Oriente natural é foco da Casa de Emiko

Publicação: 2018-01-19 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A chef japonesa Emiko Nakamura Smith está disposta a pôr seu tempero todo original e diferenciado na culinária potiguar. Desde 2012 ela presta serviços de consultoria, treinamento, cursos, e elaboração de cardápios em Natal, através da sua Casa de Culinária Emiko. Além de ensinar e ajustar várias cozinhas da cidade, a experiente profissional também está na elaboração de um evento que ressaltará a identidade nipônica pela primeira vez na capital potiguar.       

Chef Emiko Nakamura vive no Brasil há dez anos. Seus quitutes orientais primam pela autenticidade: receita de pasteis de feijão doce
Chef Emiko Nakamura vive no Brasil há dez anos. Seus quitutes orientais primam pela autenticidade: receita de pasteis de feijão doce

Emiko mora em Natal há dez anos e desde o começo seu paladar se incomodava com uma característica encontrada em quase todos os lugares da cidade onde ela comia: uma cozinha pouco afeita ao natural, com uso de muitos ingredientes industrializados, e sabores artificiais. “Não era só um fato entre os restaurantes orientais, mas de todos em geral. Por isso em minhas aulas estimulo o uso de ingredientes orgânicos e produção artesanal, o mínimo de químicas”, afirma.

Outra questão, são os clichês de cozinha japonesa que Emiko procura ir além em Natal. “Muita gente ainda pensa que no Japão só se faz sushi e sashimi. E eu procura mostrar que há muita coisa além disso. Claro que, nas aulas caseiras, os sushis ainda imperam”, diz. Ela ministra aulas para grupos de no mínimo quatro pessoas, e máximo de seis. As aulas são práticas, realizadas na cozinha de Emiko ou na de algum estudante, se preferir.

Além da cozinha japonesa, Emiko também é mestra em culinária coreana e francesa – outras que também são pouco encontradas em Natal. Ela considera que a sua cozinha é, antes de tudo, natural e saudável. “Quando cheguei a Natal, as pessoas debochavam da cozinha natural e saudável. Hoje, o cenário está um pouco melhor para o segmento. As pessoas felizmente estão de cabeça mais aberta”, diz.

Um dos projetos recentes de Emiko é a consultoria na Padaria Moinho, em Ponta Negra, que deve ser inaugurada até o final de fevereiro. O local, que além de padaria também contará com um restaurante self-service, terá um cardápio assinado pela chef japonesa. Ela ressalta que fará vários pratos que não existem nos restaurantes de Natal, e que não vai trabalhar apenas com pratos orientais. O marido de Eumiko é inglês, e ela fará vários petiscos da ilha para o povo saborear. Entre os trabalhos da chef, estão a implementação da franquia Mr. Bentô em Belo Horizonte e São Paulo.

Festa dos imigrantes
Emiko também está envolvida na iniciativa de japoneses residentes em Natal para elaborar um evento comemorativo aos 110 anos da imigração japonesa no Brasil, entre junho e julho deste ano. Ela conta que essa comunidade existia em Natal sem união, representatividade e quase isolada das demais pessoas. “Até que a Copa do Mundo em 2014 fez com que essa comunidade se encontrasse, se conhecesse, e se unisse. Passamos a trocar ideias e pensar num encontro  que destacasse nossa identidade”, diz. Há mais de 120 japoneses em Natal, segundo Eumiko, além de seus descendentes.

Serviço:
Casa de Culinária Emiko.
Tel.: 99919-1805.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários