País de poucos servidores

Publicação: 2019-03-30 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

O Orçamento prevê que o pagamento de servidores federais consumirá R$ 252,6 bilhões, superando todo o valor disponível para investimentos.  Segundo a Transparência Brasil, porém, a taxa de servidores públicos no Brasil – 16% da população –, é inferior à de países europeus desenvolvidos, como Reino Unido (23%) e França (20%). O país, de acordo com a ONG, se encaixa na tendência da América Latina, que tem taxas variando entre 10% e 20%. A ONG ressalta que hoje são mais de 615 mil servidores federais, quase 130 mil a mais que no início da década passada.

Concurso
Reduzir o número de servidores poderá piorar a qualidade do serviço prestado. Mesmo assim, o  Governo federal acaba de endurecer as regras para a abertura de novos concursos públicos. Um decreto Amplia as exigências para os órgãos do governo pedirem a abertura de novos concursos públicos.  

Desconfiança
Notícias ruins para o futuro do País não dão trégua. A confiança do setor de serviços é a menor desde outubro de 2018, com uma queda de 3,5% em março, ante fevereiro.  A queda do Índice em março atingiu nove das 13 atividades pesquisadas pela FGV e foi verificada tanto nas expectativas para o futuro quanto na avaliação da situação corrente.

Sem vagas
O desemprego atinge 13,1 milhões de brasileiros, mostra o IBGE. A taxa de desemprego do país ficou em 12,4% no trimestre móvel encerrado em fevereiro, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). O País continua sofrendo desse mal contraído ainda nos anos de retração da economia.

Obrigações
O Governo do RN está diante de exigências para receber os recursos do pré-sal e ainda, destinar os recursos dos royalties do petróleo para pagamento de pessoal. No caso da primeira, o Ministério da Economia pede cortes nos gastos e, no segundo, não pode ser destinado à quitação de salários. Pode lançar mão, neste caso de uma “manobra contábil”, sem a pedalada fiscal. 

Mudanças no microcrédito
O Conselho Monetário Nacional tomou duas decisões do microcrédito para aumentar o limite de renda ou receita bruta anual do público alvo de R$ 120 mil para R$ 200 mil. O limite de crédito das operações saltou de R$ 15 mil para R$ 21 mil. A outra mudança é permitir que, após o primeiro contato, o acompanhamento do tomador do microcrédito seja feito de forma não presencial. 

Regularização
O prazo para regularizar a situação no Benefício de Proteção Continuada (BPC) vai até amanhã, dia 31. Cerca de 25% das pessoas que recebem o BPC ainda não estão no Cadastro Único.

Barragens
O Operador Nacional do Sistema Elétrico Brasileiro (ONS), mostra em suas estatísticas que os grandes reservatórios receberam muita água de outubro até hoje, quando acaba (teoricamente), o regime de chuvas no Sudeste e Centro Oeste. A de Furnas está com mais de 41% e a de Três Marias com 76%. A  de Sobradinho, a caixa d'agua do Nordeste está com 42%.

Planeta
Várias empresas participam hoje da Horas do Planeta, um compromisso com o meio ambiente.  O McDonald’s, por exemplo, “apagará” os arcos dourados dos mais de 900 restaurantes no Brasil para conscientizar sobre o uso de recursos do planeta e as mudanças climáticas.

Medicina (I)
A Unimed Natal ganhou  a concorrência e os mais de três mil colaboradores do Sistema Fecomercio RN, onde estão incluídos os colaboradores do Senac, Sesc e Hotel Barreira Roxa, estão sendo atendidos desde o início da semana por toda a rede própria e credenciada à Unimed Natal. O atendimento aos usuários é garantido pelos 1.400 médicos da cooperativa.

Medicina (II) 
A MedicMais, rede de clínicas médicas e odontológicas com preços acessíveis, acaba de aumentar o seu negócio nacionalmente, chegando a 130 unidades. A marca tem interesse em expandir nas regiões do Nordeste e Centro-Oeste, além dos estados como Rio Grande do Sul. A MedicMais que faturou R$ 30 milhões em seu segundo ano de atuação no franchising, está com a expectativa de faturar R$ 20 milhões somente no primeiro semestre.

Medicina (III)
Em busca de expansão, a OrthoDontic prevê investir R$ 71 milhões para o Nordeste. A rede de ortodontia aponta capacidade para abertura de 140 unidades nos estados nordestinos dentro dos próximos anos, com a recuperação econômica Considerada a maior rede de ortodontia do Brasil, está em busca de expandir sua marca no País e está de olho na região.








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários