Cookie Consent
Natal
Outubro, mês de alerta para a prevenção do câncer de mama
Publicado: 00:00:00 - 03/10/2017 Atualizado: 21:56:07 - 02/10/2017
Yuno Silva
Repórter


Órgão da amamentação, da feminilidade e do prazer, também motivo de inspiração, autoestima e desejo, a mama é fonte de simbologias diferentes ao redor do mundo. Porém, independente da percepção cultural, um ponto em comum une as mulheres: o alto índice de câncer que acomete a glândula. Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer de mama representa 28% de todos os casos registrados de câncer – e é o tipo de tumor que mais provoca mortes no Brasil. O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que são diagnosticados no País 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. A entidade também informa que quando mais cedo a doença for descoberta, maior a chance de cura.

Ana Silva
A mamografia periódica permite uma redução de cerca de 30% na mortalidade por câncer de mama

A mamografia periódica permite uma redução de cerca de 30% na mortalidade por câncer de mama


A mamografia periódica permite uma redução de cerca de 30% na mortalidade por câncer de mama

A recuperação total chega a 95%, nos casos de diagnóstico precoce, e a campanha Outubro Rosa entra em cena para alertar às mulheres tanto para a importância do autoexame quanto a necessidade de procurar por exames especializados como a mamografia. Em Natal, o atendimento inicial de prevenção, voltado para mulheres a partir dos 40 anos, é realizado em qualquer uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS): “A oferta de mamografia condiz com a demanda, não precisamos mobilizar a equipe para mutirão. Como não há fila, as pacientes não esperam mais de uma semana para realizar o exame. Em casos excepcionais, essa espera pode ser de no máximo duas semanas”, informou a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde   (SMS).

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) e a Liga Norte-Riograndense Contra o Câncer também estão engajadas na campanha, mas o foco do Outubro Rosa é a prevenção – responsabilidade da rede municipal de atendimento, que também incentiva o exame preventivo para identificar possíveis problemas no colo do útero. “A incidência de câncer no colo do útero é menor que o de mama, mas mata mais”, assegurou a assessoria da SMS. Amanhã, dia 4 de outubro, a partir das 8h e até às 12h na sede da Secretaria Municipal de Saúde na Ladeira do Sol, haverá palestras com especialistas da Sociedade Brasileira de Mastologia. O acesso ao evento é gratuito e aberto ao público.

Apesar da prevenção, a OMS aponta para um crescimento na incidência entre 5% e 10% na última década com o envelhecimento natural da população, mas sobretudo devido ao aumento de obesidade e sedentarismo entre a população. Segundo dados do Inca, estima-se que 700 novos casos sejam diagnosticados no RN, este ano, sendo um terço deles só em Natal. Entre os casos, mais de 50% devem ser diagnosticados já em estágio avançado. Só na Liga, até o mês de julho deste ano, já foram detectados 343 novos casos.

A programação do Outubro Rosa na Liga começa na quinta-feira (5), às 9h, no Centro Avançado de Oncologia (Cecan) na Av. Miguel Castro, em parceria com a Rede Feminina Contra o Câncer e o Grupo Despertar. Durante o mês, haverá palestras e panfletagens em shoppings, supermercados, escolas e empresas da capital e cidades da Região Metropolitana.

Com apoio da Fecomércio-RN, a unidade móvel de saúde do Sesc-RN estará estacionada a partir do dia 4 no estacionamento do Natal Shopping oferecendo mamografia e exames preventivos gratuitos durante todo o mês de outubro.

O que?
O câncer de mama  é o desenvolvimento anormal das células do seio. Essas estruturas crescem de forma desordenada e substituem o tecido saudável. O câncer, normalmente, começa com um pequeno nódulo, que pode crescer e se espalhar para área próximas à mama afetada, como os músculos, a pele e a axila. Mulheres com mais de 40 anos devem realizar a mamografia.

Como prevenir: controlando o peso corporal, mantendo alimentação saudável e evitando bebidas alcoólicas

Como identificar: com mamografia e, principalmente, por meio do autoexame da mama. A mamografia periódica permite uma redução de cerca de 30% na mortalidade por câncer de mama em mulheres de 40 a 69 anos.

Como tratar: Sobretudo com cirurgia. Radioterapia, quimioterapia e medicamentos também são adotados

Taxa de cura: 95% se o diagnóstico for precoce

Fonte: Sociedade Brasileira de Mastologia

Casos de câncer de mama em 2016

Brasil - 57.960
Nordeste - 11.190
RN – 720 (ou 42,56 casos para cada 100 mil mulheres)
Natal – 230 (ou 51,01 casos para cada 100 mil mulheres)

Fonte: INCA


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte