Papa canonizará em outubro os mártires de Cunhaú e Uruaçu

Publicação: 2017-04-21 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Os Padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, o leigo Mateus Moreira e mais 27 companheiros leigos, conhecidos como os Mártires de Cunhaú e Uruaçu, serão canonizados no dia 15 de outubro deste ano, na Basílica de São Pedro, no Vaticano (Roma). A data foi anunciada no início da manhã de ontem (20), durante o Consistório Ordinário Público, formado por cardeais, e presidido pelo Papa Francisco, no Vaticano.

Padres André de Soveral e Ambrósio Ferro, e 28 leigos serão os primeiros santos mártires do Brasil
Padres André de Soveral e Ambrósio Ferro, e 28 leigos serão os primeiros santos mártires do Brasil

Para que sejam canonizados, eles não necessitaram nenhum milagre, apenas o parecer positivo dos membros da Congregação para as Causas dos Santos, que reiterou o assassinato por "ódio à fé". Esse voto favorável foi aprovado no último dia 23 de março. Assassinados entre os dias 16 de julho e 3 de outubro de 1645 pelos protestantes calvinistas holandeses instalados em Brasil naquela época, eles são os primeiros mártires e santos brasileiros. Em Cunhaú e Uruacu, os dois sacerdotes e os 28 leigos, foram mortos durante missa dominical.

Os mártires brasileiros serão canonizados em uma cerimônia ao lado de dois meninos mexicanos conhecidos como Mártires de Tlaxcala (Francisco e Jacinta Marto, os irmãos pastores que, segundo a Igreja católica, presenciaram, ao lado da prima Lúcia, a aparição da Virgem Maria); o espanhol Faustino Miguez, fundador do Instituto Calasancio Filhas da Divina Pastora e o sacerdote franciscano italiano Luca Antonio Falcone.

Os Mártires de Cunhaú e Uruaçu foram beatificados pelo Papa João Paulo II, em 5 de março de 2000, na Praça de São Pedro, no Vaticano. Na ocasião, cerca de mil brasileiros participaram da celebração. O processo de beatificação durou nove anos e foi instalado pelo então arcebispo de Natal, Dom Alair Vilar, e teve o Monsenhor Francisco de Assis Pereira, como postulador, ambos já falecidos. A celebração de beatificação aconteceu durante a gestão de Dom Heitor de Araújo Sales. Desde a beatificação, a Arquidiocese de Natal incentivava os fiéis a rezarem e pedirem a graça da canonização dos ‘Protomártires do Brasil’.

O processo de canonização estava na Congregação para a Causa dos Santos, no Vaticano, desde o segundo semestre de 2015, por indicação do Sumo Pontífice. No mês de setembro do ano passado, o Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, esteve em Roma, participando de uma audiência com o Papa Francisco para tratar sobre a canonização. Em outubro do mesmo ano, a Arquidiocese de Natal recebeu a visita do Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni D’Aniello. Na ocasião, o representante do Papa no país conheceu os locais dos martírios e pode presenciar a devoção do povo potiguar aos beatos. O processo para a canonização teve como notário o Arcebispo, Dom Jaime Vieira, e como cursor, o Padre Júlio César Souza Cavalcante.

Ao saber da confirmação da data de canonização, Dom Jaime classificou esse dia 20 como “um dia histórico”. “É um dom muito grande, uma graça elevadíssima, para toda nossa igreja, para a Regional Nordeste II, para o Brasil, e para toda a igreja de Deus contar com a canonização de nossos protomártires, que viveram um martírio, um gesto extremo, o mais elevado testemunho em nome de Cristo, que é derramar o sangue para a vida. Nossa alegria é imensa. Agora, vamos começar. A canonização não uma conclusão, pelo contrário. É o início, um desdobramento. É uma força nova que recebemos para continuar, cada vez mais, incentivando a devoção aos Santos Mártires, e zelar por tudo aquilo que faça com que eles sejam cada vez mais conhecidos. Que a nossa igreja vista essa camisa e comece a adquirir o rosto de uma igreja de mártires”, afirmou Dom Jaime em entrevista à rádio Rural.




continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários