Obras do ramal Apodi para a transposição do Rio São Francisco não têm data para começar

Publicação: 2019-09-19 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Mariana Ceci
Repórter

As obras do Ramal Apodi, que vai levar as águas da transposição do Rio São Francisco para 54 municípios potiguares, não têm data para começar no Rio Grande do Norte. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Recursos Hídricos, que afirma que apenas R$ 5 milhões dos R$ 3 bilhões necessários para a obra foram liberados pelo Governo Federal. O valor, por ser “irrisório” em relação ao total necessário para a execução, de acordo com a Secretaria, não é suficiente para iniciar a construção do ramal.

Secretário de Recursos Hídricos, João Maria Cavalcanti, afirma que valor liberado não é suficiente
Secretário de Recursos Hídricos, João Maria Cavalcanti, afirma que valor liberado não é suficiente

"Ela já está no Plano Nacional de Segurança Hídrica, portanto há uma previsão para os próximos quatro anos, mas a transferência de apenas R$ 5 milhões inviabiliza o início da obra nesse momento, porque ela está orçada em R$ 3 bilhões", afirma o secretário de recursos hídricos do Estado, João Maria Cavalcanti.

O projeto de transposição do rio São Francisco foi pensado pela primeira vez em 1847. Ele voltou a ser discutido em 1878, e o debate foi retomado em 1943, com Getúlio Vargas. As obras tiveram início em 2005, e se arrastam desde então, com sucessivos atrasos e extensões de prazos para envio de recursos do Governo Federal.

De acordo com o secretário João Maria Cavalcanti, caso mais recursos não sejam repassados pela União, esse trecho da obra, que integra o pacote do Eixo Norte, não será iniciado nem esse ano, nem no ano que vem. “Nada impede que o Governo faça a transferência e iniciemos a obra antes mas, no cenário atual, não há perspectiva de início em um futuro próximo”, diz.

Esse não é o único trecho da obras que passará por atrasos. A porta de entrada para as águas do São Francisco no Rio Grande do Norte, através do ramal do rio Piranhas-Açu, que estava prevista para ser entregue em junho de 2020 teve seu prazo estendido para dezembro de 2021.

O Projeto de Integração do Rio São Francisco é a maior obra de infraestrutura hídrica do país. Ao todo, são 477 quilômetros de extensão, divididos nos eixos Leste e Norte. O objetivo é que a obra garanta segurança hídrica a cerca de 12 milhões de pessoas em 390 municípios que sofrem com a seca constante nos estados da Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

Segundo um relatório da Agência Nacional de Águas do Plano Nacional de Segurança Hídrica, a conclusão do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco é a principal para garantir a segurança hídrica do Rio Grande do Norte.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários