Opostos

Publicação: 2019-05-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Itamar Ciríaco/ itamar@tribunadonorte.com.br

A saída de Ranielle Ribeiro do ABC reflete um momento que estava muito evidente. Enquanto Moacir Júnior, no América, demonstra ter o time “na mão”, Ranielle ainda sofria para conseguir “encaixar” a equipe. O resultado para as duas situações transpareceu em campo e me refiro a isso, levando em consideração a diferença de nível entre os adversário na Série D e na Série C, afinal, se os adversários da Terceirona são mais fortes, em tese, o Alvinegro também deveria sê-lo. No entanto, não era isso que estávamos vendo e, a derrota para o Confiança, foi a gota d’água.

Opostos 1
Durante o jogo do América contra o homônimo pernambucano, na Arena das Dunas, a corrida de alguns jogadores, após os gols, em direção a Moacir Júnior foi mais que demonstração de carinho. O fato deles apontarem para o técnico demonstra que estavam cumprindo as ordens do chefe e que, essas determinações, resultaram em sucesso nas jogadas dos gols.

Opostos 2
Já, na partida contra o Confiança, o time em campo parecia fazer o contrário do que Ranielle Ribeiro exigia à beira do gramado. Enfim, não deu liga e o competente profissional, com certeza, não terá trabalho para encontrar um novo clube. Quanto ao Alvinegro, a escolha será difícil, bem difícil.

Perfil
A escolha de um novo profissional, para comandar o elenco abecedista, que pode ser anunciada hoje, tem que seguir uma lógica clara. O clube precisa procurar um treinador com um perfil que se encaixe no estilo Alvinegro de jogar futebol. Essa falta de identidade entre o que está sendo apresentado em campo e o que o torcedor quer, afasta o público do estádio Frasqueirão.

Perfil 1
Esse perfil de treinador também precisa reconhecer, aceitar e ser criativo o suficiente para organizar uma equipe dentro das limitações financeiras do Alvinegro. Existiam nomes já apalavrados com o ABC e aprovados por Ranielle Ribeiro. Essa contratações terão que ser reavaliadas pelo novo comandante. Jefinho, artilheiro do Campeonato Potiguar 2019, no entanto, já assinou o contrato e fará parte do grupo da Série C do Campeonato Brasileiro, independente da escolha do clube de Ponta Negra.

Festa
Um bom exemplo de festa interessante foi o “Esquenta Mecão” deste sábado. A festa estava tão animada do lado de fora da Arena, no pátio interno, que, a ola já estava para rolar e a maioria da torcida continuava se divertindo com as músicas e outras atrações. A partir do momento que o árbitro apitou, o público foi surgindo nas arquibancadas e chegou próximo dos seis mil presentes.

Famigerada
Tenho escrito, aqui e nas redes sociais, que a Quarta Divisão do Campeonato Brasileiro é a “Famigerada Série D”. Em colunas anteriores venho citando casos como a arbitragem que não apareceu, a troca de nomes na súmula e tem mais. Soube de equipes que precisaram aquecer dentro do ônibus, bem como trocar de roupas. Corumbaense e Palmas jogaram em Mato Grosso do Sul, pelo Grupo A10. O time visitante não observou a diferença de fuso horário. Com isso, os seus jogadores precisaram fazer o trabalho de aquecimento dentro do ônibus, à caminho do jogo.

Famigerada 1
O Santa Cruz de Natal, que manda seus jogos na Arena das Dunas, palco de Copa do Mundo e um dos melhores estádios do Brasil, teve que sofrer com um gramado de várzea e um estádio acanhado na vitória sobre o Bragantino, em Bragança do Pará. As fotos mostram claramente o trabalho de recomposição feito com uma grama que parece ser diferente da anterior, além de um verdadeiro lamaçal em vários pontos.

Globo
Os desfalque pesaram para a equipe comandada por Higor César. O Globo, mesmo em casa, acabou sendo derrotado pelo Sampaio Corrêa, que vinha de uma eliminação na Pré-Copa do Nordeste, jogando em casa, diante do Confiança. Qualquer derrota é ruim, mas a que você perde sob seus domínios é dolorida e extremamente prejudicial para os planos de classificação na Série C.

VAR
O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, afirmou nesta segunda-feira (13) que a entidade deverá introduzir a arbitragem de vídeo (VAR) já a partir das fases iniciais da Copa Libertadores de 2020. Imagina o árbitro anulando um gol do Boca Juniors, aos 49 do segundo tempo, depois de ser chamado pelo árbitro de vídeo. Confusão à vista.

Parabéns
Foi bonito ver a equipe brasileira do revezamento 4x100m superar os favoritos norte-americanos e ingleses. Rodrigo Nascimento, Jorge Vides, Derick Souza e Paulo André de Oliveira, venceram a final do mundial da categoria, com o tempo de 38.05, a melhor marca do mundo este ano. A conquista veio justo no estádio de Yokohama, no Japão. O local traz sorte para o Brasil. Foi lá que, em 2002, a “Família” Felipão conquistou o pentacampeonato com a Seleção Brasileira de Futebol. Agora foi a vez da família do atletismo brilhar.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários