Ocupação hoteleira recua ao longo de julho no Estado

Publicação: 2019-08-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O alto custo das passagens aéreas na temporada de férias escolares para o Rio Grande do Norte afugentou turistas e provocou queda na ocupação hoteleira em Natal, Pipa e Mossoró, principais destinos turísticos do Estado, durante o mês de julho. Conforme dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RN), as quedas mais significativas foram registradas em Natal: de 76,2% de ocupação em julho de 2018 para 66,9% no mês passado; e em Mossoró: de 63% para 52% no mesmo período.

Hotéis em Natal e Mossoró sofreram as maiores reduções nas taxas de ocupação no mês passado
Hotéis em Natal e Mossoró sofreram as maiores reduções nas taxas de ocupação no mês passado

“Não tenho dúvidas nenhuma de que o alto custo das passagens aéreas tenha provocado isso. Os valores das passagens tem inviabilizado a vinda de turistas para o Rio Grande do Norte”, analisa José Odécio Júnior, presidente da ABIH/RN. Para ele, o Governo do Estado demorou a editar um decreto concedendo redução na alíquota do ICMS que incide sobre o querosene de aviação e, como contrapartida, cobrar expansão do número de assentos nas aeronaves para o Rio Grande do Norte. Com isso, o custo dos bilhetes tende a cair e o nível de ocupação dos aviões, aumentar.

Ainda assim, José Odécio Júnior destaca que uma real redução nos valores se dará com a abertura do mercado aéreo brasileiro para as empresas internacionais de baixo custo, como as que operacionalizam voos domésticos e internacionais na Europa, por exemplo, sem o transporte de malas despachadas a custo zero. “Nós temos que lutar para que o mercado de aviação comercial seja aberto ao mercado internacional. Isso ampliará a competitividade”, afirma o presidente da ABIH/RN.

A expectativa do setor, porém, é que o cenário mude a partir dos próximos meses com a expansão das operações de algumas companhias aéreas no Rio Grande do Norte.

A Latam Airlines Brasil ampliou em 16% o volume de voos chegando e partindo de Natal para aderir aos novos incentivos para redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre o querosene de aviação no Rio Grande do Norte.  Os novos voos, cujas operações começaram no dia 4 de agosto, ampliaram de 80 para 93 voos a operação semanal da companhia no Rio Grande do Norte.

A Azul Linhas Aéreas deu início à venda de bilhetes aéreos para os novos voos que irá operar no Rio Grande do Norte. O Estado vai ganhar frequências diárias para as cidades de Recife e de Campinas, no interior de São Paulo. No total, serão 1.708 novos assentos semanais, sendo 490 no trecho que liga Recife a Natal, com início da operação em 24 de setembro, e 1.218 nos voos oriundos do aeroporto de Viracopos, a partir de dezembro deste ano.

De acordo com dados da Azul Linhas Aéreas, atualmente o trecho de Recife para Natal possui 1.960 assentos por semana. Com o incremento de 490 novos assentos, estarão disponíveis um total de 2.450 lugares semanalmente. Já no caso de Viracopos, os 292 assentos por semana ganharão o incremento de 1.218 assentos, chegando em um total de 1.510 lugares.

Números - Queda na ocupação hoteleira em julho

Natal
2018: 76,2%

2019: 66,9%

Mossoró
2018: 63%

2019: 52%

Pipa
2018: 62,8%

2019: 59,8%

Fonte: ABIH/RN




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários