com prazo de conclusão previsto em 24 meses.

Créditos: Adriano AbreuMudança no tráfego na área foi realizada de forma a deixar local da obra livre de trânsitoMudança no tráfego na área foi realizada de forma a deixar local da obra livre de trânsito


As informações foram repassadas numa coletiva de imprensa convocada na tarde desta quinta-feira (20), na sede do Dnit, em Natal. Além do superintendente do órgão, general Daniel Dantas, participaram membros da Secretaria de Mobilidade de Urbana de Natal (STTU), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e outras autoridades.

Licitada em 2014, a obra só teve sua Ordem de Serviço expedida em junho de 2016. Foi a partir daí, por exemplo, que as primeiras fases da obra começaram a ser tocadas, como as desapropriações, supressões vegetais, pavimentação e sinalização dos desvios de tráfego e relocação de interferências. O projeto, segundo o Dnit, também passou por adaptações para atender usuários locais, comerciantes e o transporte público, com o objetivo de minimizar os impactos da obra.

Aliado a isso, segundo a Superintendência Regional do Dnit, a segunda parte da obra consistiu nas demolições, remoção de entulhos e realocação das redes concessionárias, como Companhia de Águas e Esgotos do RN, dutos da Potigás, entre outras redes.

Só nos tocantes às desapropriações, foram gastos R$ 10 milhões, sendo 37 imóveis demolidos. No projeto, segundo o superintendente general Daniel Dantas, outras três estão previstas e outra eventual desapropriação seja de fato necessária. O órgão trabalha para que essas demolições não sejam necessárias.

A fase iniciada nesta quinta compete à mudança de tráfego de algumas ruas nas proximidades do Gancho. Nas ruas Henrique Dias e Ponte Nova, o fluxo passa a acontecer de forma binária, isto é, no sentido único para quem busca o Aeroporto Internacional Aluízio Alves ou adjacências de São Gonçalo do Amarante. Para quem se desloca no sentido Centro de Natal, as ruas Vivaldo Pereira e Santa Luzia também vão operar em mão única. Para condutores que saem do Aeroporto em direção à São Gonçalo do Amarante, a sugestão é ir pela rua Criciúma, em sentido único.

“Na conversa com os agentes, chegamos à conclusão que o ideal é fazer essas mudanças. Por isso que nesta quinta já começamos a fazer operações no tráfego da região Norte com as ruas Henrique Dias e a Ponte Nova e na rua Santa Luzia e Vivaldo Pereira que passam a ter sentido único”, explica o general Daniel Dantas, do Dnit. Ele explica que é melhor delimitar áreas para acostumar o cidadão ao trânsito.

No dia 5 de março, a Avenida Tomaz Landim será parcialmente interditada para a construção do viaduto de Igapó, uma das etapas da obra. Nesta data, o tráfego será permitido apenas para o transporte público coletivo e veículos oficiais. A ideia é que o viaduto fique pronto em 12 meses.

Além do viaduto que será erguido, o complexo de obras prevê ainda uma rotatória e um túnel em "Y". A ideia é melhorar a mobilidade do fluxo de transportes na zona Norte, o acesso ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves e os acessos à BR-406. Atualmente, estima-se que 70 mil veículos trafeguem pela rodovia.

Em nota, o DNIT informou que o valor de R$ 30 milhões foi orçado no ano de 2014 e não incluía o investimento com desapropriações, supervisão para acompanhamento das obras e supervisão ambiental e que o valor de R$ 60 milhões engloba a obra, supervisão ambiental e desapropriações. "Em 2020, os acréscimos no valor da obra foram decorrentes de reajustes relacionados aos índices oficiais de correção de inflação.
Portanto, o DNIT esclarece que, não há que se falar no 'dobro do valor inicial'".

Entenda os desvios

Sentido Centro-Aeroporto:
Ruas Henrique Dias e Ponte Nova operam em mão única

Sentido Aeroporto-Centro:
Ruas Vivaldo Pereira e Santa Luzia operam em mão única

Sentido Aeroporto-São Gonçalo do Amarante:
Rua Criciúma opera em sentido único

Confira as mudanças que serão feitas com a obra de Igapó:

Créditos: DivulgaçãoMaquete complexo viário do gancho de IgapóMaquete complexo viário do gancho de Igapó




Números
R$ 60 milhões é o valor total da obra do Gancho de Igapó, incluindo desapropriações;

R$ 10 milhões foram pagos somente nas desapropriações e nos serviços de demolições

24 meses é a previsão para que a obra seja concluída



Atualizada Às 16h29






Deixe seu comentário!

Comentários