Operadoras ampliam oferta de “4G” em cidades potiguares

Publicação: 2017-07-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Um dos pontos que incidem na decisão do consumidor por essa ou aquela prestadora de serviço, é o tamanho da área de cobertura.

A TIM afirma que atende 92% da população urbana do RN, com presença em 105 municípios – sendo a única opção de telefonia móvel em 47 deles. “Atualmente a cobertura 3G e/ou 4G está disponível em 85 municípios, e a previsão é que até o fim deste ano a conexão 4G esteja presente em 92 cidades utilizando a nova frequência de 700MHz”, adiantou Ageu Guerra, gerente de Engenharia de Redes da TIM Nordeste. Segundo a assessoria da empresa, os investimentos da TIM no Brasil, entre 2017 e 2019, devem chegar a R$ 12 bilhões.

Por sua vez, a Vivo anunciou investimentos da ordem de R$ 24 bilhões no triênio 2017-2019, e antecipa que pretende alcançar 94,3% da população urbana até dezembro desse ano – totalizando 78,4% dos 167 municípios do RN. “A proposta é ampliar a cobertura 3G para 130 cidades do Estado, e passar a oferecer a conexão 4G em outras 19”, informou, por meio da assessoria de imprensa.
Ageu Guerra, gerente de Engenharia de Redes da TIM Nordeste: Planos de expansão no estado
Ageu Guerra, gerente de Engenharia de Redes da TIM Nordeste: Planos de expansão no estado

A companhia prevê ampliar sua cobertura 3G em 58 novas cidades potiguares, passando para um total de 130 até dezembro deste ano, e, em 4G, serão 16 novas cidades, passando a cobertura dos atuais 3 municípios para 19. Na fixa, Mossoró será contemplada com a rede 100% fibra ótica. A operadora anunciou no início deste mês a  ampliação de sua cobertura 4G+ para a Natal (RN), que passa a ser a primeira cidade do Nordeste a receber conexão, segundo a Vivo, até duas vezes mais rápida que o 4G atual. “Com isso, os clientes da operadora podem navegar na internet, baixar vídeos, músicas e subir fotos para as redes sociais com muito mais velocidade”, afirmou, em nota. Até o final de julho, a meta é que 77 municípios estejam cobertos com o 4G+ da empresa em todo o País.

 A Claro não quantificou o volume de investimentos para os próximos anos, no RN, mas o diretor regional da empresa no Nordeste destaca que “a ampliação da cobertura 4G vai ao encontro do compromisso em oferecer o que há de mais inovador no mercado”. A cobertura 4G é oferecida pela Claro em 12 municípios potiguares.

O serviço de telefonia móvel da Oi se faz presente em 72 municípios do Estado, com cobertura 4G em três cidades (Natal, Mossoró e Parnamirim) e a empresa informou que investiu R$ 5,2 milhões no primeiro trimestre deste ano.

Reclamações sobre serviços diminuem


Os smartphones viraram – praticamente – extensão do próprio corpo, e não é exagero afirmar que é cada vez mais difícil encontrar pessoas desconectadas no ambiente urbano. A possibilidade de se manter conectado a todo momento, e em qualquer lugar, mudou hábitos e a forma como as pessoas se relacionam através das redes sociais, consomem notícias e entretenimento.

Consequentemente, na medida que a conexão móvel passa a fazer parte do cotidiano da população, os conflitos entre os consumidores e as prestadoras de serviço também tendem a crescer. Há alguns anos aliás, segundo levantamento do órgão oficial de defesa do consumidor vinculado ao Ministério da Justiça, as operadoras de telefonia estão no topo do ranking de reclamações.

Porém, apesar do número ainda ser alto (165 mil reclamações entre julho de 2016 e junho de 2017), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) verificou uma queda nacional de 17,5% nos últimos 12 meses com relação ao mesmo período anterior – no RN a tendência se confirmou com queda no último ano de 7,2%, em números absolutos uma redução de 1.482 para 1.376 reclamações.

O produtor de eventos Victor Vasconcelos, 29, lembra que já teve diversos problemas com a prestação do serviços de telefonia móvel, “desde cobranças indevidas até perdas de sinal por um dia inteiro. Infelizmente é bem comum também receber um aviso que minha franquia de dados esgotou. Daí eu ligo para a operadora, reclamo e eles detectam que 'foi um erro'”.

O Procon Natal abriu “quase 500 processos contra operadoras de telefonia móvel nos últimos cinco anos, que correspondem a 30% do total de reclamações recebidas”, disse Marcel Fernandes, diretor técnico do Procon Natal. As principais reclamações dizem respeito, justamente, a cobrança indevida e a questão da má prestação do serviço. Fernandes considera o número baixo: “O consumidor acaba não indo até o Procon fazer a reclamação”. O diretor técnico ressaltou que o índice de resolução chega a 90% dos casos, “pois as empresas temem a abertura do processo administrativo e consequente aplicação de multa”. O Procon Municipal funciona na Rua Ulisses Caldas, 181, Cidade Alta, das 8h às 16h.

O Procon Natal divide a tarefa de atender os conflitos de consumo com o Procon Estadual. A reportagem da TRIBUNA DO NORTE procurou o órgão estadual para apurar informações complementares, mas não obteve êxito.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários