Ocupação de leitos críticos para a covid sobe 73% no Rio Grande do Norte

Publicação: 2021-02-25 00:00:00
Felipe Salustino
Repórter
Ricardo Araújo
Editor

Em dois meses, o quantitativo de pacientes internados em leitos críticos para o tratamento da covid-19 na rede pública de assistência à saúde no Rio Grande do Norte cresceu 73,57%. Em 25 de dezembro, quando as aglomerações das eleições no Estado se refletiam no recrudescimento das internações pela doença, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) tinha 140 pacientes críticos distribuídos em seus hospitais referenciados para a pandemia. Nesse 24 de fevereiro, o número era de 243, considerado crítico pela pasta. O lamentável aumento dos casos confirmados levou o Estado a registrar 88,7% de ocupação dos leitos críticos conforme a Plataforma Regula RN.

Créditos: Adriano AbreuNúmero de pacientes internados voltou a subir após as aglomerações do período eleitoral. Festas de réveillon, veraneio e carnaval pioraram situação da pandemiaNúmero de pacientes internados voltou a subir após as aglomerações do período eleitoral. Festas de réveillon, veraneio e carnaval pioraram situação da pandemia

De acordo com o Boletim Epidemiológico Nº 252, de 25 de dezembro de 2020, o Rio Grande do Norte contabilizava 431 pacientes internados em razão da covid-19. Desses, 266 estavam no serviço público, sendo 126 em leitos clínicos e 140 em leitos críticos e semi-intensivos, o que correspondia a 60,5% de ocupação dos leitos do Sistema Único de Saúde (SUS). Nesse 24 de fevereiro, conforme o Boletim Epidemiológico Nº 301, o total de internados era de 720, assim distribuídos: 437 no serviço público, dos quais 217 em leitos clínicos e 243 leitos críticos e semi-intensivos, correspondente a 80,7% de ocupação dos leitos SUS para tal fim. 

A  alta, porém, não se restringe à rede pública de saúde. O serviço privado tinha, em 25 de dezembro do ano passado, 155 pacientes com covid. Desses, 60 em leitos clínicos e 95 em leitos críticos e semi-intensivos, o que correspondia a 68,1% dos leitos privados para a covid-19. Nesse dia 24 de fevereiro, o número havia saltado para 260 pacientes internados. Dos quais 97 estavam em leitos clínicos e 163 leitos críticos e semi-intensivos, o que correspondia a 100% da oferta de leitos da rede privada. 

Hospitais
 Às 18h40 dessa quarta-feira, 12 hospitais públicos no RN estavam com 100% de ocupação dos leitos críticos para a covid-19. Segundo o titular da Sesap/RN, Cipriano Maia, os reflexos do momento atual podem estar atrelados, entre outros fatores, a uma maior permanência dos pacientes nos leitos de internação. 

“Tem se observado um aumento no período de internação dos pacientes, mas ainda não temos números precisos. O que os dados mostram, de fato, é que a demanda diária por leitos críticos e clínicos cresceu muito. Até janeiro, a gente tinha uma média de solicitação que variava em torno de 65 demandas por dia. A partir do início de fevereiro, essa demanda começa a subir. Nós tivemos um pico na última sexta (19), quando recebemos 115 solicitações. Esse número se mantém agora num patamar de 80 a 90 casos, o que mostra maior pressão no sistema de Saúde”, explicou o secretário.

Ainda de acordo com Cipriano Maia, o perfil de infectados da doença também vem mudando. “Antes, a infecção atingia predominantemente os homens, mas agora temos um aumento expressivo de infecções em mulheres”, disse. 

Nessa quarta-feira, o sistema de monitoramento dos casos de covid-19, desenvolvido pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN), apontava que as mulheres com idade entre 35 e 39 anos eram as mais infectadas no RN (10.789 confirmações). Os homens com a mesma faixa etária somavam 9.798 casos. 

Além disso, segundo afirmou Cipriano Maia, o número de internações de jovens acometidos pela doença também registra aumento. “Existem indicativos de que há uma proporção maior de pacientes mais jovens sendo internados e, em algumas situações, com quadros mais críticos”, alertou. 

Sesap abrirá mais 64 leitos críticos nos próximos dias
Para ampliar a rede assistencial, o Governo do Estado iniciou o processo de instalação de novos leitos.

