Cookie Consent
Alex Medeiros
Os cabarés da esquerda
Publicado: 00:01:00 - 08/06/2022 Atualizado: 21:52:02 - 07/06/2022
Alex Medeiros 
alexmedeiros1959@gmail.com

Desde as origens na França do século 19, o espetáculo teatral “O Cabaré” se transformou da sua essência alternativa em grande obra musical, expondo na coreografia das plumas e paetês os elementos humanos da sensualidade, da ousadia, da sexualidade. Ao atravessar o Atlântico, a peça se espalhou pela Argentina e Uruguai em versões e montagens adequadas a novas linguagens e à realidade sul-americana. Seu roteiro gerou a obra El Gran Cabaret Argentino.

Cedida


No século XX, os cabarés de Buenos Aires colocaram a capital platina no nível das grandes cidades europeias, no aspecto do lazer noturno. O tríplex recreativo cabaré-tango-bebida estimulou a consolidação das noitadas portenhas e desenvolveu o turismo. Desde então, a velha peça francesa adquiriu alterações de roteiro de acordo com a conjuntura e o diretor. E o termo cabaré também ganhou conotação pejorativa, tanto lá quanto cá no Brasil.

Dito isto, trago o tema para os anos contemporâneos em que o desgoverno na Argentina engendrado por uma quadrilha de esquerda, filiada ao Foro de São Paulo, está fazendo do país de Carlos Gardel um ambiente cubo-venezuelano.

Certa vez, em 1998, o então atacante do Boca Juniors – e hoje comentarista esportivo – Diego Latorre, na véspera de fazer 24 anos, provocou uma polêmica ao dizer na imprensa que “o Boca es un cabaret”. E isso pegou.

De lá para cá, jornalistas repetiram a frase para criticar qualquer coisa. Até que na segunda-feira passada, a jornalista Viviana Canosa, do canal de TV “A24”, escreveu e leu um longo editorial onde repete “a Argentina es un cabaret”.

Com críticas ferozes e contundentes ao governo do presidente Alberto Fernandez e à sua madrinha Cristina Kirchner, a apresentadora, que tem milhões de seguidores nas redes, bradou palavras enfurecidas aos políticos.

A cada dois ou três parágrafos do texto, Viviana encerrava com a mesma frase “a Argentina es un cabaret”. Denunciou a corrupção, a crise econômica sem precedentes que levou um dólar a valer cem pesos, a miséria da população.

E por várias vezes chamou de cínicos os integrantes do governo, deixando ao presidente os termos mais duros e raivosos. O vídeo do programa viralizou pela Argentina e repercutiu nas redes da vizinhança, principalmente no Brasil.

E se a fogueira causada pelo editorial se alastrou na segunda-feira, quando foi ontem (terça), Viviana Canosa protagonizou outra revolta que também já se espalhou. Ela mandou um entrevistado se retirar da bancada do seu programa.

Durante a entrevista, o ex-diplomata peronista Jorge Yoma, hoje deputado da bancada esquerdista, passou a puxar o saco do governo, no que foi interrompido pela jornalista. “Não vou permitir aqui tal nível de cinismo”, disse. 

Diante das respostas risonhas, Viviana reagiu: “Quero levantar algo porque meu coração está batendo mais do que o necessário. Eu quero que você saia do programa, porque você está justificando um presidente cínico e sinistro”.

Ela explicou que mandou Jorge Yoma sair, “porque me coloquei na pele dos argentinos, coisa que não fez o presidente”. E concluiu, “é violência defender a imoralidade, basta de cinismo”. Vi o programa na íntegra e pensei no Brasil.

Estamos num processo eleitoral onde um corrupto, chefe de quadrilha, condenado em vários tribunais, está tentando assumir o poder com a ajuda de ministros ativistas do STF, do TSE e dos conglomerados de mídia. O povo brasileiro precisa evitar que o Brasil vire um cabaré a partir de 2023. 

Armas 
Editorial da Fox News disse que os ativistas do controle de armas são ignorantes sobre o tema, e tudo que aprenderam foi nos saquinhos de “Crackerjack”, um salgadinho criado em 1896 que distribui armas de plástico.

Ativismo 
Na frase-slogan da prefeitura “Natal território livre da lgbtq+fobia”, qual é o real significado para o entendimento do leitor, que a cidade está aberta ao movimento gay ou a lgbtq+fobia pode ser praticada livremente no território?

Dedetiza 
Lula vem para Natal no dia 16 e Bolsonaro chega no dia seguinte. Num grupo de WhatsApp, seguidores do presidente da República estão propondo uma “motociata desinfetante”, todos dedetizando o percurso a partir do aeroporto.

Frango 
Em Belo Horizonte, uma arquiteta tomou um susto ao abrir um pacote de filé de frango da marca Seara e encontrar um pedaço completamente verde. E não era “frango vegano”. O supermercado mandou o produto para um laboratório.

Tremendão 
De Garibaldi Filho, sobre Erasmo Carlos: “Não contive o ímpeto de demonstrar a você a admiração dos mais jovens desligados e tímidos como eu a essa homenagem à Jovem Guarda. Música e seus timoneiros Erasmo e Roberto”. 

Trilhas DC
Uma parceria entre a Warner, Themed Entertainment e TGC Entertainment vai produzir o projeto DC in Concert, uma turnê com orquestra sinfônica tocando as trilhas dos filmes DC durante exibição das aventuras em telões gigantescos.

Troca 
O Manchester City deverá colocar Gabriel Jesus à venda na atual janela, dando a Pep Guardiola uma dupla de área jovem com o norueguês Haarland e o argentino Julian Álvarez, eleito o melhor jogador das Américas na temporada.

Europa FC 
A UEFA divulgou o calendário da fase de grupos da nova Champions League, que começa em 6 de setembro e termina em 2 de novembro, quase na porta da Copa do Mundo. Já há jogadores reclamando das folgas por temporada.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte