Cookie Consent
TN Família
Para manter a mente ativa
Publicado: 00:00:00 - 28/02/2016 Atualizado: 08:08:18 - 28/02/2016
Isaac Ribeiro
Repórter

Um cérebro adulto é pequeno em relação ao restante de nosso corpo, porém apenas ele consome 25% do oxigênio que respiramos. É sinal de que ele trabalha bastante. E é preciso exercitá-lo para que continue executando suas atividades com desempenho pelo menos satisfatório. Mas na verdade queremos estar com a mente sempre ativa e para isso é recomendável exercitá-la.

Assim como o corpo necessita de atividades físicas regulares para se manter saudável, o cérebro também precisa ser estimulado para melhorar cada vez mais seu funcionamento. A ginástica cerebral, criada na década de 1970 por cientistas norte-americanos, é uma boa maneira de fazer isso.
Exercitar o cérebro através da ginástica cerebral estimula funções como memória, criatividade, raciocínio, atenção e autoconfiança

Leia Mais

Sempre é tempo de exercitar o cérebro, de acordo com o psicólogo Jayme Sales, que coordena uma franquia da marca Ginástica do Cérebro em Natal.  E para isso não importa a idade! Crianças a partir dos quatro anos de idade, jovens, adultos e idosos podem treinar à vontade.

“Na terceira idade, temos muitos problemas de demência, seja por Alzheimer, Parkinson, demência senil, ou nenhum desses problemas, simplesmente o estresse da própria vida, que nessa idade avançada é mais comum. Os exercícios também fazem com que a pessoa relaxe, dando mais atenção ao que se está fazendo”, comenta o psicólogo.

São desenvolvidas atividades lúdicas, principalmente, que possam  provocar o sentido de atenção concentrada nos alunos. Segundo Jayme Sales, nosso sistema cognitivo funciona através da atenção, e quanto maior ela for, maior é a possibilidade de perceber o que está sendo observado.

“E quando eu tenho atenção eu percebo; se eu percebo, eu internalizo, guardo na memória. Então, o objetivo é melhorar a capacidade de retenção de conteúdo adquirido, através de atividades lúdicas como jogos, enigmas, atividades visuais, através de vídeos, entre outras que compõe o que chamamos de neuro-treinamento”, esclarece Jayme Sales.

Quem pratica aprova


Há tempos os jogos de palavra cruzadas e de desafios entraram na vida do aposentado gaúcho Idarci Dalpasqual, 69 anos, e nunca mais saíram. Ele possui várias revistas do tipo, que lhe acompanham em vários momentos ao longo do dia. “Há aproximadamente mais de 20 anos que eu comecei essa brincadeira, por não ter o que fazer. Não tinha o que fazer nos feriados, aí comecei a comprar e fazer e gostar cada vez mais. E além de gostar, aprender. Você acaba aprendendo muita coisa”, comenta Idarci.

Outra atividade que deixa a mente dele ativa é a dança. Todas as semanas, ele e sua esposa frequentam bailes. “A dança, além de exercício físico também serve para a cabeça. Se eu pegar uma pessoa para dançar sem música, eu vou dançar bolero e ela vai dançar samba e nós não vamos fechar. Então, você tem que estar com a cabeça ouvindo e transmitindo para o corpo. As vezes você está sentado, ouvindo a música, mas a cabeça está trabalhando.”

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte