Ocupação de hotéis chega a 75%

Publicação: 2014-12-28 00:00:00
A ocupação da rede hoteleira de Natal neste final de ano já chega a 75%. O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Habib Chalita, analisou que os números são animadores para o setor, já que ano passado o percentual foi de 70%. O aumento da ocupação na rede hoteleira é reflexo também dos vôos charters programados para aterrissarem na capital potiguar nesta alta estação. No total, serão 800 vôos.
Melhoria do fluxo de turistas no início do verão renova as esperanças do hoteleiros para 2015
No entanto, a estatísticas desse período de final de ano não acabam com a preocupação dos hoteleiros, que encerram o ano amargando uma crise no setor. “Faltou um planejamento por parte do Governo. Os 53 setores movimentados pelo turismo sentiram fortemente a crise. Não houve uma política de Estado e sim uma política de Governo”, analisou Chalita.

O presidente da ABIH observou que de 2011 para 2014 ocorreu uma queda de 20% na rede hoteleira. Ou seja, a média de ocupação há três anos era 74%. 2014 está se encerrando com a média de  53%. “Estamos com 45% de ociosidade dentro da cadeia econômica do Rio Grande do Norte. Crescemos pouco e estamos na ociosidade”, observou o empresário, durante entrevista ao programa RN Acontece, da Band.

Ele classificou como de fundamental importância a redução do imposto do querosene de aviação aliado a uma ação junto as companhias aéreas. “É de fundamental importância o trabalho junto às operadores e as companhias aéreas a partir da redução do imposto do querosene de aviação”, disse Habib Chalita, lembrando que há um compromisso do governador eleito de promover o incentivo tributário.

“O turismo é uma alavanca  mestre da economia do Rio Grande do Norte. Ele (Robinson Faria) vai ter em três meses a injeção do que está assinando (a redução do querosene de aviação)”, comentou.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis disse estar otimista para o próximo ano, inclusive com a expectativa de que a cidade de Natal receba um vôo direto para África. “O trabalho vem mostrando que há sinais positivos para reação”, disse.