Os Vinhos e as Cores do Verão

Publicação: 2018-12-28 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
É chegado o verão, a estação mais quente do ano, cujo período no trópico de Capricórnio (abaixo da linha do equador) vai de 21 de dezembro à 20 de março, com efeitos térmicos no Nordeste durante todo ano. Então o que beber num momento tão quente do ano? O consumo do vinho, está, equivocadamente, associado a climas frios, sendo considerado inadequado por alguns nesta estação. Um crasso engano, dado que sua pluralidade e diversidade de tipos, cores, castas e estilos, clamam por torná-lo usual em todas as situações e épocas do ano. Portanto, bebe melhor quem entende o vinho como uma bebida de ocasião.

Verão pressupõe muita luz, sol e calor, e esses elementos geram um desgaste extra para o organismo. Ideal é consumir bebidas leves
Verão pressupõe muita luz, sol e calor, e esses elementos geram um desgaste extra para o organismo. Ideal é consumir bebidas leves

Verão pressupõe muita luz, sol e muito calor, e esses elementos geram um desgaste extra para o organismo, que precisa se preservar com muita hidratação, proteção solar, roupas leves, alimentos leves e bebidas leves e refrescantes. As cores do verão são as cores claras. Perceba que o Sol irradia cores cujo gradiente varia do amarelo, passando pelo laranja e chegando ao vermelho claro. Exatamente as cores dos vinhos desta estação: brancos verdeais e rosados nas versões tranquilos, e espumantes, alguns tintos levíssimos e, portanto, claríssimos na cor. A mesa do verão tem as mesmas cores. Repare nos pescados leves e frutos do mar, nas iguarias de viveiros e mesmo nos peixes de sabores mais intensos e marcantes como o salmão (rosa), o Atum e o Bacalhau, de cores claras, as mesmas cores dos vinhos desta estação. Harmonizá-los é como combinar bem duas peças de roupa quando se quer sair harmonicamente vestido. Os queijos frescos, magros e de sabores mais leves, os patês que untam os pães, as saladas coloridas, as folhas verdes, as massas com molhos brancos ou vermelhos leves, as aves e outras carnes brancas, primam pelas mesmas cores. A arte de harmonizar vista por esse ângulo, é semelhante à arte dos pincéis. É como pintar uma tela criando uma interação harmônica entre as cores, que fazem do todo algo melhor do que suas partes isoladas. Mas, e os tintos, há vinhos tintos de verão? Sim, claro que há. Assim como há brancos de inverno. Os tintos do verão nascem de castas geneticamente leves como Pinot Noir e Gamay, possuem pouco extrato, são vinificados de forma objetiva, não passando por estágios em madeira, e são melhores apreciados quando jovens. Vinhos assim apresentam uma cor vermelho clara (o gradiente vermelho mais intenso do sol), são leves, frutados e devem ser apreciados mais frios, entre 14ºC e 16ºC. Com estas dicas, desejo que as cores deste verão tornem a sua mesa e a sua vida ainda mais colorida, saudável e prazerosa.  

Apreciando o Verão em Grande Estilo
Na Champagne cada casa faz o seu cuvée de prestige (vinho ícone) de forma única. Estes não são absolutamente, vinhos de receita como os sans année (vinhos correntes). São antes, vinhos de personalidade, que refletem o conceito de qualidade de cada Maison. E cada casa dá o melhor de si para a glória destes Champagnes entre os consumidores. A Maison Moët & Chandon faz o Dom Pérignon, a Veuve Clicquot faz o La Grande Dame, a Louis Roederer faz o Cristal Roederer, a Pommery faz o Cuvée Louise, a Joseph Perrier faz o Cuvée Josephine, a Perrier-Jouët faz o Belle Époque, e assim por diante. Todos com a safra, o ano mágico da colheita, destacado no rótulo, o Millesimé.



continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários