OMS analisa declarar emergência de saúde pública pelo Coronavírus

Publicação: 2020-01-24 00:00:00
A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu nesta quinta-feira, 23, não declarar os casos de coronavírus confirmados em nove países até o momento como emergência de saúde pública, alegando que ainda é cedo para classificá-los dessa forma. Representantes da entidade, contudo, fizeram a ressalva de que a decisão pode ser revisada a qualquer momento.

Créditos: Marcelo Camargo/Agência BrasilRepresentante do Ministério da Saúde brasileiro nega ocorrência de casos da doença no BrasilRepresentante do Ministério da Saúde brasileiro nega ocorrência de casos da doença no Brasil
Representante do Ministério da Saúde brasileiro nega ocorrência de casos da doença no Brasil

“Não declarar emergência não significa que a situação não é séria", afirmou um dos representantes da OMS em coletiva de imprensa. Ele acrescentou que a comunidade internacional deve ficar alerta para uma “possível epidemia" pelo problema. “O coronavírus ainda não se tornou uma emergência global, mas pode se tornar."

Os representantes da OMS ainda destacaram que podem voltar a se reunir “a qualquer momento", podendo ser até mesmo em um dia ou em uma semana, caso seja necessário reavaliar a situação.

Com as novas confirmações de infecções por um novo tipo de coronavírus, já são nove países com casos registrados: China, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Vietnã, Cingapura e Arábia Saudita. Outras duas regiões - Hong Kong e Macau - também confirmaram pacientes com o vírus.

O caso mais recente até o momento foi da Arábia Saudita, confirmado pelo ministro das Relações Exteriores da Índia, Vellamvelly Muraleedharan. Uma enfermeira indiana foi infectada em território saudita. Também hoje foi confirmado um caso em Cingapura, segundo o ministro da Saúde do país, Gan Kim Yon.

Brasil nega ocorrência
O secretário substituto de Vigilância em Saúde, Júlio Croda, afirmou nesta quinta-feira, 23, que não há casos suspeitos de pacientes infectados pelo coronavírus no País. Entretanto, os cinco casos notificados pelos Estados (MG, DF, SP, RS e SC) não foram testados especificamente para identificação deste tipo de vírus.

De acordo com Croda, apenas pacientes que apresentem sintomas que se enquadrem nos parâmetros da Organização Mundial da Saúde (OMS) serão submetidos ao exame específico.

“Não existe nenhuma indicação de casos que se enquadrem na situação de coronavírus. No Sistema Único de Saúde e no sistema privado nenhuma síndrome gripal é testada para todos os vírus, sempre é testado o mais comum", afirmou.

Até o momento, Distrito Federal, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Santa Catarina notificaram o governo sobre possíveis casos. Os cinco casos, porém, foram descartadas pelo governo federal. Croda afirmou que os Estados têm autonomia para decidir se é necessário prosseguir com exames específicos.

“Se o Estado quiser proceder com testes mais amplo em casos que não se enquadram é até positivo, mostra que está investindo em saúde", disse.

O Ministério da Saúde instalou um centro de operações de emergência para monitorar a situação de suspeitas do vírus. O governo também notificou aeroportos, portos e fronteiras, via Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para que adotem medidas de prevenção da entrada do vírus.

A recomendação é que as equipes de vigilância estaduais fiquem alertas aos casos de pessoas com problemas respiratórios como febre, dificuldade para respirar e tosse. O governo também monitora pessoas que viajaram para áreas de transmissão do local recentemente.