Pagar pra se ver

Publicação: 2019-07-19 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Alex Medeiros
alexmedeiros1959@gmail.com

A última temporada da série Game of Thrones supôs ao mundo um desfecho com chave de ouro após quase uma década de aventuras fantásticas num universo medieval, estabelecendo uma relação de louvação dos cinéfilos.

Entretanto, mesmo diante da paixão dos fãs, o final foi marcado por controvérsias diante de passagens dos enredos que muitos questionaram. O que não significa a não consagração como uma das maiores séries já exibidas.

Na terça-feira, com a divulgação das produções indicadas ao tradicional Prêmio Emmy, o sucesso absoluto do seriado ficou mais que confirmado com as 32 nomeações, numa quebra de recorde jamais imaginada ou prevista pela HBO.

Na verdade, se dependesse da empresa exibidora talvez não houvesse uma quantidade tão espetacular de indicações, já que no mundo das premiações em Hollywood esconde alguns segredos, como o preço pra ser candidato.

Ser indicado a um Emmy não é apenas consequência de uma boa interpretação ou generosidade de algum jurado. Cada ator/atriz nomeado tem que pagar uma taxa de US$ 225, valor geralmente arcado pelos produtores.

No caso presente, o recorde estabelecido por Game of Thrones poderia não acontecer se dependesse apenas do departamento financeiro da HBO, que foi rápida em pagar as taxas dos protagonistas e ignorando astros secundários.

O canal de TV pagou ligeiro, por exemplo, pelas as indicações de estrelas do elenco, como Emilia Clarke (Princesa Daenerys), Kit Harington (Jon Snow), Lena Headey (Cersei Lannister) e Sophie Turner (Sansa Stark). Apenas.

Mas nem todos tiveram a mesma consideração, nem do exibidor e nem dos produtores, e tiveram que pagar do próprio bolso para não ficarem de fora. São os casos por exemplo de Alfie Allen, Gwendoline Christie e Carice van Houten.

Em princípio, mais do que um desleixo sem argumentação clara, é uma falha impensável no mundo cinematográfico. Atores secundários ou figurantes se destacando é ótimo para um marketing mostrando a força de um seriado.

Como eu não acredito que falhas toscas assim ocorram em tal ambiente, ainda mais no espaço sideral de Hollywood, convém esperar se até setembro a HBO ou a Warner Bros decidem avisar ao complet cast: “nós pagamos o ingresso”.

Afinal, o que são 225 dólares elevados a qualquer potência, se o gasto garantir alguns troféus pra todo mundo ver.

Coco salgado
O presidente Jair Bolsonaro manifestou repulsa ao preço das taxas cobradas aos turistas que visitam Fernando Noronha. Ele acha um “roubo”. Imagine se visse turista pagando R$ 11,00 por um coco verde na nossa Via Costeira.

Reis Magos
O suposto tombamento das ruínas do hotel nos planos municipal e estadual é muito mais que improvável. E a esperança no âmbito federal é mínima. Um mistério mesmo é o alvará não emitido ainda para os proprietários.

Beco novo
O prefeito Álvaro Dias segue fazendo oportunas intervenções no Centro e, principalmente, no Beco da Lama. Ontem, as ruas do point boêmio ganharam uma lisa camada de concreto, implementando conforto nas mesas do lugar.

Injusto
O prefeito não deve ter conhecimento do tratamento injusto que a Semurb tem com os pequenos bares da Zona Norte, que diferente dos estabelecimentos maiores, são proibidos de realizarem música ao vivo e usarem as calçadas.

Memórias
Logo mais, 17h, na sede do Tribunal de Contas, tem lançamento do livro “Diocesano – História que Carrego Comigo”, coletânea de depoimentos de ex-alunos do colégio mossoroense organizada por Paulo Pinto e Gagaça Lopes.

Azeite
As muitas viagens e pesquisas do potiguar Sergio Motta durante os anos acadêmicos lhes deram o conhecimento apurado sobre os azeites. E hoje sua marca Koru é referência, com colheita e extração na região de Maule, no Chile.

No Tijibu
Hoje tem música na calçada de bate-papo do tradicional bar em Candelária, fundado pelo saudoso Manoel Guedes. A partir das 18h30 começa o show do Trio Coisa Feita, com Jane Eyre Pedro, Alex Amorim e João Henrique.

Comic-Con
Olho atento hoje nos canais do YouTube, porque na San Diego Comic-Con tem painéis sobre Vingadores com Christopher Markus, Stephen McFeely e os irmãos Anthony e Joe Russo. E Game of Thrones, Walking Dead, Netflix...

Órbita da Lua
Órbita da Lua
Há 50 anos, após 8 dias de viagem, a nave Apollo 11 entrava na órbita do nosso satélite. Naquele 19 de julho, os três astronautas voaram pelo chamado “lado escuro” e começaram a bater fotografias, as primeiras da superfície lunar. Num dado instante, Michael Collins, o piloto do módulo de comando, gritou para Neil Armstrong e Buzz Aldrin: “Meu Deus, eles são monstros”, se referindo às montanhas e crateras.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários