Natal
Obras só começam em 60 dias
Publicado: 00:00:00 - 25/02/2012 Atualizado: 23:43:49 - 24/02/2012
Ricardo Araújo - repórter

A placa sinaliza que as obras de mobilidade urbana com vistas à Copa do Mundo começaram em Natal. As máquinas estão nas ruas do bairro das Quintas recapeando e asfaltando vias que servirão como corredores para o escoamento do tráfego que ficará reprimido nas avenidas Mário Negócio e Bernardo Vieira. Neste cenário, o Município comemorou ontem, com orquestra de metais e balões verde e amarelo, o “ponta pé inicial das obras que ficarão na história de Natal”, conforme discursou a prefeita Micarla de Sousa. Entretanto, as intervenções estruturantes poderão levar mais dois meses para, de fato, saírem do papel. Faltam licenciamentos ambientais, adequação da antiga sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) que irá sediar a Urbana e, o que é considerado o mais complicado, a viabilização das desapropriações dos imóveis situados no traçado do projeto executivo do Lote 1 das obras.

Obras só começam em 60 dias; fotos


“Nós iremos iniciar as obras fazendo os desvios para o fluxo de veículos e ônibus. As obras no entorno da Urbana poderão ser iniciadas daqui a 60 dias”, confirmou o titular da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Sérgio Pinheiro. Micarla de Sousa ratificou a informação do auxiliar. Ontem, durante o evento que marcou o lançamento das obras de mobilidade urbana, Sérgio Pinheiro resumiu seu discurso em elogios à atual administração e não detalhou cronogramas relacionados às obras ou apresentou mapas relacionados ao plano traçado para os veículos que precisarão circular na área do futuro canteiro de obras.

Em contrapartida, o titular da Semopi detalhou que o projeto de recuperação viária, que corresponde ao asfaltamento ou recapeamento de um complexo de 27 ruas, custará cerca de R$ 15 milhões ao Município. “Este é o valor da contrapartida das obras que é diferente da contrapartida das desapropriações. Já dispomos integralmente deste valor. Teremos, porém, que apertarmos o cronograma para entregarmos as obras no prazo estabelecido pelo Ministério das Cidades”, afirmou Sérgio Pinheiro. O recapeamento asfáltico nas Quintas foi iniciado na Rua São Geraldo, onde foi montado o palco para a transferência de poderes entre Edivan Martins, que assumiu a Prefeitura de Natal durante o carnaval, para a chefe do executivo municipal, Micarla de Sousa, que retornou do recesso quinta-feira passada.

Na cerimônia, o detalhamento das intervenções foi um assunto coadjuvante. “São muitos os que tentam atrapalhar, mas todos acompanham o avanço da sua gestão”, disse Sérgio Pinheiro à prefeita. Ela, por sua vez, criticou adversários políticos e ex-prefeitos, afirmando que a conquista da Copa do Mundo em Natal é um mérito da gestão da qual é chefe. “Eu tive que lutar contra uma coisa chamada desconfiança. Os que passaram antes de mim (ex-governantes) não candidataram a cidade. Quebraram a cara. Eu fui lá, candidatei e ganhamos”, ressaltou a prefeita após reassumir o cargo.

Micarla de Sousa ratificou que todas as intervenções seguem o cronograma estipulado pelo Governo e, em breve, o segundo lote de obras será licitado. “O primeiro lote é mais simples e tudo está dentro do prazo”, assegurou. A Caixa Econômica Federal, no início da semana passada, solicitou pela quarta vez, novas explicações ao Município acerca dos valores cotados para as obras. De acordo com Sérgio Pinheiro, as explicações seriam remetidas ao banco financiador das obras ontem à tarde. Estima-se que cerca de R$ 108 milhões sejam consumidos no primeiro lote.