 “Já temos 7 novos leitos críticos no Hospital Belarmina Monte, em São Gonçalo do Amarante. Esse número será ampliado para 10, por meio de uma parceria entre o Governo do Estado e o Município. Também temos 9 instalações recentes no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), que já estão ocupadas por pacientes de Manaus (AM). No Hospital de Campanha de Natal foram instalados 10 leitos na segunda-feira, também por meio de parceria entre Estado e Município. Cidades do interior, como João Câmara e Pau dos Ferros já receberam reforço e até o próximo fim de semana, o Gisela Trigueiro e o João Machado, em Natal, ganharão novos leitos”, disse o secretário.

O Estado tem enfrentado dificuldades para encontrar insumos e equipamentos, o que tem afetado o andamento das instalações. “Existe a previsão de abrir 4 novos leitos em Macaíba, mas estamos dependendo de bombas de infusão. Há uma perspectiva para reativar mais cinco leitos em Parnamirim, mas é preciso equacionar o problema da falta de bobina de oxigênio”, explicou Maia. Segundo adiantou, o planejamento da Sesap prevê novos leitos em todas as regiões de Saúde do Estado.

Negativa
Cipriano Maia descartou, no entanto, a possibilidade de reativação dos 40 leitos instalados na Liga Contra o Câncer no ano passado, para acolher os pacientes infectados pelo novo coronavírus. Com os baixos índices da pandemia registrados entre os meses de outubro e novembro de 2020, o Governo do Estado decidiu fazer a reversão desses leitos, junto a pelo menos mais 125 instalações, para o atendimento de outras doenças.

 Parte desses leitos, como os de São Gonçalo do Amarante, será reativada.   “Não reativaremos os leitos (da Liga) porque a própria Liga mostrou dificuldade em reativá-los. Estamos optando em ativar somente nos nossos hospitais porque as condições são mais adequadas para o funcionamento. Os novos leitos que virão (um total de 45), correspondem aos que já tivemos na Liga”, esclareceu.

Cipriano Maia, ressaltou, entretanto, que somente a criação de novos leitos não será suficiente para controlar a pandemia. “É preciso uma mobilização, que foi bem sucedida em março e abril do ano passado, e que precisa ser retomada com todo vigor, porque o momento é muito crítico”, apelou.

Hospitais da redeprivada estão lotados
A situação em hospitais da rede privada de Natal continua bastante preocupante. Nesta quarta-feira, a TRIBUNA DO NORTE voltou a ouvir gestores dessas unidades de Saúde.

No Hospital Rio Grande, todos os 37 leitos para tratamento da doença estavam ocupados, sendo 17 pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 20 em leitos semi-intensivos. “Temos uma reserva, que nos garante uma capacidade de resposta na ordem de 25% da média de leitos de UTI. Ou seja, nossa capacidade é de criar apenas mais quatro leitos. Isso pode ser feito a qualquer momento, desde que cheguem mais pacientes acometidos com a doença e não haja leitos disponíveis”, informou o diretor do hospital, Luiz Roberto Fonseca.

O Hospital do Coração registra ocupação em todas as 54 instalações destinadas a tratar a doença. São 20 pacientes em UTIs, 20 em leitos semi-intensivos e 14 em apartamentos. 

No Hospital da Unimed e em outras 6 unidades da rede credenciada no RN, havia 112 pessoas internadas nessa quarta-feira. Desse total, 45 estavam em UTI.Segundo a Unimed, nessa quarta a rede tinha 96% a mais de internações do que no dia 5 deste mês. Entretanto, a Unimed informou que não atingiu ainda sua capacidade máxima para atendimentos covid, porque suspendeu as cirurgias eletivas na segunda-feira e abriu leitos de retaguarda.

No Sistema Hapvida, que, além do Hospital Antônio Prudente, opera com outras unidades credenciadas, a ocupação é de 80% no Rio Grande do Norte. A rede não quis dar maiores detalhes sobre o cenário atual. Apenas informou que “a média móvel, para síndrome gripal, é de aproximadamente 100 atendimentos e 3 internações por dia”.

Além das unidades hospitalares citadas na reportagem, a TRIBUNA DO NORTE fez contato com o Hospital Promater e o Hospital São Lucas, mas não houve retorno. 

Números da pandemia no rn
Confirmados: 162.235S
Óbitos: 3.539 
05 óbitos confirmados ocorridos nas últimas 24h e notificados: 
Natal (01), Senador Eloi de Souza (01), Mossoró (01), Ceará-Mirim (01) e São Gonçalo do Amarante (01)