Onyx Lozenzoni afirma que "time é unido e forte"

Publicação: 2020-02-14 00:00:00
A+ A-
Ao deixar o cargo de ministro chefe da Casa Civil para assumir o comando do Ministério da Cidadania, Onyx Lorenzoni chamou o presidente Jair Bolsonaro de "líder" e afirmou que, no governo, "não importa o número da camiseta" de cada integrante. "O time Bolsonaro é humilde, é unido e é forte", disse em vídeo publicado nas redes sociais. Na legenda, escreveu: "uma nova missão".

"Quero agradecer a todos que me acompanham junto com o presidente Jair Bolsonaro nessa luta que começou lá em 2017, ali em 13 de novembro de 2018 o presidente me deu uma missão que nós concluímos agora, por decisão do presidente", disse Onyx na gravação.

Onyx teve suas funções esvaziadas desde o ano passado após sofrer seguidos desgastes. Nas últimas semanas, Jair Bolsonaro já dava sinais de que queria uma pessoa operacional, com perfil militar, para conduzir a coordenação do governo.

"O time Bolsonaro é humilde, é unido e é forte. Aqui, não importa o número da camiseta. O presidente me entrega hoje uma nova missão que eu vou cumprir com o mesmo zelo, a mesma dedicação e o mesmo empenho, para melhorar e transformar a vida dos brasileiros e das brasileiras", afirmou em outro trecho do vídeo.

A decisão de Bolsonaro já havia sido comunicada internamente desde ontem, mas ele esperou um dia para divulgar as trocas. Pela manhã, o presidente elogiou Braga Netto e disse que ele era "cotado para qualquer coisa" no governo, mas evitou responder se ele assumiria o cargo de Onyx. "O Braga Netto eu conheço há algum tempo, me dou muito bem com ele, ganhou uma projeção muito grande em uma situação complicadíssima daquela intervenção da segurança do Rio de Janeiro, está certo? É um homem cotado para qualquer coisa", disse à imprensa na saída do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro insistiu que as eventuais mudanças nos ministérios ainda não haviam sido formalizadas. "Saiu alguma coisa no Diário Oficial da União?", reagiu ao ser questionado.

Indagado sobre o que conversou ontem com Osmar Terra no Palácio do Planalto, quando, segundo fontes, o comunicou sobre a decisão de afastá-lo da pasta, o presidente respondeu que falaram sobre "amor". "Me dou muito bem com ele, sem problema nenhum. Tem um bom trabalho", disse o presidente.