Festa marca início das adequações

 O evento realizado pela Prefeitura  para o lançamento das obras do Plano Municipal de Mobilidade Urbana foi uma festa com direito a grupo de metais. “É importante que a partida, que o ponta pé inicial seja dado aqui no bairro das Quintas”, ressaltou o presidente da Câmara Municipal, o vereador Edivan Martins. Foi neste bairro que ele iniciou sua carreira política há cerca de 20 anos. Alheios aos detalhes que dizem respeito às obras de mobilidade urbana lançadas ontem pela Prefeitura, os políticos presentes na cerimônia se ativeram à troca de elogios entre si e ao engrandecimento dos feitos da prefeita Micarla de Sousa.

Durante quase 20 minutos, Edivan Martins fez poucas referências às intervenções que se iniciavam e tornou público seu pensamento acerca da atual administração. “Desde a criação do Forte dos Reis Magos, esta foi a administração que mais investiu em educação”, comparou o vereador. Além disso, ele fez menção aos investimentos do Município na construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Pajuçara e da excelência dos serviços ali prestados, assim como a erradicação de favelas e a implementação do plano de cargos, carreiras e salários para os servidores municipais. “A prefeita que implementou e transformou tudo isso num fato concreto e real, foi Micarla de Sousa”, destacou o vereador.

A prefeita correspondeu aos elogios do correligionário Edivan Martins dizendo que a transferência da Prefeitura de Natal para o vereador, durante o carnaval, foi um gesto acordado com o vice-prefeito Paulinho Freire como forma de agradecimento ao trabalho desenvolvido por Edivan Martins ao longo dos últimos três anos. Assim como Sérgio Pinheiro, a chefe do executivo municipal destacou mais o que sua gestão realizou em Natal do que o detalhamento do cronograma das obras de mobilidade urbana. “Estou fazendo tudo o que prometi durante minha campanha”, ressaltou a prefeita.

Micarla de Sousa afirmou que não sossegará enquanto não remover a favela do Maruim para um local mais digno. Sobre os questionamentos acerca dos buracos ou da falta de capeamento asfáltico em determinadas ruas, a própria prefeita afirmou que respondia dizendo que “os recursos estão sendo aplicados na Saúde e na Educação”. Em relação à UPA da Cidade da Esperança, cujas obras estão paradas há meses, a prefeita disse que, quando pronta, “a unidade atenderá o dobro de pacientes do Hospital Walfredo Gurgel que, segundo ela, é de 400 pacientes por dia.

Cronologia

Maio de 2009

No dia 31 de maio, a Fifa anuncia Natal como uma das cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014. Governantes reúnem secretariado para formatação de projetos estruturantes. Segundo eles, o maior legado da Copa 2014 no Brasil.

Agosto de 2010

Nove meses depois da apresentação dos projetos de mobilidade, a Prefeitura do Natal lança o edital de licitação das obras. A expectativa do então titular da Semopi, Demétrio Torres, era de que R$ 141 milhões em obras fossem contratados. A EIT Engenharia é a ganhadora do processo licitatório do Lote 1, ao custo de R$ 137,9 milhões.

Abril de 2011

Cinco meses após a assinatura do contrato com a EIT Engenharia, nenhum sinal do início das obras de mobilidade urbana. A entrega dos projetos executivos à Caixa Econômica Federal (CEF), sofre o primeiro atraso e é adiada para 15 de maio. Com pendências junto ao Cadastro Único de Convênios (Cauc) do Governo Federal, o então titular da Semopi, Dâmocles Trinta, afirmou pela primeira vez que as obras de mobilidade podem sofrer atrasos caso a pendência não fosse resolvida em tempo hábil. Após quatro adiamentos, o Município entrega os projetos à Caixa Econômica Federal.

Fevereiro de 2012

Pela quarta vez, a CEF pediu esclarecimentos à Semopi em relação aos valores de cinco itens  u incluindo projetos técnicos. O início das obras se resumiu ao levantamento topográfico de ruas do bairro das Quintas que sofrerão  intervenções viárias e ao capeamento asfáltico de aproximadamente 30 ruas que servirão como corredores para ônibus e veículos. O início das obras de infraestrutura se dará em 60 dias.

DEZEMBRO de 2013

Prazo estipulado pelo Ministério das Cidades para a conclusão das obras dos planos municipais de mobilidade urbana das cidades-sedes da Copa do Mundo 2014.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte