Os códigos de honra de uma família cheia de conflitos

Publicação: 2018-12-30 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Um drama familiar sobre tolerância, aceitação, imigração e códigos de honra dentro de uma sociedade moderna. Assim é “Um panorama visto da ponte”, espetáculo que será apresentado no próximo dia 25 de janeiro, no Teatro Riachuelo. A peça é uma adaptação de um texto clássico de Arthur Miller, com direção de Zé Henrique de Paula, e protagonizado por Rodrigo Lombardi e Sérgio Mamberti, dois astros de gerações diferentes.

Rodrigo Lombardi e Sérgio Mamberti conduzem o drama familiar
Rodrigo Lombardi e Sérgio Mamberti conduzem o drama familiar

A trama se passa em Nova Iorque nos meados do século XX, e conta a história de um casal de imigrantes italianos – Eddie Carbone, um trabalhador das docas do Brooklyn, e a dona de casa Beatrice. Os dois criam a sobrinha órfã de Beatrice, a jovem Catherine. O conflito se estabelece quando a família recebe dois primos italianos de Beatrice, Marco e Rodolfo, que estão imigrando ilegalmente para os Estados Unidos.

A hospitalidade é posta à prova quando um deles, Rodolfo, conquista o coração de Catherine,  a protegida e adorada pelo tio Carbone em muitos sentidos. A partir deste encontro o “sonho americano” fica ameaçado e todas as emoções antes camufladas começam a eclodir. Eddie então tomará uma atitude que marcará a sua vida e de todos que o rodeiam. O texto aborda a sociedade moderna ao mesmo tempo em que oferece uma visão crítica do modo de vida desta sociedade. Ao tema da imigração, da solidariedade social, da fidelidade a um código de honra, se entrelaça o da intolerância.

A atualidade de temas como imigração e delação, expostos num cenário feito de contêineres, aproxima a plateia das precisas palavras de Miller. Escrita em 1955 e reescrita em 1956 pelo americano Arthur Miller (1915-2005), a peça se mantém atual. Além de retratar o universo de uma família proletária da década de 1950 e seus conflitos internos, Miller faz uma crítica social, denunciando o sistema judiciário americano da época e o tratamento com os imigrantes ilegais.

“Arthur Miller fala das nossas paixões primais, da ideia de delação, das questões de imigração, de identidade nacional e, acima de tudo, da pulsão de amor e morte. Minha abordagem é estripar a peça de sua casca naturalista e ir ao âmago da tragédia, colocando a palavra em primeiro plano e dando forma a uma história de meados do século XX, mas que poderia ser a história da família de cada um de nós”, disse Zé Henrique de Paula.

Serviço
Um Panorama Visto da Ponte. Dia 25 de janeiro, no Teatro de Riachuelo. Assinante da TN tem 50% de desconto em até dois ingressos.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários