Oncologia não tem demanda reprimida no RN

Publicação: 2017-12-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Para atender a demanda por exames de alta complexidade no RN, a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) mantém contrato permanente com a Liga Norte-riograndense Contra o Câncer. De acordo com o médico Roberto Sales, superintendente da Liga, são contratadas 700 tomografias computadorizadas por mês (a Sesap diz que o contrato pode chegar a 1,3 mil tomografias mensais); 300 ressonâncias magnéticas; e 15 PET-CT (exame para diagnosticar se há recidiva oncológica).

“Geralmente realizamos mais exames do que está no contrato. Atendemos toda a demanda, regulada e encaminhada pela Sesap, que chega aqui na Liga. Podemos afirmar que não existe nenhum tipo de demanda reprimida para tratamento oncológico (quimioterapia, radioterapia e cirurgia)”, assegurou Sales.

O médico superintendente da Liga destacou que “todos os pacientes já diagnosticados iniciam tratamento dentro do prazo mínimo exigido por lei (entre 10 e 15 dias)”, mas que pode haver demora se os exames atrasarem. “O que temos é autonomia para agilizar o início do tratamento nos pacientes com diagnóstico definido”.

Segundo determinação da lei número 12.732/2012, todo paciente oncológico atendido pelo SUS deve iniciar o tratamento – após o diagnóstico – em até 60 dias. “Temos pacientes aqui na Liga que começam o tratamento com 3, 4, 7 dias. Tudo depende dos exames regulados pela Sesap, e não estamos verificando atrasos. Está tudo funcionado”, garantiu Roberto Sales.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários