Palco de esperança

Publicação: 2020-09-22 00:00:00
Tádzio França
Repórter

Fechado há 11 anos, o Teatro Sandoval Wanderley, no Alecrim, recebeu uma nova chance de reabrir suas portas. Um comitê técnico foi montado pela prefeitura do Natal para acompanhar o projeto de restauração do local. Trata-se de uma coalizão de forças que reúne diversas secretarias municipais, no intuito de analisar e resolver os problemas estruturais que durante todo esse tempo impediram o teatro de voltar a funcionar. A ação foi publicada em portaria do dia 21/09, no Diário Oficial.

Créditos: Alex RégisO atual diretor, Grimário Farias, espera que os trabalhos de restauro do teatro comecem o mais rápido possívelO atual diretor, Grimário Farias, espera que os trabalhos de restauro do teatro comecem o mais rápido possível

O esforço conjunto envolve a Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte) e as secretarias municipais de Governo (SMG), Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Planejamento (Sempla), Obras Públicas e Infraestrutura (Semov), e Mobilidade Urbana (STTU). O objetivo é viabilizar as ações de formulação, elaboração, monitoramento e avaliação de planos e projetos para a reforma do teatro. A idéia é que desta vez a ação estude todos os detalhes e não esbarre nas mesmas questões das tentativas anteriores.

Dácio Galvão, presidente da Funcarte, explica que o pontapé para a criação do comitê foi o lançamento, há cerca de 40 dias, de um termo de convênio que libera parte do terreno da Escola Estadual Professor João Tibúrcio, vizinha ao teatro, para a viabilização de uma área de escape (saída de emergência) nas futuras obras. “Essa questão do escape era um dos entraves burocráticos mais difíceis para a reforma plena do TSW. Agora que houve uma resposta positiva do governo, ficamos mais seguros para ir em frente”, diz o gestor.

Segundo Dácio, outra peça importante na nova tentativa de reabrir o teatro é o anteprojeto da arquiteta Débora Mendes. “Na verdade, foi o TCC de seu curso de arquitetura, que ela produziu baseado em muitos estudos de gente da área e artistas. Esse trabalho surgiu quando já havia planos para trabalhar a volta do teatro, algo que o prefeito Álvaro Dias já tinha proposto a mim desde junho do ano passado”, explica. A expectativa é que o trabalho de Débora seja incorporado às ações com a aprovação do comitê técnico. “Queremos que o anteprojeto vire projeto. Achamos que boa parte dele pode ser absorvida”, ressalta.

O novo passo agora é seguir os processos internos de discussão, já que a ação oferece as várias perspectivas das secretarias. “São muitas possibilidades. Pode haver a necessidade de contratar empresas com licitação. A Semov deve produzir laudos técnicos sobre as estruturas, bem como analisar o anteprojeto. O processo burocrático será gerenciado pela Sempla, que deve articular as demandas que forem se apresentando diante dos passos dados. O prefeito pediu o máximo de coesão para não burocratizar o processo além do necessário, o que eu acho muito bom”, afirma Dácio.

Créditos: Alex RégisO teatro Sandoval Wanderley foi inaugurado em 1992 e sempre enfrentou problemas estruturais em sua trajetóriaO teatro Sandoval Wanderley foi inaugurado em 1992 e sempre enfrentou problemas estruturais em sua trajetória

Expectativas
O tempo urge para o teatro do Alecrim, um jovem veterano da cultura natalense. Fundado em 1992, sempre enfrentou problemas estruturais em sua trajetória. O atual diretor, Grimário Farias, espera que os trabalhos de restauro comecem o mais rápido possível. “O teatro está bastante deteriorado. Principalmente devido às chuvas, já que ele tinha muitos problemas na cobertura. Por isso seria bom agilizar as obras”, afirma.  

Grimário, que também é ator e ocupa a função de diretor há apenas seis meses, sabe que a iniciativa está apenas no começo, mas também está se movimentando para criar uma comissão complementar, formada por gente do teatro e artistas em geral, para acompanhar e também dar suas dicas e opiniões sobre os projetos e necessidades da futura obra.

O diretor espera que os grupos de teatro ocupem o Sandoval Wanderley com mais afinco, quando as atividades voltarem. “Acredito que após a pandemia haverá muito trabalho, muita gente tirando projetos da gaveta, e será o melhor momento para o TSW voltar. Um teatro só se fortalece com seus artistas”, diz. O Teatro Sandoval Wanderley está fechado desde 2009, quando apresentou problemas nos sistemas elétricos e hidráulicos, além de falta de acessibilidade e ausência de saída de emergência. A casa teve dois projetos de reforma – um deles previa sua saída do Alecrim – que não aconteceram. 










Leia também: