Artigos
Outubro Rosa: “Quanto antes melhor”
Publicado: 00:00:00 - 10/10/2021 Atualizado: 13:25:58 - 09/10/2021
Roberta Jales
Mastologista pela USP, membro da Sociedade Brasileira de Mastologia e mastologista da LIGA Contra o Câncer

Além de incentivar as mulheres a terem hábitos de vída saudáveis, como praticar atividades físicas regularmente e manter uma dieta equilibrada, a campanha do Outubro Rosa 2021 da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) vem reforçar a importância delas atualizarem seus exames preventivos e passarem em consultas de rotina com o mastologista.

A conscientização sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama, esse ano, tornou-se ainda mais necessária após registros publicados pela SBM, que demonstraram uma redução  de 42%  no número de mamografia realizadas por mulheres entre 50 e 69 anos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que caiu  de 1,9 milhão em 2019 para 1,1 milhão em 2020, ao passo que houve elevação proporcional no número de mulheres já apresentando nódulos palpáveis na ocasião da mamografia.

O câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo e também o que mais mata. No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são estimados 66.280 casos novos para 2021 e mais de 18 mil mortes pela doença. Para o Rio Grande do Norte, a estimativa é de 1.130 novos casos, sendo mais de 50% diagnosticados em estágio avançado.

O objetivo da campanha não é alarmar, mas sim, orientar a população. Na fase inicial, o câncer não provoca qualquer sintoma e pode ser detectado pela mamografia de rotina. Diversos estudos mostram que quando esse exame é realizado a partir dos 40 anos, a redução da mortalidade chega a 30%. 

A mamografia é, sem dúvida, um dos grandes pilares na luta pelo diagnóstico precoce, mas há casos em que a sensibilidade do exame é reduzida (como nas pacientes que apresentam mamas densas), tornando mais segura a avaliação médica especializada, individual, em consulta de rotina. 

O isolamento social imposto pela pandemia teve séria repercussão na detecção de câncer de mama no estágio inicial. Atualmente, com o avanço da vacinação, as mulheres já devem retomar sua rotina de cuidados com a saúde de mama. E quanto antes retomar melhor. 

Além do diagnóstico precoce elevar a chance de cura para até 95%, também permite que sejam dispensados tratamentos agressivos, como quimioterapia, e oferecidas cirurgias menos radicais, que preservam a mama e possibilitam à paciente uma excelente qualidade de vida.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte