Palco de vivências

Publicação: 2020-08-06 00:00:00
A+ A-
Tádzio França
Repórter      

Negritude em pauta e no palco. A presença do artista negro na dramaturgia potiguar é uma questão ainda pouco discutida e exposta no teatro local. No intuito de dar mais visibilidade a essa identidade e a essas vivências, a Casa da Ribeira está com o projeto ‘Escola do Corpo Negro’, uma série de encontros on-line nos dias 15, 16, 22 e 23 de agosto, sob a condução de Marconi Bispo, arte-educador e encenador pernambucano. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 09 de agosto, via e-mail, com vagas limitadas.

Créditos: DivulgaçãoO encenador Marconi Bispo conduzirá vivências on-line sobre o teatro negroO encenador Marconi Bispo conduzirá vivências on-line sobre o teatro negro


O projeto tem o objetivo de oferecer a pessoas negras um espaço de escuta coletiva sobre suas particularidades. Em especial, questões ligadas ao racismo, direto e estrutural, e de como a partir disso se podem impulsionar, também coletivamente, meios de tornar estes corpos combativos e não vulneráveis. Ao debate, Marconi incorpora ensinamentos da mitologia dos orixás, mesclando práticas e saberes do candomblé ao do ‘teatro documentário’ do grupo pernambucano Teatro de Fronteira.

Marconi Bispo traz para a discussão uma série de vivências que pode ser comum a qualquer artista não branco. No teatro, ele conta ter percebido que as artes cênicas também não estavam isentas de práticas racistas. A “encruzilhada” em ser ator, educador, candomblecista e negro o levou a pensar num debate mais exposto sobre isso. “É no corpo que começa e onde primeiro se instala a dor. A superação dela também deve estar aí”, declarou, sobre a razão de existir da Escola do Corpo Negro.

Nos encontros virtuais conduzidos por Bispo, serão discutidos tópicos como narrativas místicas, mitos e simbolismos de orixás e como se conectam a posturas pessoais de vida, depoimentos pessoais sobre racismo, vivências do ritmo Ijexá, saberes ancestrais afrocentrados, e a criação colaborativa de uma cena curta que servirá de base para a criação de uma dramaturgia na Escola do Corpo Negro.

Dramaturgias negras
O ator e diretor Henrique Fontes conta que a idéia de trazer esse projeto pra cá nasceu de uma conversa sobre a visibilidade negra no teatro em Natal e no Rio Grande do Norte. “Há claramente muitas mulheres e homens pretos fazendo teatro por aqui, mas ainda não temos um grupo de teatro formado predominantemente por pretos tratando das questões raciais mais a fundo”, afirma à Tribuna do Norte.

A partir disso, o encontro com Marconi Bispo, um homem de teatro com grande pesquisa sobre arte preta e religiões de matriz africana, firmou a produção dessa primeira vivência em Natal. “A Escola do Corpo Negro iria acontecer presencialmente. Sabemos que muita gente não tem acesso a internet de qualidade ou mesmo equipamentos, mas como a pandemia ainda está nos limitando, decidimos encarar o desafio de fazer on-line”, declarou.

A vivência é aberta a todos, mas tem como público alvo pessoas negras e indígenas, e praticantes de algum culto de religiões de matriz afro ou indígena. “O projeto começa, claro, como um local de acolhimento, de escuta e troca. Aos poucos iremos avançar na dramaturgia e nas técnicas teatrais”, explica. Segundo Henrique, o intuito é que a médio prazo seja formado em território potiguar um grupo que possa elaborar narrativas de negritude com mais profundidade e autenticidade. Um possível desdobramento desse projeto é servir de base para a formação de um grupo (ou grupos) de teatro negro potiguar.

Henrique Fontes acredita que a questão negra no teatro em Natal já se movimenta e é discutida em outras esferas, como as dos departamentos de artes da UFRN, mas ainda ficam restritos aos meios acadêmicos ou de convivência comunitária. “Esses são lugares que achamos fundamentais que o teatro de preto esteja, mas a ideia do nosso projeto é abraçar todas e todos que desejem falar para públicos variados e locais diversos”, conclui.

Serviço:
Oficina on-line ‘Escola do Corpo Negro’, via Casa da Ribeira. 
Dias 15, 16, 22 e 23 de agosto. 
Inscrições gratuitas até o dia 09/08, em vídeo de 1 minuto para o e-mail escoladocorponegro@protonmail.com